LeftRight

29 de setembro. Venilton Tadini, presidente-executivo da Abdib, participa do Encontro de Altas Autoridades Brasil – Itália para Cooperação em Infraestrutura, no Ministério do Planejamento.


28 de outubro. O Comitê de Resíduos Sólidos da Abdib realiza reunião para discutir ações institucionais, governamentais e de comunicação necessárias para repercutir as propostas da entidade para melhorar o ambiente de negócios no setor de resíduos sólidos.

IMG_2074


Em agosto, a receita dos projetos já havia sido elevada em 10,2% e, agora, subiu em mais 13,13%. Se forem negociados todos os 24 lotes pelo valor definido no edital, as novas concessionárias receberiam o montante de R$ 2,6 bilhões com previsão de reajuste a cada 12 meses pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA). Para definir receitas maiores, a agência quer aumentar parâmetros como custo do capital próprio de 2,21%, saltando dos atuais 10,86% para 11,10% ao ano, e a taxa de retorno (Wacc, na sigla em inglês) em 15,39%, que passará de 8,38% para 9,67% ao ano.

 

Fonte: Valor Econômico

O Ministério das Cidades tem uma proposta para tentar melhorar a qualidade da regulação no setor de saneamento no Brasil. O secretário nacional de Saneamento Ambiental, Alceu Segamarchi Junior, disse ontem, em evento do Instituto Trata Brasil, que foi apresentada à Casa Civil uma proposta de criação de um serviço de supervisão de regulação que poderia ser tocado pela pasta.

 

Fonte: Valor Econômico

O Brasil é apontado como um exemplo de “desindustrialização precoce” pela Agência das Nações Unidas para o Comércio e o Desenvolvimento (Unctad) em seu relatório anual divulgado ontem. Conforme o documento, a industrialização no Brasil, Argentina e Chile avançou significativamente até meados dos anos 1980, quando identifica abandono ou mudanças de políticas estatais estratégicas para o setor, além de abertura comercial unilateral, desregulamentação financeira e redistribuição regressiva da renda.

 

Fonte: Valor Econômico

Cansados de aguardar por nove anos o poder público tentar viabilizar a construção de um aeroporto em Sorriso, no médio-­norte de Mato Grosso, 34 empresas, 12 famílias de produtores da região, três cooperativas agrícolas e o sindicato rural local resolveram doar mais de R$ 2 milhões para tirar as obras do papel. Foi assim que, há três meses, o Aeroporto Regional de Sorriso Adolino Bedin, localizado na BR-­163, obteve autorização da Anac e iniciou suas operações, com voos comerciais da Azul e um grande movimento de jatos particulares.

 

Fonte: Valor Econômico

20 de setembro. Em reunião do Comitê de Petróleo e Gás Natural da Abdib, empresários discutiram propostas para aperfeiçoar a política de conteúdo nacional de forma que haja desenvolvimento da indústria brasileira e também condições equilibradas para fornecedores de bens e serviços e para operadores e investidores.

Comitê 20-09-2016 (25)


Atenção investidor: o governo busca sócios para 34 projetos de infraestrutura e privatizações As regras, agora, são pró-mercado, o cenário-base traçado é realista e tem oferta de financiamento público e privado. Vai embarcar?

 

Fonte: Revista Isto É Dinheiro


O governo fez ajustes em sua proposta de reforma do licenciamento ambiental e tem uma nova versão do texto que pretende apresentar ao Congresso Nacional nas próximas semanas. A primeira minuta da reforma, que havia sido revelada pelo Valor em julho, foi amplamente discutida com autoridades estaduais e entidades ambientais. Após dois meses de reuniões, coordenadas diretamente pela Casa Civil, o novo texto define em 12 meses o prazo máximo para a análise dos pedidos de licença prévia (LP) aos projetos de infraestrutura.

 

Fonte: Valor Econômico

14 de setembro. Venilton Tadini, presidente da Abdib, participa do Fórum Nacional, no Rio de Janeiro, para discutir iniciativas para o Brasil voltar a crescer por meio do investimento em infraestrutura.


A Abdib considera que diretrizes e projetos de concessão divulgados no dia 13 de setembro pela coordenação do Programa de Parceria de Investimentos (PPI) no âmbito do Projeto Crescer têm condições de contribuir intensivamente para a atração de novos investimentos em infraestrutura, apoiando-se na melhoria do ambiente de negócios, na segurança jurídica e na força motriz do setor privado para impulsionar os investimentos e o financiamento. O PPI e o Projeto Crescer trazem governança adequada para promover as mudanças que o setor de infraestrutura requer.