LeftRight

Seção : ABDIB NA MÍDIA

Reportagens da imprensa que abordam iniciativas da Abdib ou pontos de vista dos porta-vozes da entidade


O ministro do Planejamento, Dyogo Oliveira, afirmou nesta quarta-feira, 13, que não se pode dizer que o governo esteja fazendo um ajuste fiscal duríssimo observando que a meta fiscal deste ano e do ano que vem é de déficit de R$ 159 bilhões. A declaração foi dada durante o Fóruns Estadão Infraestrutura em resposta à crítica do presidente executivo da Abdib, Venilton Tadini.

Fonte: Estadão Conteúdo


Sem incentivos públicos, os investimentos privados em infraestrutura vão ficar estagnados, afirma Venilton Tadini, presidente da Abdib (Associação Brasileira da Infraestrutura e Indústrias de Base). “O empresariado está chegando ao limite dos investimentos. Não temos como ter ciclo vigoroso de investimentos que mudam a lógica de crescimento econômico se não tivermos a força de indução do estado nesse movimento.”

Fonte: Amcham Brasil


As eleições de 2018 vão dificultar investimentos em infraestrutura no próximo ano, disse o presidente do BNDES, Paulo Rabello de Castro, em evento da Amcham-Brasil (câmara americana de comércio), nesta segunda (4). “Vemos alguma retomada, mas por ser um ano eleitoral vai ser mais difícil. Vários entes públicos, a partir de abril, ficam limitados para pedir financiamento.” O setor respondeu pela maior fatia dos desembolsos do banco —cerca de 30%— entre 2015 e 2017.

Fonte: Folha de S. Paulo


O presidente-executivo da Abdib, Venilton Tadini, elogiou o lançamento de programa federal para executar investimentos públicos em obras paralisadas, mas alertou que os valores envolvidos – cerca de R$ 40 bilhões em dois anos até 2018 – são baixos diante do desafio do país. Nos cálculos da Abdib, o Brasil deve investir 1,5% do PIB em infraestrutura em 2017, algo insuficiente até para repor a depreciação, o que demandaria 3% do PIB. (Rádio Jovem Pan – 8h39)


É uma situação particular que vivemos hoje, porque o mundo tem abundância de recursos, nós não temos problemas de balanço de pagamentos e, no entanto, vivemos um problema de restrição fiscal que tem impedido que haja um volume adequado de investimentos do setor público. Poderíamos ter investimentos privados sendo realizados. Como o país está há 20 anos sem ter um planejamento estratégico claro, o que verificamos é que não há projetos maduros para que que haja investimento em maior volume.

Fonte: G1


“O BNDES é insubstituível, mas a queda do juro traz mais estabilidade financeira para que as empresas busquem outras fontes de financiamento, incluindo captações externas e debêntures de infraestrutura (que são isentas de IR) no mercado interno. Os estrangeiros também aportarão nos projetos, o mundo está muito líquido. O que temos hoje não é falta de crédito e, sim, falta de projetos.”

 
Venilton Tadini, presidente-executivo da Abdib
Fonte: O Globo