LeftRight

Seção : NOTÍCIAS DO DIA

Um resumo das principais notícias sobre infraestrutura e indústrias de base publicadas em jornais e agências de notícias


A fatia do Galeão cuja venda havia sido acertada com a chinesa HNA vai para as mãos de outra empresa. Ontem o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) deu aval para que a Changi, operadora do aeroporto de Cingapura, compre a participação da Odebrecht Transport na RIOGaleão, que administra o terminal carioca. Com isso, a Changi, que já era sócia da concessionária, assumirá o controle da companhia, com 51% da sociedade — a Infraero manterá os 49% restantes.

Fonte: O Globo

O Senado aprovou ontem projetos que ajudam as finanças dos governos regionais com um alívio de cerca de R$ 50 bilhões. O principal deles recebeu o sinal verde no Senado: a autorização para a securitização das dívidas ativas dos estados e municípios. O texto, de autoria do senador José Serra (PSDBSP), possibilita que os estados endividados vendam ao setor privado o direito a créditos que tenham para receber — sejam de ordem tributária ou não. Isso pode render R$ 25 bilhões os governos regionais. A proposta ainda precisa ser analisada pela Câmara.

Fonte: O Globo

Uma linha de transmissão de energia da hidrelétrica de Belo Monte, que levará do Norte ao Sudeste a produção da usina, entrou em operação comercial na terça-feira (12), com dois meses de antecedência, depois de a chinesa State Grid e a Eletrobras recuperarem o atraso das obras, após protestos da população local.

Fonte: Folha de S. Paulo

Governadores vão ter prazo maior para pagar precatórios (dívidas do poder público reconhecidas pela Justiça), poderão usar as receitas de royalties como garantia para contratar empréstimos e estarão liberados para “vender” no mercado dívidas a receber. Apenas essa última medida precisa passar pela Câmara. As demais já foram aprovadas por deputados e senadores.

Fonte: O Estado de S. Paulo

O setor de infraestrutura no Brasil foi atingido por um “tsunami” com a crise econômica que assolou o País nos últimos anos e com os esquemas descobertos pela Operação Lava Jato, mas os eventos não são necessariamente negativos. A afirmação foi feita ontem pelo diretor presidente do Instituto Ethos, Caio Magri, na abertura do Fórum Estadão que tratou dos investimentos em infraestrutura e geração de emprego.

Fonte: O Estado de S. Paulo

Segundo ministro do Planejamento, Dyogo Oliveira, a estratégia do governo é estimular o investimento privado. O ministro citou o Programa de Parcerias de Investimento (PPI), que, segundo ele, já trouxe R$ 30 bilhões em outorgas. As concessões feitas até agora representam R$ 69 bilhões de investimento em infraestrutura ou mais de 1% do Produto Interno Bruto (PIB), disse o ministro, acrescentando que os 89 projetos em carteira representam R$ 103 bilhões em investimento.

Fonte: O Estado de S. Paulo

A Oi trabalha para aprovar no dia 19 de dezembro seu plano de reestruturação, cujo desenho chegou à quinta versão desde que o processo de recuperação judicial da operadora foi iniciado, em junho de 2016. Com os ajustes feitos, a proposta agora tem apoio do governo e de um número maior de credores. Com isso, a Oi acredita que terá votos suficientes para referendar o plano em assembleia de credores na semana que vem.

Fonte: O Estado de S. Paulo

O embate entre os sócios privados da BH Airport, concessionária do aeroporto de Confins (MG), e a Infraero ganhou novo capítulo com a convocação para janeiro de uma assembleia geral dos acionistas da
concessionária que propõe um aumento de capital de R$ 566 milhões, com a estatal injetando metade do montante total.

Fonte: Valor Econômico

O novo plano de recuperação apresentado pela Oi à 7ª Vara Empresarial do Rio de Janeiro veio do acerto entre os executivos da operadora e a ministra da Advocacia Geral da União (AGU), Grace Mendonça. “O novo plano da Oi está em perfeita sintonia com aquilo que vinha sendo articulado pela ministra [da AGU]”, disse um interlocutor do governo ao Valor.

Fonte: Valor Econômico

 


O plano da Oi para reestruturação de R$ 64 bilhões em dívidas na Justiça tem a maior redução em valor já registrado no Brasil. A operação tem também uma das menores diluições de acionistas entre as recuperações judiciais realizadas em companhias abertas com troca de dívida por ações.

Fonte: Valor Econômico

O leilão de transmissão de energia de amanhã, que vai licitar 11 lotes e envolver até R$ 8,7 bilhões em investimentos, pode ser mais uma disputa marcada por grande competição e também pela entrada de novos investidores estrangeiros. Indianos prometem ser destaque, assim como os chineses, que devem olhar os ativos que vão escoar a energia da megahidrelétrica de Belo Monte, no rio Xingu (PA) para a região Nordeste.

Fonte: Valor Econômico

A novela em torno da recuperação judicial da espanhola Abengoa, que já dura quase dois anos, ficou mais próxima de um fim ontem, com ganhos para os credores. O fundo americano TPG (antigo Texas Pacific Group) levou as sete linhas de transmissão em operação da Abengoa no leilão judicial realizado ontem, ao oferecer R$ 482,5 milhões, além da assunção de R$ 1,3 bilhão em dívidas. Com isso, a dívida da companhia, que está em recuperação judicial desde janeiro do ano passado, cairá pela metade.

Fonte: Valor Econômico

O custo de operação do sistema elétrico brasileiro, rateado por todos os consumidores, pode sofrer uma redução de 36% no subsistema Sudeste/Centro-Oeste e de 82% no Nordeste, se forem adotadas modificações no modelo computacional de formação de preços, utilizado pelo Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS). A conclusão faz parte de estudo inédito feito pela Comerc Energia, especializada em comercialização de energia.

Fonte: Valor Econômico

O Plenário da Câmara dos Deputados rejeitou nesta quarta-feira (13), por 206 votos a 193, a emenda do Senado à Medida Provisória 795/17 que pretendia limitar a 31 de julho de 2022 os benefícios do regime especial de importação de bens a serem usados na exploração, no desenvolvimento e na produção de petróleo, gás natural e outros hidrocarbonetos. Essa data estava prevista no texto original da MP. Fica valendo, então, o prazo de 31 de dezembro de 2040, aprovado pela Câmara dos Deputados na primeira votação da medida, na semana passada. Com a rejeição da emenda, foi concluída a análise da MP. A matéria será enviada à sanção.

Fonte: Agência Câmara de Notícias

Com mais de 500 quilômetros (km) de costa litorânea, Santa Catarina recebeu nos últimos anos investimentos bilionários do setor portuário. Ao lado dos tradicionais portos públicos de Itajaí e São Francisco do Sul, a iniciativa privada decidiu levantar dois grandes terminais especializados na movimentação de contêineres: Portonave e Itapoá, hoje na lista dos mais modernos e eficientes do País.

Fonte: O Estado de S. Paulo