ago
02

2017

Ministro britânico ressalta experiência bem-sucedida em infraestrutura

127 likes Seção: DESTAQUE


Além da oferta de uma linha de financiamento de 3 bilhões de libras para investimentos em infraestrutura no Brasil, mediante aquisição de bens e serviços de empresas daqueles países que representem, no mínimo, 20% do desembolso, o ministro adjunto britânico do Comércio Internacional, Mark Garnier, ressaltou a experiência das empresas do Reino Unido na construção e operação de empreendimentos de infraestrutura e a disposição de compartilhar informações e aprendizado com empresas brasileiras.

Garnier disse que encontros como o que foi realizado na Abdib cumprem uma função importante de difusão e conscientização das oportunidades existentes no Brasil para as empresas do Reino Unido. Além disso, permite engajar empresas privadas para os investimentos em infraestrutura acontecerem, o que é absolutamente crucial. “As companhias britânicas estão bem posicionadas para compartilhar com as brasileiras um conjunto de experiências muito bem-sucedidas”, disse.

Berço das PPPs – Ele explicou que o governo do Reino Unido está conduzindo um programa de 650 bilhões de libras em diversos programas e projetos de infraestrutura no longo prazo e que essa iniciativa legou experiências exitosas para compartilhamento com o Brasil, sobretudo em áreas como aeroportos, rodovias e também recursos hídricos e saneamento básico.

“Nós fomos o primeiro país (Inglaterra) no mundo a desenvolver o modelo de parceria público-privada e somos líderes nessa área de conhecimento”, disse, ressaltando que o Reino Unido tem 700 projetos em operação com valor de capital 50 bilhões de libras cobrindo uma grande variedade de projetos.

Por fim, o ministro adjunto britânico ressaltou três áreas nas quais as empresas de infraestrutura podem contribuir com o Brasil: rodovias, recursos hídricos e aeroportos.

O setor de rodovias tem produzido benefícios para a economia britânica, aumentando o potencial de produtividade em 11 bilhões de libras, dobrando o número de passageiros para 3,2 bilhões por ano e aumento o volume de frete em 70% nos últimos 20 anos. Ao mesmo tempo, essa infraestrutura tem se mantido com uma das mais seguras da Europa.

Saneamento básico – Na área de água e saneamento básico, outro setor com uma indústria bem-sucedida, há experiência histórica no desenvolvimento de soluções de gestão integrada de recursos hídricos com 20 companhias de água investindo 5,8 bilhões de libras por ano em ativos e mais 5,2 bilhões de libras em serviços. Há 400 empresas de engenharia e serviços no setor, com faturamento de 500 milhões de libras por ano. O setor conta com boa regulação, disse.

No setor de aeroportos, além da tradição de companhias áreas e tecnologia, as empresas do Reino Unido contam com, no mínimo, com 20% de participação no desenvolvimento de ativos novos em construção, seja com sistemas para serviços de controle de tráfego, de movimentação de passageiros e de bagagens, nós somos líderes em experiência.

“Temos muita experiência e conhecimento para compartilhar com Brasil para que as empresas brasileiras possam desenvolver a infraestrutura de forma fantástica”, finalizou Granier.