fbpx
O Barômetro da Infraestrutura Brasileira é uma sondagem semestral realizada pela Abdib e EY de forma digital que captura a opinião de gestores de investimentos e especialistas que apoiam a estruturação de projetos de infraestrutura.
Início RESUMO ANALÍTICO

RESUMO ANALÍTICO

O Resumo Analítico é uma curadoria de assuntos de destaque da infraestrutura brasileira produzida diariamente pela Vallya com base em uma análise de milhares de reportagens publicadas na imprensa, coletadas através de tecnologia proprietária. As informações são disponibilizadas para a Abdib em parceria exclusiva.

BNDES apoiará plano de investimentos de 9 distribuidoras do Grupo Energisa

O financiamento do BNDES, que ocorre no âmbito do Finem – Distribuição de Energia Elétrica, será de R$ 1,49 bilhão, dos quais R$ 965 milhões serão na modalidade direta e R$ 522 milhões por meio indireto. O apoio do BNDES tem como foco a melhoria dos serviços, expansão da rede de distribuição e ampliação do número de clientes atendidos – atualmente estas empresas estão presentes em dez estados. O prazo de execução do projeto é de até dois anos e a perspectiva é de geração de 7.162 empregos durante a sua implantação. Com sede em Cataguases/MG, a Energisa é a quinta maior companhia de distribuição de energia do Brasil, atendendo cerca de 20 milhões de pessoas em 862 municípios. A Energisa também atua nos segmentos de geração, transmissão, geração distribuída e comercialização de energia elétrica. Vale recordar que o BNDES também apoiou, em agosto de 2020, o plano de investimentos 2021/2021 da Coelba, Celpe, Cosern e Elektro – distribuidoras de energia elétrica da Neoenergia, com financiamento de R$ 3,39 bilhões. (Meio Filtrante)

Ministro da Infraestrutura fala sobre problemas no licenciamento ambiental

O ministro Tarcísio Gomes de Freitas fez um mea-culpa sobre o assunto e admitiu que são frequentes as situações em que os estudos de impacto ambiental tem péssima qualidade técnica, o que gera sucessivos pedidos de correções e complementos, além de eventuais devoluções. “É preciso fazer um mea-culpa sobre isso e reconhecer que não vínhamos fazendo a nossa parte tão bem quanto o necessário. Estávamos cobrando do órgão ambiental uma velocidade no licenciamento, mas deixávamos de fazer a nossa parte“ disse Freitas. O ministro é um dos principais defensores do projeto de lei apelidado de Lei Geral do Licenciamento Ambiental, sob relatoria do deputado Kim Kataguiri (DEM-SP). Embora a revisão de fluxos processuais, normas e competências seja importante, o ministro afirma que sua pasta tem introduzido mudanças paliativas dentro da legislação atual, como, por exemplo, através da revisão de estudos contratados. Nesta situação estão incluídas estradas como a BR-135, na Bahia, que teve seu estudo espeleológico refeito. O impacto a terras indígenas também passou a ser reanalisado em relação a rodovias como a BR-158 e a BR-080, em Goiás. As revisões também estão em andamento nos estudos da Ferrogrão, prevista para ser erguida entre o Mato Grosso e o Pará, e a reconstrução da BR-319, que liga Porto Velho (RO) a Manaus (AM). (Terra)

Prefeitura de Sorocaba quer elevar aeroporto para categoria internacional

O secretário nacional de Aviação Civil, Ronei Glanzmann, esteve reunido com o prefeito de Sorocaba, Rodrigo Manga (Republicanos) para tratar da internacionalização do Aeroporto de Sorocaba. O prefeito recebeu garantias que, independente do prazo que levar para o cumprimento de todos os requisitos, o aeroporto será internacionalizado. Entre as medidas que devem ser cumpridas para que o Aeroporto de Sorocaba se habilite para a internacionalização, está a delimitação de áreas públicas e privadas e o respectivo cercamento delas, além da implantação de um controle aduaneiro e de um sistema de tratamento de resíduos sólidos. (Jornal Ipanema)

Única proposta em licitação de ferry-boat no PR é descassificada

O Departamento de Estradas de Rodagem (DER/PR) do Governo do Estado do Paraná anunciou em publicação no Diário Oficial da União (DOU) que a proposta da única empresa participante da licitação de ferry-boat da travessia Guaratuba-Matinhos, a Três Mosqueteiros, foi desclassificada. A Comissão de Julgamento analisou a proposta de tarifa da empresa e apontou o descumprimento de vários itens do edital. A Três Mosqueteiros tem agora oito dias úteis para apresentar outra proposta, “escoimada de defeitos e irregularidades”. O contrato que eventualmente será firmado tem prazo de 10 anos e prevê investimentos de R$ 134 milhões. (Diário do Transporte)

Prefeitura de São Roque anula contrato de transporte coletivo

O prefeito de São Roque, Guto Issa, publicou o decreto 9.474 que declara nulidade e rescisão contratual do serviço de transporte coletivo de passageiros que estava sob responsabilidade da empresa Mirage Transportes. De acordo com o governo municipal, a decisão é embasada em critérios técnicos, jurídicos e orientação do Ministério Público. (JE Online)

Acordo de cooperação mira instalar energia solar na sede do TRF5

A Celpe e o Tribunal Regional Federal da 5ª Região – TRF5 assinaram um Termo de Cooperação Técnica para a instalação de usina fotovoltaica na sede do TRF5, no Cais do Apolo, no Bairro do Recife. A assinatura foi realizada de forma virtual entre o presidente da concessionária, Saulo Cabral, e o presidente do órgão judiciário, desembargador federal Vladimir Carvalho. A distribuidora informou que a usina receberá um investimento de R$ 220 mil e terá capacidade de gerar 60 kW/pico. Após instalado, o equipamento proporcionará uma economia de 104 MWh/ano ao tribunal, o que significa uma redução de R$ 35 mil no custo anual de energia elétrica da instituição. (Canal Energia)

Gas Bridge quer estrear como comercializadora de gás ainda no primeiro semestre

A Gas Bridge, criada em 2019, vive a expectativa de estrear como comercializadora de gás natural no mercado livre ainda no primeiro semestre de 2021. Em paralelo a negociações com clientes e produtores de gás, a empresa controlada pela Lorinvest, gestora de investimentos do grupo Lorentzen, prepara o terreno para atuar em outros nichos dentro do setor e promete investir US$ 300 milhões no campo de Manati (BA) para transformá-lo num ativo de estocagem de gás. A companhia estuda ainda investimentos em unidades de processamento; otimização de rotas de escoamento; liquefação; e logística para escoar líquidos do gás natural – frações do gás que contêm propano e butano, que formam o gás liquefeito de petróleo. A empresa vê uma falta de infraestrutura no transporte de gás natural para mercados fora do sudeste. (Valor Econômico)

CSN Mineração movimenta mercado e deve captar R$ 7 bilhões

A subsidiária da CSN, detentora da mina Casa de Pedra, encerra hoje a primeira janela de 2021 para oferta de ações (IPO). A emissão deve movimentar pouco mais de R$ 7 bilhões levando em consideração o preço médio de R$ 10 por ação. O IPO contou com grande demanda do investidor de varejo (pessoa física com menos de R$ 1 milhão em investimentos) com demanda dez vezes superior à quantidade de papéis disponíveis para estes investidores. Já os investidores institucionais, composto em boa parte por fundos estrangeiros,  demandaram duas vezes mais ações do que as ofertadas. A estreia na B3 está marcada para o dia 18, quinta-feira. O IPO da CSN Mineração tem os bancos Morgan Stanley, XP, BoFa, Bradesco BBI, BTG Pactual, UBS-BB, Caixa, Citi, Fibra, JPMorgan, Safra, e Santander como coordenadores. (Estadão)

Prefeitura do Rio de Janeiro lança programa Luz Maravilha

Trata-se de uma PPP firmada no ano passado com o consórcio Smart Luz, que irá possibilitar investimentos de R$ 1,4 bilhão na modernização da iluminação e conectividade da cidade nos próximos 20 anos. O programa irá substituir os 450 mil pontos de luz da cidade até 2022 usando luminárias LED, gerando uma economia de até 60% aos cofres públicos. A ação teve início nesta semana na Barra da Tijuca, com a instalação de 1075 luminárias LED. A parceria prevê também implementar outros serviços dentro do conceito de cidade inteligente (Smart City), com a instalação de 10 mil câmeras de segurança, sendo que 40% delas contarão com tecnologia de reconhecimento facial; cinco mil pontos wi-fi;  três mil sensores de resíduos sólidos em bueiros; e 1.500 sensores de sinais de trânsito, que vão melhorar o fluxo do tráfego. Tudo isso será monitorado pelo Centro de Comando de Operações (CCO), que estará integrado ao Centro de Operações Rio. (Prefeitura do Rio de Janeiro)

Senador fala de cronograma e interesse privado na concessão da BR-381 e 382

O senador Carlos Viana (PSD-MG) afirmou que o edital de concessão da BR-381, entre Belo Horizonte e Governador Valadares (MG), juntamente com a BR-262 entre João Monlevade e Viana (ES), encontra-se em fase final de análise pelo Tribunal de Contas da União (TCU) e deve ser publicado até março. A expectativa inicial era de que o edital fosse publicado em dezembro do ano passado e o leilão ocorresse em março deste ano, mas estes atrasos devem postergar o certame para o final do primeiro semestre. A proposta em análise pelo TCU consiste na concessão de 686,1 km das rodovias por 30 anos, prorrogáveis por mais cinco. Viana afirmou que há ao menos três grupos estrangeiros interessados nas rodovias. “Na semana passada, eu recebi no meu gabinete, em Brasília, a visita de um grupo espanhol grande, que tem experiência e tem engenharia, e eles querem participar do leilão da 381. Então, hoje nós temos três grupos estrangeiros interessados no leilão da 381, o que me anima muito porque, com o dólar alto, essas empresas e grupos vão gastar muito menos para poder fazer os investimentos no Brasil e garantir que a obra saia”, afirmou o senador. Os outros dois grupos seriam um fundo dos Emirados Árabes e outro fundo com capital chinês e inglês. (O Tempo)

WTorre atrai parceiros para deslanchar complexo imobiliário com Carrefour

A Construtora Wtorre se aproxima de tirar do papel um dos maiores empreendimentos imobiliários previstos para os próximos anos na zona sul de Sâo Paulo. Trata-se do complexo que reunirá um shopping center e três torres no terreno do Carrefour, na Marginal Pinheiros. O valor geral de vendas tem sido estimado no mercado em torno de R$ 1,3 bilhão. A Eztec comprou da WTorre uma das torres para fazer um residencial de alto padrão. Outra unidade ficou com a JFL, para uso misto. Falta agora o parceiro para a terceira torre, que promete ser um dos maiores edifícios corporativos da cidade, com mais de 200 metros de altura. (Estadão)

Conselheiro da Vale aciona CVM por proposta de alteração do estatuto

A polêmica da Vale de adotar o “voto negativo” na eleição do conselho de administração já chegou à Comissão de Valores Mobiliários (CVM). O conselheiro independente da mineradora, Marcelo Gasparino, pede que o órgão regulador do mercado de capitais diga se é ou não regular contar votos contrários de acionistas a um candidato ao colegiado. A Vale propõe que sejam eleitos os nomes com maior número de votos favoráveis, desde que superiores ao total de votos contrários. Gasparino foi um dos dois conselheiros a registrar em ata sua oposição à proposta, aprovada em 28 de janeiro. (Estadão)

Comitiva de deputados estaduais irá a Brasília discutir pedágio com a União

A Assembleia Legislativa do Paraná vai formar uma comissão de parlamentares que irá a Brasília discutir o novo modelo de concessão do pedágio no Paraná. Segundo o Líder do Governo na Casa, o objetivo é construir uma proposta com o Ministério da Infraestrutura que atenda ao desejo da sociedade paranaense. Responsável por 65% das rodovias do Anel de Integração, o Governo Federal é quem comanda a discussão em torno do modelo que vai vigorar pelos próximos 30 anos no Estado. A proposta do governo federal tem causado grande descontentamento por parte do setor produtivo do Paraná, dado a percepção de que não faz o suficiente para reduzir os pedágios cobrados em rodovias estaduais, considerados abusivos. (CGN)

Governo nega pedido de impugnação do leilão das linhas e 8 e 9 da CPTM

O Governo do Estado de São Paulo negou pedido de impugnação da concessão das Linhas 8-Diamante e 9-Esmeralda realizado pelo escritório de advocacia Fabichak & Bertoldi, que alegava risco de comprometimento do certame. Segundo o escritório de advocacia, o edital de concorrência deveria: prever experiência prévia do vencedor ainda na fase de habilitação e não antes da assinatura do contrato; os participantes deveriam contar com uma “carta conforto” de fabricantes de trens garantindo a entrega das 34 composições; os atestados de comprovação de gestão de empreendimentos não poderiam incluir projetos ainda em implantação; alterar a exigência de patrimônio líquido proporcional dos participantes. (Metrô | CPTM)

Companhia das Docas prevê leilão de área no Porto de Fortaleza para 2022

A Companhia Docas do Ceará (CDC) prevê que o leilão e concessão de retroárea de 25.638 metros quadrados no Porto de Fortaleza irá acontecer no início de 2022. Segundo a Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq), os interessados devem se manifestar entre os próximos dias 15 de fevereiro e 31 de março, com foco no alinhamento da documentação dos pretendentes. A previsão do órgão cearense é de que o edital da concessão seja publicado no 4° trimestre de 2021 e leilão no 1° trimestre de 2022. (O Povo)

INSCREVA-SE NA NOSSA LISTA DE CONTATOSANÁLISE E INFORMAÇÕES EXCLUSIVAS SOBRE A INFRAESTRUTURA BRASILEIRA

Economistas especializados em infraestrutura, notícias do setor e novas oportunidades.