Início NOTÍCIAS DO DIA

NOTÍCIAS DO DIA

Um resumo das principais notícias sobre infraestrutura e indústrias de base publicadas em jornais e agências de notícias

Após divergências, governo libera decreto de relicitação

Os ministros da Economia, Paulo Guedes, e da Infraestrutura, Tarcísio Freitas, finalmente chegaram a um entendimento sobre o decreto de relicitação das concessões que estão em apuros financeiros e inadimplentes com o cronograma de obras exigidas em contrato. A novela em torno do decreto vem se arrastando há mais de dois anos. Uma lei publicada em junho de 2017 permite a devolução amigável das concessões problemáticas para posterior relicitação pelo governo, mas não foi regulamentada e ficou sem nenhum efeito prático.

Valor Econômico 

Aumento de oferta ajuda migração de consumidores

A expansão da oferta de projetos renováveis no mercado livre de energia está ajudando na retomada das migrações de consumidores especiais para este ambiente de contratação, segundo dados da Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE). Consumidores especiais são aqueles com consumo entre 0,5 megawatt (MW) e 2,5 MW e obrigação de comprar energia de fontes incentivadas (ou seja, renováveis). Segundo Rui Altieri, presidente do conselho da CCEE, a média mensal de migrações no primeiro semestre foi de 105, contra 68 em 2018. Com isso, o número de novas adesões retomou o patamar de 2017.

Valor Econômico 

Investimento via FI-FGTS é subutilizado, indica Ipea

Enquanto o governo promete induzir investimentos em infraestrutura, sobretudo para setores estratégicos, como saneamento, o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) faz uma análise crítica dos resultados alcançados pelo Fundo de Investimento do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FI-FGTS) em 11 anos de atuação do mecanismo financeiro. Segundo o Ipea, o instrumento criado para alavancar investimentos em infraestrutura tem sido “subutilizado” tanto em volume aportado quanto em relação à natureza das aplicações. Cerca de 42% da carteira do FI-FGTS é de investimentos que nada têm a ver com projetos de infraestrutura. Refere-se, na verdade, a títulos públicos e a papéis de bancos estatais.

Valor Econômico 

Mercado livre puxa novos projetos de geração renovável

Antes dependentes da demanda das distribuidoras por meio de leilões organizados pelo governo, novos projetos de geração de energia renovável estão cada vez mais sendo viabilizados no chamado mercado livre, na qual os preços não são regulados e consumidores podem escolher de quem – e qual fonte – comprar energia. Engie, EDP, CPFL e Neoenergia estão entre as grandes geradoras que apostaram nesse tipo de projeto no último um ano e meio. A expansão equilibrada da matriz, contudo, ainda não acontece no mercado livre, já que projetos “despacháveis” (como termelétricas) ainda não são viáveis nesse tipo de contrato, o que acaba gerando custos adicionais para todo o sistema e torna mais urgente a implementação da reforma do setor elétrico.

Valor Econômico

SP e MG querem usar a outorga de ferrovias em projetos de mobilidade

Os governos de São Paulo e de Minas Gerais entraram na briga por recursos da União que vão ficar disponíveis com a renovação antecipada das concessões de ferrovias e com a devolução de trechos sem uso pelas operadoras. A ideia dos paulistas e mineiros é obter parte do dinheiro para ajudar no financiamento de megaprojetos na área de mobilidade, como o Trem Intercidades (São Paulo-Campinas) e a ampliação do metrô de Belo Horizonte.

Valor Econômico 

CCEE: liquidação do MCP de maio tem R$ 7,62 bilhões em aberto

A Câmara de Comercialização de Energia Elétrica finalizou, nesta quinta-feira, 11 de julho, a liquidação financeira do Mercado de Curto Prazo, referente a maio de 2019, que movimentou R$ 1,03 bilhão, dos R$ 8,65 bilhões contabilizados no mês. Do valor não pago, R$ 7,24 bilhões estão relacionados com liminares de GSF no mercado livre e R$ 380 milhões representam outros valores em aberto da liquidação. A operação, realizada pela CCEE, envolveu 7.863 agentes, sendo 2.852 devedores e 5.011 credores.

Canal Energia 

Investimentos em GD fotovoltaica passam de R$ 4,8 bilhões no Brasil, diz Absolar

Os investimentos acumulados em projetos de geração distribuída já somam mais de R$ 4,8 bilhões no País, segundo levantamento da Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica. De acordo com mapeamento da entidade, o Brasil possui atualmente 79.290 sistemas fotovoltaicos conectados à rede, num total de 827,5 megawatts instalados. Os sistemas de microgeração e minigeração distribuída solar fotovoltaica representam hoje 99,6% das instalações do País, que acaba de atingir a marca histórica de 1 GW de potência instalada, considerando-se a somatória de todas as fontes renováveis.

Canal Energia 

TAG só investirá em expansão se houver demanda

Segundo Gustavo Labanca, presidente da TAG, quanto mais usuários, menor a conta para cada um deles. Na prática, se o gasoduto for aberto a novos clientes, mas a capacidade for mantida, a receita da TAG se manterá a mesma. “A única maneira de ter receita adicional é com novos investimentos. ” Mas, por ora, não há plano de expansão. O projeto é gastar R$ 210 milhões na segurança da operação em três anos. Investimentos em uma nova rede de dutos só virão ser houve demanda que justifique o investimento de longo prazo. Sozinha, a Petrobrás garante à TAG receita até 2031.

O Estado de S. Paulo 

Andrade Gutierrez prevê triplicar faturamento para R$ 4,5 bilhões

O braço de engenharia do grupo, a Andrade Gutierrez Engenharia (AGE), principal negócio do conglomerado, prevê faturar R$ 4,5 bilhões em 2019, quase três vezes mais que o R$ 1,7 bilhão do ano passado, porém praticamente metade do faturado em 2013. A “virada” da construtora é baseada em uma reestruturação interna que levou, por sua vez, a uma mudança no modelo de negócios.

Valor Econômico 

FI-FGTS vai revisar regra para escolha de projetos

O braço financeiro do Fundo de Garantia do Tempo de Serviços, o FI-FGTS, vai revisar as regras para seleção dos projetos de investimentos em infraestrutura para destravar a liberação de recursos. Desde o fim de 2016, o FI-FGTS não libera recursos para novos projetos. Além disso, o comitê de investimentos do FI-FGTS estuda os critérios para sair de investimentos considerados “maduro”.

Valor Econômico 

EPE lança nota técnica sobre resposta da demanda

A Empresa de Pesquisa Energética lançou a Nota Técnica “Resposta da Demanda: Conceitos, aspectos regulatórios e planejamento energético”. A resposta da demanda é um mecanismo que permite aos consumidores maior gerenciamento do uso da energia, respondendo às variações no preço da energia e aos comandos do operador mediante pagamentos.

Canal Energia 

Artigo: Para que serve o BNDES?

Diante da retração do PIB no último trimestre e da baixíssima atividade econômica atual, a atuação do BNDES tem de ser vista como central para recuperação da economia. Seja ajudando a desenvolver novos projetos – hoje muito escassos no setor de infraestrutura -, seja ajudando a estruturar concessões, parcerias público-privadas (PPP’s) e privatizações, bem como, também a participação em setores que a inciativa privada fique acometida em participar e gerem claro valor ao país. Além disso, novos projetos deveriam ser casados com uma visão de funding pragmática. (Por Venilton Tadini e Igor Rocha)

Valor Econômico 

Novo dono da Supervia prevê investir R$ 800 mi

Nova controladora da Supervia, concessionária de transporte ferroviário do Rio, a Gumi Brasil vai priorizar a melhoria da qualidade de serviço da companhia. Tendo como principal acionista o grupo japonês Mitsui, a Gumi garante que a redução do endividamento vai permitir à empresa ferroviária investir quase R$ 1 bilhão nos próximos dez anos, apenas com a geração de caixa do seu negócio.

Valor Econômico 

Energia barata elevaria PIB industrial em 10,6%

O acordo assinado pela Petrobras com o Cade abre caminho para o “choque de energia barata” prometido pelo ministro da Economia, Paulo Guedes. Cálculos divulgados na noite de ontem pelo governo mostram que, se o preço da energia cair 50%, o Produto Interno Bruto (PIB) industrial cresce 10,578% no primeiro ano e 6,974% no ano seguinte. Essa é a hipótese mais otimista da simulação que buscou demonstrar os benefícios do chamado Novo Mercado do Gás (NMG). Mesmo as simulações mais conservadoras mostram crescimento até um novo ponto de equilíbrio, por volta do quinto ano.

Valor Econômico 

Órgão aprova compra da Ferrous Resources pela Vale

O tribunal do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) aprovou ontem, sem restrição e por unanimidade, a compra da mineradora Ferrous Resources pela Vale. O negócio foi anunciado em dezembro, envolvendo o pagamento de US$ 550 milhões. A Superintendência-Geral do Cade havia se posicionado favorável ao negócio, embora concorrentes tenham se manifestado contrários. A Porto Sudeste, por exemplo, alegou que a aquisição geraria concentração ainda maior no mercado de minério de ferro e no setor de terminal de exportação da commodity, já liderado pela Vale.

Valor Econômico