Início NOTÍCIAS DO DIA

NOTÍCIAS DO DIA

Um resumo das principais notícias sobre infraestrutura e indústrias de base publicadas em jornais e agências de notícias

Investimento em infraestrutura desaba em 30 anos

Estudo do economista, Claudio Frischtak, presidente da consultoria InterB, mostra que o estoque de tudo que já foi investido em infraestrutura despencou de quase 60% do Produto Interno Bruto (PIB) na década de 80 para 36,3% no ano passado. Na prática, esses números indicam que os ativos estão se deteriorando com o baixo volume de investimentos e perdendo valor. Segundo o trabalho, parte significativa da infraestrutura brasileira tem entre 30 e 40 anos e baixo nível de manutenção, o que se traduz em perdas de eficiência, elevado custo de operação e risco de integridade física. O razoável, diz Frischtak, seria o País alcançar a marca de 60% do PIB em estoque de infraestrutura. Em países com economia mais madura, o porcentual varia entre 65% e 85% do PIB.

O Estado de S. Paulo 

Privatizações podem render R$ 450 bi para os cofres públicos

Passadas as discussões da reforma da Previdência, o governo vai centrar esforços no programa de privatizações montado pelo ministro Paulo Guedes. Os planos de desestatização podem render até R$ 450 bilhões aos cofres públicos, mostra José Fucs – o setor financeiro trabalha com número parecido. E mesmo que o governo arrecade metade disso, ainda será o maior programa de privatização de todos os tempos no País. O cálculo leva em conta operações de privatização, desinvestimento, abertura de capital e venda de participações minoritárias de estatais e suas subsidiárias, mas exclui a Petrobrás e os bancos estatais, a princípio fora do projeto governamental. Além de deixar o Estado mais leve, o programa tem por objetivo o uso dos recursos para reduzir a dívida pública e permitir a queda sustentável dos juros. O projeto, no entanto, deve enfrentar barreiras no Congresso e dentro do governo.

O Estado de S. Paulo 

Eldorado Brasil investe cerca de R$ 350 mi em fábrica do Mato Grosso do Sul

Controlada pelo grupo J&F, a Eldorado Brasil investe cerca de R$ 350 milhões na fábrica de Três Lagoas (MS) para construir a segunda usina termelétrica no local com capacidade excedente prevista de 50 megawatt/hora. A energia será produzida a partir do toco das árvores, uma iniciativa pioneira no mundo. A inauguração é prevista para janeiro de 2021.

O Estado de S. Paulo

Artigo: BNDES é essencial para o Brasil

As diretrizes mais recentes do BNDES reforçam esse alinhamento com as práticas internacionais, a exemplo da ampliação da atuação em infraestrutura e do aumento de financiamentos para pequenas e médias empresas. É igualmente desejável que a instituição contribua com os planos de privatização do novo governo, dada a sua experiência nos anos 1990. Além disso, no momento em que o Brasil se engaja mais fortemente em acordos internacionais e na proposta de abrir sua economia ao mercado global, o BNDES terá papel fundamental, sobretudo diante dos desafios para o país se adaptar às transformações da quarta revolução industrial. (Por Robson Braga de Andrade)

Folha de S. Paulo 

BNDES quer iniciar venda da carteira de ações em setembro

O novo presidente do BNDES, Gustavo Montezano, trabalha na elaboração de um programa de desinvestimento a ser anunciado a partir de setembro. A ideia é montar um cronograma para a venda das participações do banco em outras empresas. Esses ativos, alocados na BNDESPar, o braço de investimentos em ações, somam R$ 110 bilhões. Os papéis serão vendidos de acordo com um plano que será divulgado até o fim do ano. A carteira inclui ações em empresas de setores como energia elétrica, siderurgia, saneamento, petróleo e imobiliário.

O Globo 

Banco cria diretorias dedicadas a atender União, estados e municípios

O novo presidente do BNDES, Gustavo Montezano, remodelou a estrutura de comando do banco, criando novas diretorias, uma delas baseada em Brasília. Entre os novos diretores estará Adalberto Vasconcelos, que foi recentemente exonerado do cargo de secretário do Programa de Parcerias de Investimentos (PPI). Em apresentação a funcionários ontem, Montezano ressaltou que “o BNDES deve ser sustentável e não necessariamente lucrativo” e se comprometeu a “explicar a caixa-preta “.

O Globo 

Estatais ajudam alta do mercado no primeiro semestre

A emissão de ações do IRB Brasil para que a União e o Banco do Brasil deixem a empresa resseguradora, da qual são acionistas, confirmou uma tendência: a venda de ativos de empresas estatais, que impulsionaram o mercado de capitais no primeiro semestre, deve tanto continuar aquecendo a Bolsa, quanto aumentar o volume de fusões e aquisições, a partir de agora. Antecipada pelo Estadão/Broadcast, a operação do IRB tem potencial para atingir R$ 8,5 bilhões. Nessa conta, a fatia do BB vale R$ 4,8 bilhões, e a da União, R$ 3,7 bilhões.

O Estado de S. Paulo 

Faxina no Rio Pinheiros

O governador João Doria (PSDB) anunciou ontem a retomada de ações para limpeza da calha do Rio Pinheiros, na capital paulista, o chamado desassoreamento. O material retirado do rio deve ir para um ponto de secagem em Carapicuíba, na região metropolitana. Anunciada ao custo de R$ 70,5 milhões e com meta de retirada de 1,2 milhão de metros cúbicos de sedimentos nos próximos 12 meses, a empreitada mantém uma ação já adotada no rio, mas em intensidade maior. Nos últimos cinco anos, essa prática retirou cerca de 500 mil metros cúbicos de material do fundo do Pinheiros.

O Estado de S. Paulo

Bolívia fecha acordo para fornecer gás às instalações da russa Acron no Brasil

A YPFB, empresa estatal de energia da Bolívia, selou um acordo para fornecer gás às unidades da gigante russa de fertilizantes Acron no Brasil, disseram as duas partes nesta quinta-feira, abrindo um novo mercado potencialmente importante para o país sul-americano. A estatal boliviana acertou a venda de 2,2 milhões de metros cúbicos de gás natural por dia para a empresa russa por um período de 20 anos, válido a partir de 2023.

Reuters 

Porto do Itaqui terá área ampliada

Até o final deste ano, conforme o Ministério da Infraestrutura, o Porto do Itaqui terá ampliada a área sob jurisdição da Emap – Empresa Maranhense de Administração Portuária, com base na revisão de sua poligonal. Isso significa fortalecer o papel da Autoridade Portuária e atrair mais investimentos privados para o porto público do Maranhão. O anúncio foi feito pelo ministro Tarcísio Freitas, no último dia 5, durante cerimônia de assinatura de portaria que reorganiza as áreas poligonais de 16 portos no Brasil.

Porto e Navios 

Oferta subsequente de ações da Light levanta R$ 2,5 bi

Empenhada num plano de recuperação financeira, a elétrica Light captou R$ 2,5 bilhões em uma oferta subsequente de ações finalizada na noite de ontem, segundo apurou o Valor. Os investidores pagaram R$ 18,75 por ação, o que representou um desconto frente ao preço de tela, uma vez que os papéis fecharam ontem cotados a R$ 20,05, com queda de 0,59%.

Valor Econômico 

Sinal do MME para privatizar eleva ação da Eletrobras

O mercado reagiu positivamente ontem às declarações dadas pelo ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, sobre a privatização da Eletrobras. As ações da elétrica registraram a maior alta do índice Ibovespa. Os papéis ON fecharam o pregão da B3 com valorização de 7,36%, negociados a R$ 38,97. E as ações PN subiram 4,83%, para R$ 39,50. O setor, porém, ainda está apreensivo com a falta de detalhes do novo modelo de capitalização da companhia. Na quarta-feira, em entrevista ao canal de TV “Globo News”, o ministro disse que não via “nenhum sentido” em a Eletrobras ser estatal. Ele afirmou ainda que a privatização da empresa pode render R$ 18 bilhões, valor 50% superior ao previsto no plano anterior de privatização, elaborado no governo de Michel Temer.

Valor Econômico 

Copel inicia a venda de seu braço de telecom

A estatal paranaense Copel deu um importante passo na execução do seu plano de desinvestimentos ontem, quando seu conselho de administração aprovou a contratação dos assessores financeiro e jurídico que vão atuar na venda da Copel Telecom, primeiro dos ativos da estatal de energia que será privatizado. A assessoria financeira ficará com o Rothschild, enquanto o escritório Cescon Barrieu será responsável pelos aspectos jurídicos do negócio.

Valor Econômico 

Brasil tem quase 120 mil consumidores que produzem sua própria energia

O Brasil conta com 119,5 mil unidades consumidoras que recebem energia que elas mesmas produzem por meio da geração distribuída. Os dados são da Associação Brasileira de Geração Distribuída (ABGD), a partir da base de dados da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). Para atender a todos esses consumidores, o País já conta com mais de 1 gigawatt (GW) de potência instalada em 87 mil unidades geradoras.

O Estado de S. Paulo 

Cálculo de indenização ainda suscita controvérsia

As concessionárias que optarem por devolver empreendimentos ao governo terão direito a uma indenização pelos investimentos realizados e ainda não amortizados. Mas o que entra ou não nesse cálculo é objeto de controvérsia. A fórmula proposta pela Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) é ruim para as empresas, afirmou o presidente da Associação Brasileira de Concessionárias de Rodovias (ABCR), César Borges. A entidade apresentou diversas propostas de mudança quando a norma passou por audiência pública. A agência reguladora ainda vai decidir se as acolhe ou não.

Valor Econômico