Início NOTÍCIAS DO DIA

NOTÍCIAS DO DIA

Um resumo das principais notícias sobre infraestrutura e indústrias de base publicadas em jornais e agências de notícias

Dificuldades para fechar acordo deve empurrar solução sobre Oi para 2018

Uma solução para a Oi, cuja recuperação judicial se arrasta desde junho do ano passado, deve ficar somente para 2018. A avaliação é compartilhada hoje por representantes de credores internacionais, de bancos públicos, de investidores e da própria empresa. O ‘Estado’ conversou com oito executivos a par do assunto. Eles afirmam que, a despeito dos avanços recentes, ainda há muitos pontos de divergência sobre o plano e, por isso, são muito baixas as chances de um acordo estar de pé até o dia 7 de dezembro, quando está agendada a assembleia para votar o plano de reestruturação da operadora de telefonia.

Fonte: O Estado de S. Paulo

Empresários temem novo freio na economia e fim das reformas

A implicação do presidente Michel Temer nas delações do empresário Joesley Batista, da JBS, despertou entre os empresários o temor de uma nova trava na incipiente recuperação da economia brasileira, a paralisação do processo de retomada dos investimentos e a paralisação das reformas ­ da Previdência e trabalhista ­ que tramitam no Congresso. Em reação ao episódio, o presidente do Grupo Pão de Açúcar, Ronaldo Iabrudi, encaminhou ontem carta para cerca de cem executivos da companhia alertando para a “crise grave” que o país enfrenta. Ele afirma que a situação não pode abalar “o foco no cliente”.

 

Fonte: Valor Econômico

Futurecom vai discutir desafios das operadoras em SP

A Futurecom, maior feira de TI e telecomunicações da América Latina, começa hoje em São Paulo. A exposição, restrita a profissionais do segmento, vai reunir mais de 250 empresas e tem expectativa de receber cerca de 14 mil visitantes até a próxima quinta-feira, no Transamérica Expo Center.

Fonte: O Estado de S. Paulo

ISA volta a apostar em crescimento no Brasil

Há um ano, a estatal colombiana ISA, que controla a Cteep, não vislumbrava fazer novos investimentos no Brasil. Na última semana de 2016, contudo, a companhia anunciou um acordo para compra de uma fatia no controle da Taesa, por pouco mais de R$ 1 bilhão.

 

Fonte: Valor Econômico

Cemig acredita em acordo com governo para empresa ficar com 4 hidrelétricas, diz presidente

A elétrica mineira Cemig está confiante que vão terminar bem as negociações com o governo federal para a empresa continuar com concessões de quatro hidrelétricas com contratos vencidos e a vencer, disse o presidente da empresa mineira, Mauro Borges, nesta sexta-feira, em entrevista a jornalistas.

 

Fonte: Reuters

Bolsonaro ressalta necessidade de obras de infraestrutura

O presidente Jair Bolsonaro ressaltou na manhã desta quarta-feira, pelo Twitter, a necessidade de realização de obras na área de infraestrutura. Ele apontou para obras coordenadas pelo ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, no Espírito Santo. “Estas destravarão o principal gargalo de tráfego no sul da rodovia que atravessa a área urbana de Iconha. Com 7,8 km de extensão, incluindo a construção de duas pontes sobre o Rio Iconha, e quatro viadutos”, escreveu.

Valor Econômico 

Obra de energia terá até 70% doBNDES

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) financiará até 70% dos investimentos nos projetos de geração e transmissão de energia elétrica a serem licitados em 2016 por leilões públicos do governo federal, seguindo as mesmas condições que vêm sendo aplicadas aos empréstimos do setor elétrico pela instituição de fomento.

 

Fonte: O Estado de S. Paulo

Shell defende fim do limite a grupos privados no pré-sal

Principal parceira da Petrobrás na exploração do pré-sal, a Shell defendeu ontem mudanças na legislação brasileira para permitir que outras petroleiras, além da estatal, liderem projetos na região.

 

Fonte: O Estado de S. Paulo

Mobilidade elétrica vai ser tema de audiência na Aneel

O anúncio foi feito pelo diretor Tiago Barros, que participou do evento Agenda Setorial 2017, no Rio de Janeiro (RJ). Durante o evento, a judicialização do setor foi alvo de queixas dos participantes. Muitos temas têm transcendido o aspecto regulatório e acabam sendo debatidos na justiça. O diretor lamentou que o poder judiciário não esteja tão especializado em energia quanto a agência é, já que isso poderia dar mais celeridade aos processos judiciais que vem assolando o setor elétrico. “Há um custo de aprendizagem enorme e o processo judicial acaba ficando mais lento”, avisa. Segundo ele, na Europa, foram criados fóruns especializados para disputas judiciais envolvendo regulação.

 

Fonte: Canal Energia

Fabricantes de equipamentos subsea mostram otimismo com possibilidade de bonificação

A iniciativa da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) de, finalmente, iniciar a regulamentação dos mecanismos de bônus e incentivos de conteúdo local, previstos Decreto nº 8.637/2016, animou o setor de óleo e gás, especialmente os fabricantes de equipamentos subsea, utilizados para exploração de petróleo no fundo do mar. O decreto instituiu o Programa de Estímulo à Competitividade da Cadeia Produtiva, ao Desenvolvimento e ao Aprimoramento de Fornecedores do Setor de Petróleo e Gás Natural (Pedefor), criado para flexibilizar as regras de conteúdo local e incentivar a cadeia de fornecedores.

Valor Econômico

Reforma na Eletrobras

A Eletrobras começou a se preparar para a privatização. Ontem, em edital de convocação para uma assembleia extraordinária assinado pelo presidente do Conselho de Administração, José Guimarães Monforte, a companhia propôs um reforma integral do estatuto social. Entre as modificações sugeridas estão melhores práticas de gestão e de governança corporativa e compromisso com regras internacionais anticorrupção.

Fonte: Correio Braziliense

ANP discute perdão a petroleiras que não cumpriram conteúdo local

A ANP (Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis) decidiu discutir com o setor o perdão pelo não cumprimento de compromissos de conteúdo local na contratação de bens e serviços. O processo será iniciado com o segmento de pesquisa do subsolo mas pode ser estendido a outros segmentos.

 

 

Fonte: Folha de S. Paulo

Com dívida de R$ 1 bi a vencer, Renova tem nota rebaixada por risco de calote

Em meio a negociações de venda de ativos e entrada de um novo sócio, a Renova Energia teve ontem sua nota de crédito rebaixada por risco de calote. Com vencimentos de quase R$ 1 bilhão nos próximos 90 dias e vivendo a maior crise desde que foi criada, a empresa de energia eólica – que já foi a maior do País
– teve sua capacidade financeira colocada em xeque pela agência de classificação de risco Fitch Ratings.

 

Fonte: O Estado de S. Paulo

Novo ‘boom’ do petróleo deve aliviar a crise do Rio

Retrato da crise financeira que tem assolado os Estados nos últimos anos, o Rio de Janeiro está mais próximo de mudar essa situação. O aumento do Produto Interno Bruto (PIB) fluminense estimado para 2019 é de 6,1%, quase o dobro do esperado para o Brasil, segundo estudo da Tendências Consultoria Integrada, divulgado com exclusividade ao ‘Estado’. Confirmadas as previsões, será a primeira vez desde 2015 que o Estado do Rio vai crescer mais que a média do País.

Fonte: O Estado de S. Paulo

Arbitragem ‘coletiva’ contra Petrobras pode chegar a R$ 20 bi

A “arbitragem coletiva” aberta por investidores contra a Petrobras na Câmara de Arbitragem do Mercado (CAM), da B3, tem o potencial de pleitear até R$ 20 bilhões da estatal em indenizações, caso os principais fundos de pensão que já tiveram ações da companhia resolvam aderir ao processo.

Fonte: Valor Econômico