Podcast Infra para Crescer
Início NOTÍCIAS DO DIA

NOTÍCIAS DO DIA

Serviço de curadoria produzido todas as manhãs no qual é apresentado um resumo das principais notícias sobre infraestrutura publicadas em jornais, agências de notícias e demais veículos de imprensa brasileira, com links para o conteúdo original.

Leilão de térmicas reduziria custo do risco hidrológico

O controverso leilão de contratação de termelétricas a gás natural para substituir um conjunto de usinas a óleo combustível, que serão descontratadas entre 2022 e 2024, pode aliviar a pressão do impacto do risco hidrológico sobre o caixa das distribuidoras. Segundo estimativas da EDP Brasil, a substituição das térmicas a óleo por usinas de custo mais baixo pode resultar em uma redução anual de R$ 2,6 bilhões do impacto do risco hidrológico, medido pelo GSF (sigla em inglês para o fator de ajuste da garantia física de hidrelétricas) para as empresas de distribuição.

Valor Econômico

Privatização da Eletrobras não deve ser aprovada em 2020, diz Maia

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM/RJ), afirmou nesta quinta (6) que a privatização da Eletrobras não deve ser aprovada pelo Congresso neste ano. De acordo com ele, as alterações no calendário das eleições municipais, que postergaram o pleito para novembro, atrapalham o debate sobre a venda da companhia.

Agência Epbr 

Ecorodovias tem lucro líquido de R$127 mi no 2º tri

A administradora de concessões de infraestrutura Ecorodovias informou nesta quinta-feira que teve lucro líquido de R$ 127,4 milhões no segundo trimestre, um aumento de 260,8% em relação ao de um ano antes. Já o resultado operacional da companhia medido pelo lucro antes de impostos, juros, depreciação e amortização (também conhecido pelo mercado como Ebitda) de abril a junho somou R$ 570,5 milhões, alta ano a ano de 32,6%.

Folha de S.Paulo

Socorro a rodovias faz pedágio pagar por duplicação

A MP permite que as concessionárias negociem um novo cronograma de obras com a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT). A redução do ritmo da duplicação, no entanto, não se refletirá de imediato nas tarifas de pedágio cobradas. Os usuários continuarão pagando o mesmo preço. Só ao final das obras, é que pode haver alguma redução do pedágio, encurtamento do contrato de concessão ou uma combinação de ambos.

Fonte: O Estado de S. Paulo

Governo eleva taxa de rentabilidade para atrair investidores para portos

O governo bateu o martelo e vai aumentar a taxa de referência que baliza a rentabilidade dos leilões de áreas portuárias, apurou o Valor. O chamado Wacc (o custo médio ponderado de capital, na sigla em inglês) dos próximos projetos será entre 8,75% e 10,02%, dependendo do empreendimento que for licitado. O Wacc antigo era de 8,03%, considerado baixo por empresas interessadas nas áreas e foi uma das razões que levaram algumas delas a desistir de participar de concorrências recentes. Quanto maior o Wacc, mais atrativo tende a ser o leilão.

Valor Econômico

Artigo: Para melhorar a qualidade de serviços de infraestrutura

A qualidade do gasto público é imprescindível para a retomada do crescimento do Brasil e a redução da pobreza. Ela se torna ainda mais importante num cenário de déficit fiscal, onde a baixa disponibilidade de recursos exige um realinhamento das prioridades. Nesse contexto, é consenso que a participação do investimento privado é peça-­chave para reduzir a dependência dos recursos públicos.

 

Fonte: Valor Econômico

Novo conselho da Eletrobras deve vetar indicações políticas

A nova formação do conselho de administração da Eletrobras, prevista para ser eleita hoje em assembleia de acionistas, e que deve ter como presidente José Luiz Alquéres, não deverá aceitar indicações políticas para as controladas da estatal.

 

Fonte: Valor Econômico

Odebrecht e Allonda estudam disputar PPP de esgoto

Após a concorrida disputa pela concessão de saneamento em Alagoas, a Parceria Público Privada (PPP) de esgoto em Cariacica (ES) também tem movimentado o mercado. Além de operadores tradicionais, a Odebrecht Engenharia e Construção (OEC) e a Allonda Ambiental se preparam para a concorrência – fontes do mercado dizem que as companhias formarão um consórcio, mas as empresas não confirmam, nem negam, a informação.

Valor Econômico

Pandemia derruba repasse de imposto sobre pedágios a municípios de SP

Efeito da pandemia, o repasse do ISS (Imposto Sobre Serviços) sobre os pedágios para municípios paulistas caiu 9% no primeiro semestre, segundo a Artesp (Agência de Transporte do Estado de São Paulo). Foram distribuídos R$ 235 milhões para 283 cidades.

Folha de S. Paulo

Tasso quer que novo marco de saneamento seja  aprovado no Senado sem alterações

De olho na rápida aprovação do novo marco legal do saneamento básico, o senador Tasso Jereissati (PSDB-CE) avalia que a melhor estratégia é manter o texto no Senado da mesma forma como foi aprovado pela Câmara, para evitar que ele volte para a análise dos deputados. Tasso avalia negociar com o governo o veto aos pontos que ele considera ruins da versão dos deputados. Ele é o relator da proposta no Senado e acha que o projeto, como está, é muito favorável às privatizações no setor.

O Estado de S. Paulo 

Novo ministro da Infraestrutura quer pacote para destravar investimentos

O futuro ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, incluiu em sua agenda para o próximo ano um pacote com o objetivo de modernizar a Lei de Licitações, remover entraves burocráticos e reduzir exigências que inibam a participação do setor privado em novos empreendimentos. A lista incluirá projetos em andamento no Congresso e outras medidas. Uma das suas propostas é mudar regras das parcerias público-privadas, para facilitar a montagem de projetos menos complexos.

Folha de S. Paulo

Chinesa BYD planeja elevar produção de módulo solar

A fabricante chinesa BYD está retomando sua capacidade produtiva de módulos para geração solar fotovoltaica no Brasil, depois de ter realizado um “recuo estratégico” entre o fim de 2019 e o início deste ano. Entre empresas que desenvolvem e operam parques solares, o “ex-tarifário” foi inicialmente comemorado, mas se tornou um problema na prática. Grandes geradores, como a Enel Green Power, chegaram a entrar na Justiça defendendo que o benefício havia se tornado ineficaz por novas resoluções da Câmara de Comércio Exterior (Camex).

Valor Econômico

Grupo de transição vai propor imposto menor em troca de implantação mais rápida do 5G

O Grupo Técnico de Comunicações da Transição deve propor ao novo governo a possibilidade de redução de impostos sobre serviços de comunicação em troca da ampliação mais rápida da oferta de 5G e corte do preço de pacotes de serviços para a população, disse nesta segunda-feira (28) o ex-ministro Paulo Bernardo, um dos membros do grupo. Bernardo deixou claro que não há possibilidade de se tentar mexer nos termos dos contratos acertados com as operadoras no leilão do 5G do ano passado, mas afirmou que o novo governo pode conversar com as empresas para tentar ampliar o serviço mais rapidamente em troca de incentivos.

Folha de S.Paulo

PIPELINE: Iguá negocia aporte de R$ 3 bilhões com novo sócio

A companhia de saneamento Iguá contratou os bancos Bradesco BBI e Morgan Stanley para encontrar um novo sócio. Conforme três fontes de mercado, o mandato para o ‘private placement’ já está na rua, com objetivo de uma transação primária de R$ 2,5 bilhões a R$ 3 bilhões (cerca de US$ 500 milhões), numa posição minoritária que pode chegar a co-controle. Bancos e companhia iniciaram conversas com ao menos quatro investidores potenciais: os fundos canadenses Ontario Teachers Pension Plan (OTPP) e CDPQ e os grupos brasileiros Votorantim e Equatorial, apurou o Pipeline.

Valor Econômico

 

Contrato da PPP da iluminação pública pode ultrapassar R$ 7bi

O contrato da Parceria Público-Privada (PPP) de iluminação pública de São Paulo, a maior do país, uma das maiores do mundo e que pode somar mais de R$ 7 bilhões em investimentos, ao longo de vinte anos, poderá ser assinado, finalmente, de forma definitiva em fevereiro. Essa é a expectativa do governo municipal. No segundo semestre, a pedido da procuradoria da cidade, a Fundação Instituto de Administração (FIA) foi contratada para avaliar o contrato, analisando a taxa interna de retorno, preços e indicadores, e apontar se é melhor que a iluminação seja conduzida por uma PPP ou se poderia ser feita uma licitação nas bases da Lei 8.666. O estudo ficou pronto na semana passada.

Valor Econômico