Início NOTÍCIAS DO DIA

NOTÍCIAS DO DIA

Um resumo das principais notícias sobre infraestrutura e indústrias de base publicadas em jornais e agências de notícias

Projeto desobriga Petrobras de participar da extração de petróleo da camada pré-sal

A Câmara dos Deputados analisa o Projeto de Lei 4567/16, do Senado, que retira da Petrobras a obrigatoriedade de participar da extração de petróleo da camada pré-sal. O projeto, que tramita em regime de prioridade, será analisado por comissão especial antes de ser encaminhado ao Plenário. O presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha, anunciou nesta segunda-feira (29) que pretende criar, ainda no primeiro semestre deste ano, a comissão especial que vai analisar as propostas sobre exploração do petróleo do pré-sal.
 
 
Fonte: Agência Câmara de Notícias
 

Moreira Franco: ‘É preciso ter uma estatal de aeroportos’

A operação de aeroportos deficitários exige manter a Infraero como empresa pública, afirma o ministro da Secretaria-Geral, Moreira Franco. Para garantir sua sustentabilidade, ele garante que a estatal ficará com os recursos provenientes da
venda de participação acionária de 49% nos terminais concedidos à iniciativa privada pelo governo anterior.

Fonte: Valor Econômico

Editorial: O alto índice de perda de água

Dentre as recomendações do estudo Perdas de Água 2019, do Instituto Trata Brasil, para evitar o desperdício de nosso “maior manancial”, destaca-se o aumento dos investimentos. Na situação em que se encontra hoje o saneamento básico no País, os investimentos – tanto para a redução das perdas como para a ampliação das redes de água e esgoto – dependem fundamentalmente da aprovação pelo Congresso do novo marco legal para o setor, que facilita a entrada do capital privado. Com as empresas estatais, que dominam no setor, sem recursos para enfrentar esse desafio, é fundamental o concurso das empresas privadas, dispostas a investir.

O Estado de S. Paulo 

Sobrecontratação de distribuidoras terá custo bilionário

O custo da sobrecontratação de energia das distribuidoras, que deve ser arcado pelos acionistas dessas empresas, pode chegar a R$ 14,5 bilhões até 2020, de acordo com pesquisa realizada pela consultoria Thymos Energia. Estudo feito pela empresa indica que hoje há um excedente de 2,8 gigawatts (GW) médios nos contratos das concessionárias, volume equivalente a 6% da carga do país.

 

Fonte: Valor Econômico

Leilões de áreas de óleo e gás já atraíram quase 30 petroleiras

A 4ª Rodada do pré-sal reforçou, na semana passada, a presença das principais petroleiras globais no Brasil, numa investida que começou a ganhar corpo ainda no ano passado e que promete movimentar novas atividades de exploração já a partir deste ano. Ao todo, 27 empresas já investiram R$ 21,1 bilhões na aquisição de ativos nos cinco leilões realizados nos últimos nove meses. A Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) estima em R$ 3,5 bilhões os investimentos mínimos na exploração das 68 áreas leiloadas, desde o ano passado, nas 14ª e 15ª Rodadas de concessões e nas 2ª, 3ª e 4ª Rodadas de partilha do pré-sal.

Valor Econômico

BNDES precisará de fontes alternativas para pagar Tesouro, diz diretor

O BNDES vai precisar de fontes adicionais de recursos se devolver antecipadamente no próximo ano os R$ 180 bilhões cobrados pela União, afirmou nesta terça-feira (3) o diretor da área de crédito da instituição de fomento, Carlos Alexandre Jorge da Costa.

Fonte: Folha de S. Paulo

Petrobras conclui primeira fase de testes de Mero e vai às compras

Quase um ano após iniciar a produção do campo de Mero (parte noroeste de Libra), no pré-sal da Bacia de Santos, a Petrobras concluiu neste mês um primeiro ciclo de testes na área. Ao mesmo tempo em que prepara novos testes, a companhia vai às compras de bens e serviços para o projeto, que deve exigir, da estatal e seus sócios, investimentos superiores a US$ 20 bilhões nos próximos anos. Adquirida no primeiro leilão do regime de patilha, em 2013, por R$ 15 bilhões, pelo consórcio formado entre a Petrobras (40%), Shell (20%), Total (20%) e as chinesas CNPC (10%) e CNOOC (10%), a área de Libra é encarada pela estatal como um dos seus três maiores tesouros no pré-sal, junto dos campos de Lula e Búzios. As reservas recuperáveis do ativo são estimadas em 3,3 bilhões de barris.

Valor Econômico

Sabesp estuda administrar o destino do lixo na Grande São Paulo

Empresa de água e esgoto do governo paulista, a Sabesp estuda agora ampliar sua área de atuação e começar a tratar também da destinação de lixo na Grande São Paulo. A ideia, segundo o presidente Jerson Kelman, é que a empresa possa diminuir o impacto do lixo causado nos aterros sanitários da região metropolitana e, ao mesmo tempo, obtenha energia a partir da queima do material. Essa energia seria usada pela própria Sabesp dentro dos processos de tratamento de esgoto. No ano passado, por exemplo, a empresa gastou R$ 935 milhões com despesas de energia elétrica.

Fonte: Folha de S. Paulo

PPI articula para aprovar lei de saneamento

Em nova tentativa de aprovar um novo marco legal do saneamento básico, o governo aposta na articulação do Programa de Parcerias de Investimentos (PPI) para criar um ambiente de regulação mais moderno visando atrair o investidor privado. Para evitar novos contratempos na aprovação da nova lei, a secretária especial do programa, Martha Seillier, tem acompanhado as reuniões da comissão especial da Câmara que analisa o projeto de lei de autoria de Tasso Jereissati (PSDB/CE) e que já foi aprovado pelo Senado.

Valor Econômico

Multigrain paga R$ 388,16 milhões à Hidrovias do Brasil por distrato

A Hidrovias do Brasil, empresa do Pátria Investimentos, comunicou ao mercado o recebimento de R$ 388,16 milhões devido ao distrato aos contratos de prestação de serviços de transbordo de cargas, transporte fluvial e de operação portuária com a Multigrain. A empresa, vinculada ao grupo japonês Mitsui, encerrará as operações no Brasil este ano.

Revista Portos e Navios

Doria escolhe ex-funcionários da Comgás para agência do setor

Dois ex-funcionários da Comgás foram nomeados diretores da Agência Reguladora de Saneamento e Energia do Estado de São Paulo (Arsesp) pelo governador João Doria. Marcus Vinicius Vaz Bonini trabalhou na concessionária por mais de 30 anos e foi diretor comercial até 2016, quando saiu da empresa. Já Marcos Roberto Lopomo era gerente de assuntos regulatórios até 2015. Entre as atribuições da agência, está “regular, controlar e fiscalizar os serviços de gás canalizado” no Estado, como da própria Comgás. A convocação dos deputados estaduais para a sabatina realizada na tarde de ontem, dia 6, foi feita dois dias antes. A indicação foi publicada no Diário Oficial no sábado, 2.

O Estado de S. Paulo

Sob novo comando, Telecom Italia revê metas de plano estratégico

Três meses depois de assumir o comando da Telecom Italia, Luigi Gubitosi apresentou aos investidores, na sexta-feira, o plano estratégico da companhia, aprovado por seu conselho de administração no dia anterior. As perspectivas do executivo para o período de 2019 a 2021 são menos otimistas que as do seu antecessor, o israelense Amos Genish, demitido pelo fundo ativista britânico Elliott Management, em novembro do ano passado.

Valor Econômico 

Incentivoparagerar energiasolar nas residências nãosaiudopapel

Duas linhas de crédito para a compra de painéis solares por consumidores dispostos a gerar energia em casa, anunciadas em dezembro do ano passado, ainda estão só no papel. Além dos quatro meses já passados, as linhas devem levar ao menos mais dois para serem lançadas pelo Banco do Brasil e pelo BNDES.

 

Fonte: Folha de S. Paulo

Para o governo, não houve surpresa na arrecadação com aeroportos

O presidente-executivo da associação Brasileira da Infraestrutura e Indústria de Base (Abdib), Venilton Tadini, declarou, por meio de nota, que “o resultado satisfatório é fruto de um processo de preparação” que envolveu diálogo entre autoridades públicas, empresas e instituições. “O modelo de concessão de aeroportos em blocos mostrou-se atrativo, o que é fundamental para a continuidade do programa federal de concessões aeroportuárias e uma sinalização importante para estados que desejem transferir para o setor privado aeroportos locais com movimentação menor de passageiros. ”

O Estado de S. Paulo

Statkraft assume ativos da EDP e planeja expansão

A Statkraft, estatal noruguesa de geração de energia elétrica, prevê triplicar de tamanho no Brasil nos próximos anos. A companhia, uma espécie de “Eletrobras da Noruega”, concluiu em novembro a aquisição de oito pequenas centrais hidrelétricas (PCHs) do grupo português EDP no Espírito Santo e detém agora 450 megawatts (MW) de capacidade instalada operacional no país. A empresa enxerga boas perspectivas de crescimento no Brasil a partir do próximo governo e das mudanças em curso no setor elétrico.

Valor Econômico