fbpx
O Barômetro da Infraestrutura Brasileira é uma sondagem semestral realizada pela Abdib e EY de forma digital que captura a opinião de gestores de investimentos e especialistas que apoiam a estruturação de projetos de infraestrutura.
Início NOTÍCIAS DO DIA

NOTÍCIAS DO DIA

Serviço de curadoria produzido todas as manhãs no qual é apresentado um resumo das principais notícias sobre infraestrutura publicadas em jornais, agências de notícias e demais veículos de imprensa brasileira, com links para o conteúdo original.

Abengoa confirma pedido de recuperação judicial no Brasil

A espanhola Abengoa, companhia internacional que atua em geração e transmissão de energia, confirmou nesta terça-feira, 2 de fevereiro, que entrou com pedido de recuperação judicial para três subsidiárias no Brasil.

 

Fonte: Canal Energia

Agências têm direção frágil, apesar do nível de profissionalização

O comando das agências reguladoras brasileiras tem bom nível de profissionalização, mas é frágil na medida em que sofre com a falta de regras para preencher os cargos vagos com rapidez. Essa é a principal conclusão do estudo “Governança das Agências Regulatórias Federais do Brasil”, o primeiro trabalho sobre o perfil dos diretores das agências, realizado pelo Centro de Estudos em Regulação e Infraestrutura da Fundação Getulio Vargas (FGV/Ceri).

 

Fonte: Valor Econômico

Crescem advertências de que o barril poderá chegar a US$ 20

O desalentador início do ano para o petróleo persistiu, ontem, quando os preços tiveram renovadas quedas, tendo o banco Morgan Stanley acrescentado que um número crescente de analistas está advertindo que os preços podem descer a US$ 20 o barril.

 

Fonte: Valor Econômico

Petróleo manterá alta, diz diretor da AIE

A oferta e a demanda de petróleo no mercado internacional vão continuar a ficar mais apertadas, impulsionando os preços da commodity, afirma Neil Atkinson, diretor de petróleo e mercados da Agência Internacional de Energia (AIE). Mas será essencial observar como as sanções dos Estados Unidos ao Irã funcionarão. O especialista diz que o problema com esse cenário de preços mais caros é que os países importadores já começaram a sofrer para se abastecer. Além de a cotação da matéria-prima estar em alta, o dólar também tem se fortalecido, arrefecendo o consumo do petróleo. Se o crescimento mundial for afetado por esse processo, Atkinson crê que a demanda seja comprometida. Sobre o Brasil, o diretor da AIE diz que tem “boas expectativas” sobre a produção do Brasil, que provavelmente decolará no ano que vem.

Valor Econômico

Aéreas de baixo custo já pensam em deixar o País

Pouco mais de um ano após a chegada das primeiras companhias aéreas internacionais de baixo custo ao Brasil, algumas já dão sinais de que podem ir embora. E, apesar da abertura do setor ao capital estrangeiro, não há indicação de que as que ficarem operarão voos domésticos. “Enquanto as outras aéreas forem eficientes, é difícil que as de baixo custo tenham um papel relevante. (…) O diferencial de custo brasileiro não permite tarifas muito baixas.” André Castellini, consultor e sócio da Bain&Company.

O Estado de S. Paulo

Entraves à venda da Sabesp vão além de novo marco

Apesar da euforia do mercado em relação à Sabesp, o governo paulista ainda terá que vencer muitos entraves para desestatizar a companhia de água e esgoto – seja por meio de capitalização ou venda do controle. Desde que a gestão de João Doria (PSDB) anunciou a intenção de privatizar a empresa, as ações dispararam – a alta acumulada é de cerca de 50% no ano. A opção, favorita entre os analistas de mercado, “esfriou” desde que a Medida Provisória 868 caducou, no início de junho. O texto alterava o marco legal do saneamento e favorecia o avanço das companhias privadas. No entanto, a opção não está descartada, segundo o governo. A equipe ainda aguardará o desenrolar de um projeto de lei, já aprovado pelo Senado, que, tal como a MP, altera o marco regulatório e viabiliza a privatização de estatais.

Valor Econômico 

Doria vai criar agências reguladoras para fiscalizar concessionárias e OSs

O prefeito eleito João Doria (PSDB) vai criar agências reguladoras municipais para fiscalizar empresas prestadoras de serviço e organizações sociais que cuidam da gestão de equipamentos públicos. O objetivo é repassar aos órgãos a  responsabilidade pelo acompanhamento das metas a serem impostas à iniciativa privada no pacote de concessões e privatizações anunciado pelo tucano, como a venda dos complexos de Interlagos e do Anhembi, além de supervisionar os concessionários atuais na limpeza, iluminação e transporte público.

 

Fonte: Valor Econômico

Banco do Brasil vai liberar R$ 50 bi para infraestrutura

O presidente do Banco do Brasil, Paulo Caffarelli, disse que a instituição analisa a liberação de até R$ 50 bilhões em crédito para 18 projetos de infraestrutura. A avaliação é de que esse setor será o principal indutor de uma retomada mais sólida do crescimento econômico. O Banco do Brasil liderou um desenho de financiamentos para as concessões que agrada mais ao mercado, diferentemente do adotado na gestão da ex-presidente Dilma Rousseff, quando houve forte concentração no BNDES.

Fonte: O Estado de S. Paulo

Consumo em alta pode elevar preços de energia em maio

Dois fatores relativos ao setor elétrico têm potencial para formar uma “combinação explosiva” para a elevação dos preços de energia no mercado de curto prazo e dos contratos no mercado livre a partir de maio.

 

Fonte: Valor Econômico

Petrobras tenta vender campos no AM

A intenção da Petrobras de vender os campos de gás de Juruá e Azulão representa uma nova chance para que os dois projetos consigam, enfim, sair do papel. Há anos fora das prioridades da estatal, os ativos estão localizados no meio da Floresta Amazônica e demandarão investimentos vultosos em infraestrutura.

 

Fonte: Valor Econômico

Investimento direto em 12 meses chega a US$ 84,5 bi

A demanda estrangeira por ativos brasileiros segue alta mesmo em um ambiente de grande incerteza política, com um ingresso Investimento Direto no País (IDP) de US$ 84,5 bilhões nos 12 meses encerrados em julho, maior patamar nominal desde abril de 2015. A cifra representa 4,37% do Produto Interno Bruto (PIB) e é suficiente para financiar em mais de seis vezes o déficit em conta corrente acumulado no mesmo período, que equivale a 0,71% do PIB, ou US$ 13,788 bilhões.

Fonte: Valor Econômico

Toffoli lança programa para incentivar retomada de obras paralisadas

O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF) e do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), ministro Dias Toffoli, lançou, nesta segunda-feira, o programa Destrava, para retomar obras paradas. O projeto-piloto vai ser realizado em 46 municípios goianos e deverá ser concluído ainda no primeiro semestre. Ao lado do governador de Goiás, Ronaldo Caiado, Toffoli afirmou que a iniciativa vai ajudar a “estabelecer um protocolo de atuação para os demais Estados da federação, viabilizando a replicação do programa em âmbito nacional”.

Valor Econômico

Saneamento parado é trava para Bolsonaro romper fila de 100 milhões sem esgoto

Romper a estagnação no saneamento básico, que é um dos setores mais atrasados da infraestrutura brasileira, é um dos principais desafios do governo Jair Bolsonaro (PSL), a partir de 2019. Sancionada em 2007, a Lei do Saneamento estimava que seriam necessários R$ 304 bilhões em investimentos para universalizar o serviço no país. Um estudo do Instituto Trata Brasil aponta que R$ 72 bilhões foram investidos de 2011 a 2016. O ritmo é muito lento e altamente concentrado em estados mais desenvolvidos como SP, Rio e Minas. Segundo estudo da Confederação Nacional da Indústria, a lentidão dos investimentos e a discrepância entre os estados é tanta que só em 2054 o país conseguiria levar a todos os serviços básicos de saneamento –muito tempo depois da meta de 2033, firmada pelo Plano Nacional de Saneamento Básico.

Folha de S. Paulo

Estado do Rio deve receber US$ 30 bi em investimentos

A economia do Estado do Rio deve receber um novo impulso com os dez leilões de petróleo que vão ocorrer entre este ano e 2019. Segundo estimativa da Agência Nacional do Petróleo (ANP), nos 35 anos de vigência dos contratos, serão US$ 30 bilhões em investimentos, para o desenvolvimento dos campos localizados no litoral do estado, e mais US$ 8 bilhões em royalties, já que a expectativa é que sejam descobertas reservas de, no mínimo, quatro bilhões de barris de petróleo.

 

Fonte: Folha de S. Paulo

Rodovias calculam perda de R$ 1,3 bi

As concessões de rodovias do país tiveram R$ 1,3 bilhão de receitas frustradas durante o auge da pandemia, segundo cálculo da ABCR, associação que reúne os principais operadores do setor. O rombo se refere apenas ao período de março a junho, em que as empresas registraram as piores quedas no tráfego das estradas. As rodovias paulistas somaram a maior parte das receitas frustradas, com uma perda de R$ 850 milhões. Nas concessões federais, a conta ficou em R$ 450 milhões.

Valor Econômico