fbpx
O Barômetro da Infraestrutura Brasileira é uma sondagem semestral realizada pela Abdib e EY de forma digital que captura a opinião de gestores de investimentos e especialistas que apoiam a estruturação de projetos de infraestrutura.
Início NOTÍCIAS DO DIA

NOTÍCIAS DO DIA

Serviço de curadoria produzido todas as manhãs no qual é apresentado um resumo das principais notícias sobre infraestrutura publicadas em jornais, agências de notícias e demais veículos de imprensa brasileira, com links para o conteúdo original.

Sob Bolsonaro, Petrobras acelera venda de ativos e mira acionista

Entre janeiro de 2019 e julho de 2020, a Petrobras abriu 48 processos de vendas de ativos, uma média de 2,5 por mês. O número é bem maior do que os 1,4 por mês abertos durante o governo Michel Temer e oito vezes os 0,4 por mês verificados na segunda gestão Dilma Rousseff. A estatística, elaborada pelo Dieese (Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Sócio-Econômicos) retrata a principal mudança estratégica na companhia sob o comando do economista Roberto Castello Branco, nomeado pelo presidente Jair Bolsonaro para presidir a estatal.

Folha de S.Paulo

Universalização do gás, uma distopia

O Brasil pode finalmente combinar o crescimento da produção de gás natural com um ambiente de negócios favorável ao aproveitamento desse potencial para a geração de riquezas e desenvolvimento. Mas depois de 15 anos de paralisia do setor, nesta reta final da tramitação da Lei do Gás no Senado, o país tem pressa: a janela de oportunidade para o gás funcionar como combustível da transição para uma economia de baixo carbono não é eterna, ao passo que a desindustrialização é uma realidade, intensificada pela ausência de competitividade nesse energético essencial. Ao mesmo tempo, é necessária atenção para que se evitem retrocessos. Contraexemplos podem auxiliar nessa análise.

Valor Econômico

Passarelli e BRK fecham contrato de R$ 1,2 bi

A empresa de engenharia e construção Passarelli acaba de fechar um contrato de R$ 1,2 bilhão com a BRK Ambiental para realizar as obras da concessão de água e esgoto na região metropolitana de Maceió (AL), vencida pela operadora de saneamento em leilão no início deste mês. O valor do contrato pode ainda aumentar para R$ 1,6 bilhão, caso as empresas acertem a inclusão de novos serviços, afirma o presidente da Passarelli, Paulo Bittar.

Valor Econômico 

 

Petrobras deve reportar alta de 5% na produção no 2º tri

A Petrobras deve divulgar amanhã, em seu relatório operacional, crescimento da ordem de 5% na produção de petróleo no Brasil no terceiro trimestre de 2020, ante o segundo trimestre. A estatal produziu, em média, 2,25 milhões de barris diários entre julho e setembro – o que representa uma alta de 5,1% em relação ao trimestre imediatamente anterior e de 4,5% na comparação anual, segundo dados da Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP).

Valor Econômico

Metroferroviários preveem perda de R$ 7,4 bi

Mesmo com a retomada gradual das atividades pelo país, operadores de sistemas de metrô, trens urbanos e Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) ainda enfrentam baixa demanda de passageiros e vivem recuperação lenta. Diante desse cenário, as perspectivas são pessimistas. A ANPTrilhos, associação que reúne operadores públicos e privados, prevê um déficit de R$ 7,4 bilhões nas receitas tarifárias do setor neste ano. Em volume de passageiros, a entidade espera iniciar 2021 com uma redução de cerca de 30%.

Valor Econômico

Mesmo sob dúvidas, MS mantém leilão da PPP de esgoto da Sanesul

A licitação da parceria público-privada (PPP) de esgoto da Empresa de Saneamento do Estado de Mato Grosso do Sul (Sanesul) deve acontecer nesta semana, mesmo após ter sido alvo de questionamentos e tentativas de impugnação por parte de empresas interessadas. A entrega de propostas está marcada para hoje, na sede da B3, em São Paulo. A abertura dos envelopes ocorre na sexta-feira. Em desenvolvimento há pelo menos três anos pelo governo estadual, o projeto vem sendo estudado por diversas empresas, afirmam pessoas que acompanham o processo.

Valor Econômico

Aramco e a Saudi Basic

A Saudi Aramco e a Saudi Basic Industries Corp. vão reavaliar o escopo de um projeto planejado de conversão de petróleo e produtos químicos, na Arábia Saudita, enquanto buscam reduzir gastos em meio a uma queda nos preços de seus produtos, segundo informações da Bloomberg. As duas empresas decidiram reavaliar o projeto Yanbu, na costa do Mar Vermelho, para incorporar as instalações existentes em vez de construir uma inteiramente nova, segundo comunicado da Sabic. Maior empresa de petróleo do mundo, a Aramco pretende dobrar a capacidade de refino para impulsionar sua unidade não lucrativa de “downstream” (refino de gás e energia). A Aramco também comprou uma participação de 70% na fabricante de produtos químicos Sabic do fundo soberano da Arábia Saudita neste ano.

Valor Econômico

Socorro do BNDES às aéreas continua travado

Mais de seis meses se passaram e o BNDES ainda não liberou um centavo do pacote de R$ 6 bilhões prometido às companhias aéreas. A oferta de crédito, anunciada no fim de março, no início da pandemia no Brasil, é considerada cara e de uso restrito. Os recursos não podem ser usados, por exemplo, para pagar dívidas ou comprar aviões, exigências que, para as aéreas, não fazem sentido.  Enquanto as negociações se arrastavam, Gol e Azul ajustaram despesas e formaram caixa suficiente para lidar com a crise. A Latam também ganhou fôlego importante com a recuperação judicial pedida nos EUA. Dezembro é o prazo para as empresas decidirem se tomarão os recursos.

Valor Econômico

Sem pagar conta, governo de Roraima tem luz cortada em serviços não essenciais

Diversas secretarias de administração do governo de Roraima estão no escuro nesta quarta-feira, 14. A concessionária Roraima Energia decidiu dar um basta ao calote que o governo estadual tem dado na conta de luz e enviou agentes para cortar a energia de secretarias que prestam serviços considerados não essenciais, como de saúde e segurança pública.  Ao todo, 16 órgãos do governo estadual ficaram se luz, incluindo a Casa Civil e Ouvidoria. A empresa afirma que fez de tudo para chegar a um acordo de quitação de dívida com o governador Antonio Denarium (ex-PSL, sem partido), mas o caso não avançou. Do início da atual gestão estadual, janeiro de 2019, até agora, já se acumula uma dívida vencida e não paga de aproximadamente R$ 88 milhões.

O Estado de S. Paulo

Presidente da Huawei diz que banimento fará brasileiro pagar mais caro por 5G

No Brasil há seis anos, Sun Baocheng, 43, é apaixonado pelas belezas naturais do país, pela caipirinha de limão e pelo churrasco. A familiaridade com a cultura local deu um empurrão para que, neste ano, ele assumisse o comando da Huawei, gigante global de equipamentos de rede de telefonia e internet, aceitando um dos maiores desafios desde que a companhia se instalou no país, há duas décadas.

Folha de S.Paulo

A insegurança jurídica grita a ouvidos moucos

O Brasil sofre do mal da insegurança jurídica. Exemplo recente é a disputa judicial entre a prefeitura do Rio de Janeiro e a concessionária da Linha Amarela. No ano passado, o prefeito Marcelo Crivella mandou destruir cabines de pedágio após cancelar unilateralmente o contrato de concessão, por julgar o pedágio abusivo. O TJ do Rio concedeu liminares em favor da empresa. No mês passado, o STJ, em decisão monocrática, as derrubou. Esse é um exemplo de populismo que penaliza a todos ao final. Reduz o interesse por investimento em infraestrutura e pressiona as tarifas, que tendem a ser mais elevadas para remunerar riscos regulatórios. Outro exemplo, o Instituto Brasileiro de Direito Aeronáutico aponta que o Brasil responde por 98% das ações cíveis contra companhias aéreas no mundo. (Zeina Latif)

O Estado de S. Paulo

Maersk quer crescer no Brasil e mira aquisições na logística terrestre

A dinamarquesa Maersk, maior empresa de logística integrada do mundo, está de olho no mercado brasileiro e busca agora oportunidades de aquisições para ampliar seu portfólio no Brasil. O grupo passa por uma reestruturação no mundo e quer crescer fora do seu core business, o transporte de longas distâncias. Na esteira das transformações globais, Julian Thomas assumiu, em setembro, a presidência do grupo no Brasil, Argentina, Uruguai e Paraguai após ter sido Diretor Superintendente da Hamburg Süd e Aliança Navegação e Logística, adquiridas pela Maersk em 2017.

O Estado de S. Paulo

Raízen inaugura maior usina de biogás a partir de derivados da cana do mundo

A Raízen, principal grupo sucroenergético do país, inaugurou nesta sexta-feira (16) a maior usina de biogás com produção a partir de derivados da cana-de-açúcar do mundo. Instalada na usina Bonfim, em Guariba (a 339 km de São Paulo), a planta vai produzir o biogás por meio de vinhaça e torta de filtro, dois subprodutos da cana. O projeto da planta de biogás foi iniciado em agosto de 2018 com o objetivo de diversificar o portfólio do grupo, que já incluía por exemplo a produção de etanol de primeira e segunda geração e cogeração de energia elétrica.

Folha de S. Paulo

São Paulo lança plano de investimentos e diz que PIB do estado já voltou ao nível pré-crise

O governador João Doria (PSDB-SP) lançou nesta sexta-feira (16) o Plano de Retomada Econômica 2021/2022 para o estado de São Paulo, que reúne 19 concessões e parcerias público-privadas já anunciadas anteriormente, mas que ainda não saíram do papel, para tentar atrair R$ 36 bilhões em investimentos nesse biênio e gerar 2 milhões de empregos em quatro anos. Ao apresentar o plano, o secretário de Fazenda e Planejamento do estado, Henrique Meirelles, afirmou que a economia paulista cresceu 2,8% em 2019, acima do 1,1% registrado na média nacional, segundo dado do Banco Central, e já está em patamar ligeiramente superior ao nível pré-pandemia, segundo cálculos da Fundação Seade (1,5% acima do nível de fevereiro). Para este ano, Meirelles prevê queda do PIB paulista entre 2% e 2,5%,

Folha de S. Paulo

Em campanha por Covas, Doria dá nova roupagem a seu plano de concessões e atração de investimentos

Em uma entrevista coletiva em que buscou tanto demonstrar apoio ao candidato à reeleição na capital, Bruno Covas (PSDB), quanto pontuar diferenças com a gestão Jair Bolsonaro, o governador João Doria (PSDB) anunciou o lançamento de um plano de retomada econômica após a pandemia do coronavírus que trouxe uma nova roupagem a programas de concessão que já haviam sido anunciados no primeiro ano de governo, mas que ainda estão no papel. São iniciativas como concessão de 22 aeroportos do interior do Estado, em lotes, das Linhas 8 e 9 da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM), rodovias no litoral e no interior, o Ginásio do Ibirapuera, o Jardim Zoológico e a construção de um trem intercidades entre São Paulo e Campinas. Doria estimou que o programa teria capacidade de atrair R$ 36 bilhões em investimentos e gerar 2 milhões de empregos.

O Estado de S. Paulo