fbpx
O Barômetro da Infraestrutura Brasileira é uma sondagem semestral realizada pela Abdib e EY de forma digital que captura a opinião de gestores de investimentos e especialistas que apoiam a estruturação de projetos de infraestrutura.
Início NOTÍCIAS DO DIA

NOTÍCIAS DO DIA

Serviço de curadoria produzido todas as manhãs diariamente no qual é apresentado um resumo das principais notícias sobre infraestrutura publicadas em jornais, agências de notícias e demais veículos de imprensa brasileira, com links para o conteúdo original.

Laércio Oliveira confia que Lei do Gás será aprovada em julho 

O deputado federal Laercio Oliveira (PP/SE) espera que a nova Lei do Gás seja aprovada no plenário da Câmara dos Deputados em julho.  Ele defende que o texto atual contempla os interesses da maioria dos agentes do mercado. “A minha estimativa é que até o final deste mês a gente consiga aprovar o projeto na Câmara (…) O meu esforço vai ser nesse sentido”.

Agência Epbr

Mercado de gás pode gerar até R$ 45 bilhões em investimentos no Rio de Janeiro

O gás natural pode gerar investimentos de até R$ 45 bilhões no Estado do Rio de Janeiro, de acordo com estudo inédito feita pela Firjan. O volume inclui o total de recursos que podem ser gerados com a atração de indústrias de alimentos, vidros, siderurgias e fertilizantes, além da ampliação do uso do gás em veículos leves e pesados.

O Globo

Artigo: Privatizações no mercado de gás

Para potencializar os benefícios do aperfeiçoamento regulatório, é vital que ele ocorra antes das privatizações, ou seja, que os novos controladores das distribuidoras assumam tais empresas já diante de uma nova realidade regulatória a fim de fazerem “valuation” correto dos ativos que adquirirão. A alteração do marco regulatório após as privatizações pode enfrentar dificuldades ou obstáculos jurídicos e contratuais e criar um clima de instabilidade regulatória. Não temos tempo para, após as privatizações, descobrir que perdemos uma oportunidade de fomentar a concorrência, com benefícios para o conjunto da economia. O momento das mudanças que fomentem a concorrência e privilegiem os consumidores de gás natural é agora. Não devemos perder essa oportunidade. (Por Rutelly da Silva e Marcio Jr)

Valor Econômico

Grupo Iberdrola pretende investir € 10 bi em energia “limpa” por ano

A Iberdrola planeja investimento recorde nos próximos anos, na aposta de que a recuperação da crise é uma oportunidade única para o setor de energia se transformar. A empresa, especializada em energia “limpa” e segunda maior de capital aberto na Espanha, investirá €10 bilhões em 2020, uma quantia que o presidente do conselho de administração e executivo-chefe, Ignacio Galán, planeja manter nos próximos anos.

Valor Econômico

50 distribuidoras vão pegar R$ 14,8 bi da Conta Covid

Superada a primeira etapa do programa de apoio às elétricas, com a adesão de quase a totalidade das distribuidoras de energia à “Conta Covid”, o próximo capítulo das discussões no mercado de energia deverá ser concentrado no equilíbrio econômico-financeiro das concessionárias e para quais caberá, ou não, uma revisão tarifária extraordinária.

Valor Econômico 

CPPIB planeja duplicar seus investimentos no Brasil

O fundo de pensão canadense CPPIB (Canada Pension Plan Investment Board) planeja dobrar seus investimentos no país até 2025. Hoje, a América Latina responde por 4% do portfólio global do CPPIB, o que representa cerca de R$ 64 bilhões. A meta do grupo é levar essa fatia a 7% ou 8% – na região, metade dos investimentos estão alocados no Brasil. “O problema não será falta de capital. O desafio será encontrar os projetos, os ativos e os parceiros certos”, afirmou, ao Valor, Rodolfo Spielmann, chefe do grupo na América Latina.

Valor Econômico

MP das empresas aéreas tem alta chance de aprovação

Um dos primeiros itens da pauta é a Medida Provisória (MP) 925, editada para ajudar as empresas do setor aéreo durante a pandemia. O texto chegou a constar na pauta do plenário da Câmara, mas foi retirado após pedido do ministro da Economia, Paulo Guedes. O chefe da equipe econômica pediu que Arthur Maia (DEM-BA) fizesse alterações no texto. O relator, então, solicitou que a análise fosse adiada para esta semana para que pudesse avaliar os pedidos de Guedes. Para não perder a validade, o projeto precisa ser aprovado pela Câmara e pelo Senado até 16 de julho.

Valor Econômico

Artigo: Estímulo a energias renováveis e reformas tributárias

Um rápido olhar para o desenvolvimento de algumas fontes renováveis de energia mostra que o uso de incentivos fiscais e regimes especiais têm sido fundamental para um primeiro estímulo ao setor. Como exemplo, tome-se a energia eólica: há benefícios tributários vigentes para o PIS/Cofins Importação, IPI e ICMS. Isso tudo ao lado da possibilidade de o projeto da usina se enquadrar no Regime Especial para o Desenvolvimento da Infraestrutura, que possibilita a suspensão do PIS e da Cofins incidentes sobre os bens, serviços e locações incorporados nas obras respectivas. Trata-se, aqui, de utilizar-se do princípio do protetor-recebedor: em vez de tributar mais as atividades poluidoras, concedem-se incentivos para as fontes sustentáveis, com a internalização das externalidades positivas. O pressuposto, naturalmente, é a possibilidade jurídica de se conceder esses incentivos direcionados. (Por Tathiane Piscitelli)

Valor Econômico 

B3 abre listagem para fundo de infra

A B3 passará a listar fundos de investimentos de infraestrutura (FI-Infra) e de recebíveis (FIDC). As cotas ficarão disponíveis para negociação tal como ocorre com ações e fundos imobiliários. Um ofício circular será distribuído hoje ao mercado. O plano foi antecipado para o Valor. A iniciativa, segundo Marielle Brugnari, gerente de produtos “cash equities” da B3, responde a uma demanda de corretoras e gestoras de recursos para dar uma porta de saída para investidores que ficavam presos a estruturas de longo prazo, em fundos fechados. “É uma alternativa para vender as cotas no secundário antes do vencimento”, diz.

Valor Econômico 

Metrô do RJ só tem caixa para operar por mais 2 meses

O Metrô do Rio de Janeiro, operado pela Invepar, tem caixa para funcionar apenas até agosto. Depois disso, o sistema corre risco de entrar em colapso, caso não haja qualquer medida de apoio emergencial, afirma o presidente da concessionária MetrôRio, Guilherme Ramalho.

Valor Econômico

Governo do Rio tenta evitar federalização da Cedae

O governo fluminense negocia com o banco BNP Paribas uma ampliação de prazo para o pagamento do empréstimo de R$ 4,4 bilhões que vence em 21 de dezembro, como forma de tentar evitar a federalização da Companhia Estadual de Águas e Esgotos (Cedae). Mas o governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel (PSC), já admite privadamente ceder à União uma fatia no capital da companhia, desde que o Estado permaneça no controle do negócio.

Valor Econômico

SuperVia alerta para risco de colapso financeiro em agosto

Contabilizando perdas mensais de R$ 30 milhões por causa das medidas de isolamento social, a SuperVia, empresa que opera serviços de trens urbanos na região metropolitana do Rio de Janeiro, pode entrar em colapso financeiro na primeira quinzena de agosto. Foi o que afirmou ao Valor o presidente da Gumi, braço de mobilidade urbana da Mitsui e principal acionista da concessionária, Kazuhisa Ota.

Valor Econômico

Governo de SP diz que obras da Linha-6 Laranja do Metrô devem ser retomadas em 90 dias por empresa espanhola

As obras da linha 6- Laranja do Metrô de São Paulo devem ser retomadas em 90 dias, de acordo com o governo estadual. A empresa espanhola Acciona assinou o contrato neste fim de semana com o consórcio Move SP, oito meses após o anúncio realizado pelo governo do estado. As obras devem ser concluídas no período de 4 anos e a Acciona terá um prazo de 25 anos para exploração comercial da linha.

Junho tem o maior volume de vendas do ano, diz Receita

O ministro da Economia, Paulo Guedes, passou a semana reforçando o discurso de que os primeiros indicadores mostram recuperação da economia brasileira em junho. “Abril foi o fundo do poço, em maio começou ligeira recuperação e junho acelerou”, disse ele na sexta-feira, durante evento virtual promovido pela Associação Brasileira de Indústria de Base (Abdib).

O Estado de S. Paulo 

Editorial: Infraestrutura não está imune à pandemia

A pandemia de covid19, como era de imaginar, não poupou a área de infraestrutura. O número de leilões de concessão de rodovias e aeroportos previsto pelo Ministério da Infraestrutura para 2020 teve redução significativa – mais da metade, no caso das rodovias – em decorrência da retração econômica provocada pelo novo coronavírus. O caso dos aeroportos é particularmente delicado porque o setor aéreo foi um dos mais atingidos pela pandemia. No caso das rodovias, a situação não é menos desafiadora. O cronograma de concessões não foi afetado somente pela eclosão da pandemia, mas também por alterações nos próprios projetos.

O Estado de S. Paulo