Início NOTÍCIAS DO DIA

NOTÍCIAS DO DIA

Um resumo das principais notícias sobre infraestrutura e indústrias de base publicadas em jornais e agências de notícias

Política Nacional de Resíduos Sólidos completa uma década, celebra Arnaldo Jardim

Neste ano, em 2 de agosto, a Política Nacional de Resíduos Sólidos completará 10 anos de vigência. Depois de longa tramitação no Congresso Nacional, conseguimos aprovar uma lei revolucionária, em termos ambientais, para enfrentar um problema antigo do país, e do mundo –o que fazer com todo o lixo gerado pela atividade humana.

Poder 360

Com Cedae em crise, especialistas defendem privatização integral

O governo do estado vem apostando na privatização da Cedae como a solução para a falta de saneamento no Rio. Mas, pelo modelo de concessão desenvolvido pelo BNDES, a captação e o tratamento da água na Região Metropolitana, que estão no centro de uma crise, continuariam com a estatal. Diante desse cenário, em que mais de nove milhões de consumidores têm recebido em suas casas água com gosto e sabor de terra desde o início ano, especialistas defendem que todos os serviços prestados hoje pela companhia passem para a iniciativa privada.

O Globo

Rio Bravo terá fundo de crédito para infraestrutura

A gestora de recursos Rio Bravo passará a atuar com crédito para o segmento de infraestrutura com o lançamento de um fundo de investimentos em direitos creditórios (FIDC). Nessa nova área, está, desde o fim do ano passado, Sergio Brandão, que de 2013 a 2019 liderou os investimentos em energia da gestora britânica Actis no Brasil.

Valor Econômico

Fundo quer reunir debenturistas da Rodovias do Tietê

Depois que os controladores da Rodovias do Tietê voltaram atrás em tratativas para injetar novos recursos na empresa, a Journey Capital resolveu lançar no mercado um fundo para tentar dar voz aos debenturistas pessoa física da concessionária no âmbito do processo de recuperação judicial. Em novembro passado, a Journey recebeu autorização da Comissão de Valores Mobiliários (CVM) para estruturar esse fundo. Para viabilizar a distribuição e divulgação do produto, fechou parcerias com a gestora Vitreo e a casa de análise Empiricus.

Valor Econômico

Debate sobre privatização atrasa plano da Eletrobras

A incerteza sobre a aprovação ainda este ano do projeto de lei (PL) relativo à capitalização e privatização da Eletrobras está atrasando a definição do plano diretor de negócios e gestão (PDNG) da elétrica para 2020-2024, previsto inicialmente para ser lançado no fim do ano passado. O principal ponto em aberto, apurou o Valor, é a previsão de investimentos para 2020 e os anos seguintes, que poderá mudar sensivelmente, dependendo do avanço do processo de desestatização ainda em 2020.

Valor Econômico

Rio é o primeiro estado a abrir mercado de distribuição de gás natural

O Rio de Janeiro é o primeiro estado do país a abrir o mercado de distribuição de gás natural, atendendo às mudanças propostas pelo governo federal para o setor. A Agência Reguladora de Energia e Saneamento Básico do Rio (Agenersa) aprovou ontem a criação da figura do consumidor livre, que poderá escolher de quem comprar o gás natural, se demandar mais de 10 mil metros cúbicos por dia.

O Globo

Região Metropolitana do Rio aprova privatização da Cedae

Representantes de 17 das 22 prefeituras da Região Metropolitana participaram na manhã de ontem de uma reunião no Palácio Guanabara que aprovou o novo modelo de concessão da Cedae. Nem todas foram a favor da privatização da companhia, que está no centro de uma polêmica sobre a qualidade da água distribuída: na votação (sendo que cada município tem um peso, de acordo com a população), Rio de Janeiro e São Gonçalo — cidades mais populosas do estado —se posicionaram contra a medida.

O Globo

Bradesco prepara ingresso em mercado de energia

O Bradesco avalia entrar no lucrativo mercado de comercialização de energia elétrica. Segundo maior banco privado do País, ele é o único entre os pesos pesados do sistema financeiro que não atua neste segmento. Recentemente, a área de atacado do Itaú Unibanco, o Itaú BBA, criou o seu próprio braço de comercialização, seguindo os passos de Santander Brasil e BTG Pactual. Mais antigo no segmento – adquiriu a Coomex em 2010, o banco de André Esteves está hoje entre as principais comercializadoras do Brasil.

O Estado de S. Paulo

Congresso mantém impostos sobre a importação de equipamento para energia solar

O Congresso manteve o veto presidencial ao projeto que pretendia isentar de impostos a importação de equipamentos para a geração de energia solar. Houve 22 votos pela derrubada, quando eram necessários 41 para reverter a decisão presidencial. O governo justificou o veto ao texto alegando que ele não indicava medidas para compensar a renúncia de receitas no Orçamento.

Poder 360

Geração distribuída atingirá 11 GW de capacidade instalada em 2029

O Brasil atingirá 11 GW instalados de capacidade a partir da micro e minigeração distribuída em 2029, com 1,3 milhão de clientes em todos os estados, o que representará cerca de 2,3% da carga total do sistema nacional, no final da década. A previsão faz parte do Plano Decenal de Energia (PDE) 2029, divulgado nesta terça (11) pelo Ministério de Minas e Energia e a Empresa de Pesquisa Energética (EPE).

Agência Epbr

Concessão terá 44 ativos neste ano, diz Freitas

O ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas, disse que o ritmo de entregas do programa de concessões do governo federal será mantido neste ano, com previsão de oferta de mais 44 ativos. Segundo ele, será possível concluir cerca de 52 obras neste ano. “Vamos entregar praticamente uma obra por semana”, afirmou. Para Freitas, o governo Jair Bolsonaro conseguiu estruturar o programa de concessões “mais sofisticado do mundo”. Isso porque boa parte dos riscos da economia brasileira enfrentados pelos investidores será endereçada nos novos modelos de contrato.

Valor Econômico

Redução do preço do gás pode adicionar R$ 43 bilhões em investimentos

A Empresa de Pesquisa Energética (EPE) adicionou um cenário no Plano Decenal de Energia (PDE) 2029 considerando ganhos de competitividade que podem elevar a participação do gás natural na oferta interna de energia do país, elevando em R$ 43 bilhões a demanda projetada por investimentos. No cenário de referência, apresentado em novembro do ano passado, a EPE calculava que a nova infraestrutura de gás demandaria R$ 18 bilhões em dez anos. Considerando um cenário de redução de preços, que permita o maior uso do energético na geração de energia e, especialmente, na indústria, a projeção de investimentos sobe para R$ 61 bilhões.

Agência Epbr

Geração de energia da Petrobras recua em 2019, mas entrega de gás nacional sobe

A geração de energia elétrica da Petrobras em 2019 ficou em 2.028 MW med, número 8% abaixo do registrado em 2018. De acordo com a empresa, a queda na produção veio em decorrência de uma melhora no cenário hidrológico. Segundo a Petrobras, a redução na demanda acabou se refletindo nas vendas de gás natural. Apesar do recuo, a estatal destaca o aumento da entrega de gás nacional, que passou de 49 milhões m³/dia para 51 milhões m³/dia, principalmente devido à maior produção do pré-sal na Bacia de Santos e o aumento da participação de GNL na oferta total devido aos menores preços do insumo no mercado internacional.

Canal Energia

Artigo: Investimento privado para o bem do Brasil

Em meio à crise fiscal, o crescimento não pode depender apenas dos gastos dos governos, cuja capacidade de investir é muito limitada e, em alguns casos, até inexistente. O setor privado vai ser cada vez mais importante na ampliação dos investimentos. Em razão disso, a atuação das empresas deve ser estimulada por medidas firmes de política econômica. Esta é a chave para a retomada do desenvolvimento econômico e social do País e, por consequência, para a geração de empregos, o aumento da renda e o bem-estar da população. (Por Robson Braga De Andrade)

O Estado de S. Paulo

Guedes apoia modelo de obrigações em 5G, diz Anatel

O presidente da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), Leonardo Euler de Morais, disse ontem que já contou com a sinalização positiva do ministro da Economia, Paulo Guedes, para dar andamento à definição de regras do leilão da quinta geração da telefonia móvel (5G) sem o viés arrecadatório. Com isso, a agência continua apostando no modelo de licitação que privilegia a definição de uma lista de obrigações de investimentos no setor em vez de forçar o aumento de preço das outorgas de serviço para ampliar a arrecadação da União.

Valor Econômico