LeftRight

Tag : Rodovias


O governo estuda editar uma medida provisória que vai alongar o prazo para que as concessionárias que venceram os leilões de rodovia no governo Dilma Rousseff concluam suas obras de duplicação. No mesmo texto, deverá estar o programa de concessão de rodovias para manutenção. Nos contratos, o prazo para duplicar o trecho concedido é de cinco anos. Mas, por causa da retração econômica e da falta de financiamento do BNDES e, em alguns casos, da Lava Jato, as concessionárias não conseguirão cumprir esse prazo.

Fonte: O Estado de S. Paulo

O governo federal estuda desenvolver um mecanismo de proteção cambial para as rodovias a serem licitadas. Além disso, planeja o lançamento de concessão de gestão estruturada para administração e conservação de estradas federais e a criação de um fundo com recursos da União e gerenciado pela Caixa Econômica Federal (CEF) para bancar obras e Parcerias Público-­Privadas (PPPs) em cidades menores, nas áreas de mobilidade urbana, saneamento, resíduos sólidos e iluminação pública.

 

Fonte: Valor Econômico

Depois dos aeroportos, o governo estuda editar uma medida provisória (MP) para favorecer concessionários das rodovias, que teriam prazo maior para investir. Segundo uma fonte da equipe econômica, a medida provisória permitirá o reescalonamento dos investimentos para aliviar o fluxo de caixa dos concessionários. As exigências dos contratos, porém, seriam mantidas e teriam de ser executadas.

Fonte: O Globo

A última leva de concessões de rodovias federais caminha para a estagnação de investimentos. O diagnóstico é de César Borges, presidente da Associação Brasileira das Concessionárias de Rodovias (ABCR) e ex-­ministro dos Transportes, após a derrota que as operadoras das rodovias leiloadas no governo Dilma Rousseff sofreram com a medida provisória das concessões, a MP 752, aprovada no Congresso na quarta­-feira.

 

Fonte: Valor Econômico

As operadoras de rodovias leiloadas no governo Dilma Rousseff sofreram um revés na reta final de tramitação da medida provisória que trata das concessões problemáticas em infraestrutura. Um mecanismo da MP 752 autorizava essas concessionárias a adiar o prazo de duplicação das estradas arrematadas nas licitações de 2013 e 2014, mas mudanças de última hora frustraram os planos das empresas.

 

Fonte: Valor Econômico

O Congresso deve criar um mecanismo para que as concessões rodoviárias de 2013 tenham mais prazo para fazer obras de duplicação que estão atrasadas, evitando que elas tenham que ser relicitadas. Essa ideia, que é defendida pelas concessionárias do setor, ganhou força entre os parlamentares à frente da Medida Provisória das Concessões, que está em análise no Congresso, e deve receber uma emenda específica para essa permissão.

 

Fonte: FolhaOnline

As concessões do PIL foram desenhadas em 2013 supondo que o Brasil cresceria 2,5% ao ano ao longo de toda a concessão, de 30 anos. O BNDES deveria financiar 70% dos projetos, cobrando a Taxa de Juros de Longo Prazo (TJLP) mais 2% ao ano. Em troca, as concessionárias teriam de duplicar as rodovias em cinco anos.

Fonte: O Estado de S. Paulo

O governo federal já tem em mãos propostas para estimular a retomada de obras em concessões de rodovias feitas nos últimos três anos que estão empacadas. A regra é similar à discutida para aeroportos: reavaliações podem ser feitas, desde que os consórcios mudem, em um esforço claro para bloquear as empresas envolvidas na Operação Lava-Jato.

 

Fonte:O Globo

O governo estuda conceder à iniciativa privada até 15 novos trechos de rodovias. Apenas dois lotes de estradas federais foram incluídos na primeira rodada do Programa de Parcerias de Investimentos (PPI), lançado em setembro do ano passado, mas a ideia é ampliar significativamente a lista de projetos.

 

Fonte: Valor Econômico

Ao mesmo tempo em que mira oportunidades de concessões no setor de infraestrutura – incluindo saneamento, rodovias e iluminação pública – a Conasa se prepara para ir à bolsa nos próximos cinco anos. A empresa, com sede em Londrina (PR), foi constituída em 2007 com foco inicial em serviços de água e esgoto.

 

Fonte: Valor Econômico

Com duras críticas ao trabalho da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), o procurador do Tribunal de Contas da União (TCU) Júlio Marcelo de Oliveira quer impedir que as concessionárias de rodovias sejam autorizadas a incluir novos investimentos em seus contratos. Em representação enviada ao ministro Augusto Nardes, Oliveira solicitou a expedição de uma cautelar congelando aditivos contratuais.

Fonte: Valor Econômico

Empresas de porte médio ficaram frustradas com o edital do governo paulista para a concessão de 574 km da rodovia SP-333, entre Florínea e Igarapava, no centro-oeste do Estado. Alegam que, ao contrário do que o governador Geraldo Alckmin (PSDB) sinalizou ao anunciar o pacote de concessões no fim de 2015, o edital recém-lançado tira do páreo pequenas e médias empresas ao concentrar os desembolsos com a outorga na largada. O governo contesta.

 

Fonte: Valor Econômico

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), vai apresentar a investidores hoje, em Nova York, lotes de concessão para quatro rodovias. O objetivo é atrair empresas e fundos estrangeiros para investimentos de mais de R$ 8,4 bilhões.

 

Fonte: Valor Econômico