LeftRight

Tag : petróleo


O governo aumentou em cerca de R$ 4 bilhões as suas expectativas de arrecadação com os leilões de áreas de petróleo e gás deste ano, depois de incluir a terceira rodada de partilha do pré­-sal no calendário de licitações do ano. . O secretário-­executivo do MME destacou, ainda, que a série de leilões previstos pelo governo até 2017 no setor petrolífero deve render à União uma arrecadação potencial de R$ 24 bilhões.

Fonte: Valor Econômico

O sucesso das próximas rodadas de licitação de óleo e gás pode destravar investimentos de cerca de US$ 6 bilhões (R$ 18,6 bilhões) até 2019. Um estudo da Associação Brasileira das Empresas de Serviços de Petróleo (ABESPetro), em parceria com a consultoria Accenture, mostra que o aumento das atividades, sobretudo em exploração, pode ajudar a indústria petrolífera a recuperar, nos próximos três anos, os empregos perdidos no setor nos últimos anos.

 

Fonte: Valor Econômico

A Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) elevou suas estimativas para a produção de petróleo fora do grupo em 2017, com o aumento da atividade de exploração do xisto betuminoso nos Estados Unidos em resposta aos preços mais altos do petróleo, que vem ameaçando as tentativas da organização de equilibrar o mercado.

 

Fonte: Valor Econômico

A produção nacional de petróleo caiu 1,6% em janeiro, na comparação com dezembro, de acordo com a Agência Nacional do Petróleo (ANP). Ao todo, foram produzidos, em média, 2,687 milhões de barris diários no mês, o que representa crescimento de 14,2% em relação a janeiro de 2016. A produção de gás natural totalizou 109,9 milhões de metros cúbicos diários em janeiro, queda de 1,6% em relação a dezembro. Na comparação anual, houve aumento de 13,1%.

 

Fonte: Valor Econômico

Após meses de divergências internas, o governo definiu ontem as novas regras de conteúdo local nos próximos leilões de petróleo e gás. As exigências de nacionalização dos bens e serviços usados pelo setor foram reduzidas praticamente à metade quando comparadas às atuais, adotadas pelo governo Dilma Rousseff.

 

Fonte: Valor Econômico
 

A Galp deve participar de pelo menos um leilão de áreas de petróleo no Brasil este ano. A empresa planeja ficar com a área adjacente ao bloco BM­S­8, onde foi descoberto campo de Carcará, na Bacia de Santos, que passou a ser operado pela Statoil.

 

Fonte: Valor Econômico

Após dois anos de intensa recessão na indústria de petróleo e gás mundial, as petroleiras deverão aumentar em 7% o total de investimento mundial neste ano, ante as quedas nos desembolsos de 27%, em 2016, e 21%, em 2015, de acordo com estimativas da consultoria Deloitte.

 

Fonte: Valor Econômico

Puxada pelos projetos do pré-sal, a produção nacional de petróleo cresceu 2,9% em 2016, segundo dados divulgados ontem pela Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP). Ao todo, foram produzidos, em média, 2,509 milhões de barris diários no ano passado, patamar recorde registrado no país.

 

Fonte: Valor Econômico

A Petrobras registrou queda nas reservas de petróleo pelo segundo ano consecutivo. A companhia informou ontem que, de acordo com o critério ANP/SPE (Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis / Society of Petroleum Engineers), as reservas provadas de óleo e gás natural equivalentes atingiram 12,514 bilhões de barris em 31 de dezembro do ano passado, 5,7% inferior aos 13,279 bilhões de 31 dezembro de 2015.

 

Fonte: O Globo

Em meio à previsão de aumento nos investimentos globais em óleo e gás, o governo pretende adotar um calendário de leilões anuais de áreas exploratórias, um pleito antigo das petroleiras. Este ano, a expectativa é voltar a atrair as grandes multinacionais com a oferta de várias áreas no pré-sal, após o fim da operação única da Petrobras no regime de partilha.

 

Fonte: Valor Econômico

A recuperação do preço do petróleo está estimulando empresas estrangeiras a voltarem a investir em exploração no Brasil. Sem perfurar poços no país desde 2014, quando os preços da commodity começaram a cair, a francesa Total e a norueguesa Statoil anunciaram planos de voltar a explorar o mar brasileiro.

 

Fonte: Valor Econômico

Com o recorde mensal de produção nacional de petróleo, de 2,301 milhões de barris/dia, divulgado ontem, a Petrobras alcançou a meta de produção média em 2016, de 2,14 milhões de barris diários, pelo segundo ano consecutivo, após 13 anos de insucessos no cumprimento do objetivo.

 

Fonte: Valor Econômico

O Ibama emitiu oito licenças de operação para produção de petróleo e gás em 2016, contra três em 2015. Entre todos os tipos de empreendimentos que exigem a autorização, esse foi o que mais cresceu em volume. O aumento de permissões em 2016 deve-se à entrada de projetos do pré-sal em maior número -de operação e de testes-, além de dois gasodutos.

 

Fonte: Folha de S. Paulo

A Comissão de Ciência e Tecnologia aprovou ontem projeto de Cristovam Buarque que destina parte dos recursos da indústria do petróleo e de empresas do setor elétrico para pesquisa e desenvolvimento de fontes alternativas de energia. A proposta segue agora para análise da Comissão de Assuntos Econômicos.

 

Fonte: Jornal do Senado

A nova rodada de licitação de áreas exploratórias da Comissão Nacional de Hidrocarbonetos do México (CNH) negociou oito dos dez blocos em águas profundas ofertadas ontem, na quarta fase da Rodada 1. O principal destaque ficou com o consórcio formado pela norueguesa Statoil, a britânica BP e a francesa Total, que arrematou duas áreas.

 

Fonte: Valor Econômico