LeftRight

Tag : Petrobras


Atrás da cerca em torno do Estaleiro Rio Grande, da Ecovix, está o fio de esperança de parte dos trabalhadores demitidos do polo naval. A empresa está parada e em recuperação judicial desde dezembro, após cortar 4 mil funcionários em dois meses, mas a eventual retomada da construção do casco da plataforma P­-71 empregaria 2,8 mil pessoas por 16 meses, com investimento estimado em US$ 280 milhões. A obra fazia parte do lote de oito unidades encomendadas pela Petrobras em 2010.

 

Fonte: Valor Econômico

O governo corre para fechar o programa Avançar, com obras ou etapas de obras importantes a concluir até o final de 2018. Antes restrito aos projetos tocados com recursos do Orçamento Federal, o programa ganhou ontem novos componentes, com a inclusão de investimentos em energia a cargo de Petrobrás e Eletrobrás e o programa Minha Casa, Minha Vida. Originalmente estimado entre R$ 53 bilhões e R$ 59 bilhões, o programa poderá ser acrescido de cerca de R$ 200 bilhões.

 

Fonte: O Estado de S. Paulo

A suspensão de obras e contratos pela Petrobras nos últimos três anos deixou um rastro de dívidas, inadimplência e equipamentos estocados em pátios de fábricas sem destino certo. Segundo a Associação Brasileira de Máquinas e Equipamentos (Abimaq), as dívidas de empresas da cadeia de óleo e gás somam R$ 286 milhões. Deste total, R$ 198,6 milhões referem-se a equipamentos já entregues.

 

Fonte: O Globo

A intenção da Petrobras de vender os campos de gás de Juruá e Azulão representa uma nova chance para que os dois projetos consigam, enfim, sair do papel. Há anos fora das prioridades da estatal, os ativos estão localizados no meio da Floresta Amazônica e demandarão investimentos vultosos em infraestrutura.

 

Fonte: Valor Econômico

Ao abrir oficialmente o processo de venda do campo de Azulão, na Bacia do Amazonas, a Petrobras pretende atrair principalmente petroleiras com experiência na Amazônia ou empresas do setor elétrico interessadas em investir na construção de uma termelétrica no modelo gas­to­wire (geração de energia na cabeça do poço).

 

Fonte: Valor Econômico

A Petrobras já sinalizou ao governo que pretende exercer o direito de preferência pela operação de algumas, mas não todas, as áreas do pré­sal da segunda e terceira rodadas de partilha, em outubro. A informação foi dada ontem pelo ministro de Minas e Energia, Fernando Coelho Filho, que vê com otimismo o interesse das grandes petroleiras globais pelas duas licitações, que, juntas, exigirão um bônus mínimo de assinatura de R$ 7,75 bilhões.

 

Fonte: Valor Econômico

O campo de Azulão, no bloco BA­3, na Bacia do Amazonas, é oficialmente o primeiro projeto a ser oferecido ao mercado, no âmbito do nova sistemática de venda de ativos da Petrobras, que incorpora os ajustes exigidos pelo Tribunal de Contas da União (TCU). O campo foi o primeiro ativo a ter o “teaser” (alerta de venda) enviado ao mercado, por meio de fato relevante divulgado na noite de segunda­-feira.

 

Fonte: Valor Econômico

A Petrobras divulgou ontem o seu primeiro balanço “limpo” dos últimos anos -­ sem efeitos não recorrentes relevantes -­ e o resultado líquido, um lucro de R$ 4,45 bilhões de janeiro a março, veio acima das estimativas dos analistas. Um ano antes, a estatal teve prejuízo de R$ 1,24 bilhão. A despeito de uma leve queda de receita, por conta de vendas de menores de combustíveis no mercado interno, a empresa registrou as margens bruta e operacional mais altas da década, em 35% e 21%, respectivamente.

 

Fonte: Valor Econômico

A Petrobras anunciou ontem a inclusão da refinaria de Pasadena, no Texas (EUA), e de sua fatia de 50% na PetroÁfrica em sua carteira de desinvestimentos. A estatal brasileira mantém em US$ 21 bilhões a meta de venda de ativos para o biênio 2017-­2018 e caminha para reduzir ainda mais a sua participação no mercado internacional.

 

Fonte: Valor Econômico

O Conselho Nacional de Política Energética (CNPE) fixou em R$ 4,35 bilhões o bônus de assinatura total das quatro áreas do pré­-sal que serão ofertadas este ano na terceira rodada de partilha. De acordo com resolução, publicada ontem, que autoriza a realização da licitação, a Petrobras terá até 30 dias para manifestar seu direito de preferência em entrar em cada uma das áreas como operadora.

 

Fonte: Valor Econômico

O presidente da Petrobrás, Pedro Parente, disse ontem que os acordos de leniência fechados com o Ministério Público Federal, mesmo que com aval do Tribunal de Contas da União, não são suficientes para retirar as empresas da lista de fornecedores impedidos de fazer negócios com a estatal. Parente disse que a determinação precisa vir do governo federal, por meio da Advocacia-Geral da União (AGU) e do Ministério da Transparência (CGU).

 

Fonte: O Estado de S. Paulo

A Petrobras informou ontem a noite que concluiu a venda da fatia de 90% que detém na Nova Transportadora do Sudeste (NTS) para a Nova Infraestrutura Fundo de Investimentos Participações (FIP), fundo gerido pela Brookfield. A estatal recebeu a parcela de US$ 4,23 bilhões referente à venda da transportadora, após todas as condições precedentes e ajustes previstos no contrato.

 

Fonte: Valor Econômico

A Petrobras se prepara para concluir o primeiro trem da Refinaria Abreu e Lima (Rnest), em Pernambuco. A estatal contratou a empreiteira nacional Qualiman Engenharia e Montagens e assinou esta semana uma ordem de serviço para retomada das obras de construção da unidade de abatimento de emissões (SNOX), que permitirá que a primeira fase do projeto opere a plena carga.

 

Fonte: Valor Econômico

A Eletrobras vai apresentar em até 15 dias, à Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), os documentos que sustentam a posição da companhia de que tem direito a receber recursos do fundo setorial para custear o uso de combustível para geração termelétrica no Norte.

 

Fonte: Valor Econômico