LeftRight

Tag : Petrobras


O presidente da Petrobrás, Pedro Parente, disse ontem que os acordos de leniência fechados com o Ministério Público Federal, mesmo que com aval do Tribunal de Contas da União, não são suficientes para retirar as empresas da lista de fornecedores impedidos de fazer negócios com a estatal. Parente disse que a determinação precisa vir do governo federal, por meio da Advocacia-Geral da União (AGU) e do Ministério da Transparência (CGU).

 

Fonte: O Estado de S. Paulo

A Petrobras informou ontem a noite que concluiu a venda da fatia de 90% que detém na Nova Transportadora do Sudeste (NTS) para a Nova Infraestrutura Fundo de Investimentos Participações (FIP), fundo gerido pela Brookfield. A estatal recebeu a parcela de US$ 4,23 bilhões referente à venda da transportadora, após todas as condições precedentes e ajustes previstos no contrato.

 

Fonte: Valor Econômico

A Petrobras se prepara para concluir o primeiro trem da Refinaria Abreu e Lima (Rnest), em Pernambuco. A estatal contratou a empreiteira nacional Qualiman Engenharia e Montagens e assinou esta semana uma ordem de serviço para retomada das obras de construção da unidade de abatimento de emissões (SNOX), que permitirá que a primeira fase do projeto opere a plena carga.

 

Fonte: Valor Econômico

A Eletrobras vai apresentar em até 15 dias, à Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), os documentos que sustentam a posição da companhia de que tem direito a receber recursos do fundo setorial para custear o uso de combustível para geração termelétrica no Norte.

 

Fonte: Valor Econômico

O conselho de administração da Petrobrás aprovou ontem a recondução do presidente da companhia, Pedro Parente, para um mandato de dois anos. Parente havia sido eleito para o cargo em 31 de maio de 2016, em continuidade ao mandato de Aldemir Bendine.

 

Fonte: O Estado de S. Paulo

A Petrobras cortou 20% do seu pessoal desde 2013, um ano antes do início da Operação Lava Jato e da queda do preço do barril de petróleo no mercado internacional. A redução do quadro de pessoal é parte de uma estratégia de enxugamento para economizar dinheiro e adaptar a força de trabalho aos cortes de investimentos realizados após a Lava Jato e à cotação menor do petróleo.

 

Fonte: Folha de S. Paulo

Sócios em Libra, no pré­sal da Bacia de Santos, Petrobras e Shell saíram em defesa da flexibilização das exigências do conteúdo local para o projeto, previsto para 2020. Às vésperas da audiência pública da Agência Nacional de Petróleo (ANP) que discutirá o pedido de perdão pelo não cumprimento dos índices de conteúdo local (‘waiver’) da primeira plataforma de Libra, executivos das duas petroleiras afinaram o discurso e afirmaram ontem que, com os atuais índices de nacionalização, previstos no contrato de partilha, de 2013, não há investimentos.

 

Fonte: Valo Econômico

A Petrobras espera que a renegociação do contrato de cessão onerosa com a União seja concluída ainda este ano e mantém a expectativa de ser credora no processo. Segundo a diretora de Exploração e Produção da companhia, Solange Guedes, existe a possibilidade de o eventual pagamento pelo governo ser feito em volume de petróleo, porém essa alternativa exigiria uma mudança na legislação.

 

Fonte: ValorEconômico

A Petrobras pretende recorrer ao Superior Tribunal de Justiça (STJ) contra a decisão da 20ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJRJ), que confirmou decisão na primeira instância e manteve em vigor um contrato de afretamento de sonda entre a estatal e a Diamond Offshore. O contrato prevê o pagamento de taxa diária de US$ 450 mil pelo consórcio liderado pela Petrobras à companhia de perfuração americana.

 

Fonte: Valor Econômico

A nova versão do plano de desinvestimentos apresentada pela Petrobras e aprovada pelo Tribunal de Contas da União (TCU) prevê que a estatal divulgue ao mercado todos os atos relativos aos processos de venda de ativos, desde a publicação do inteiro teor do “teaser” (alerta de venda disparado para os potenciais interessados) até a conclusão do projeto. De acordo com acórdão do TCU sobre o tema, a nova versão do plano definiu que a publicidade passa a ser regra para os projetos de venda de ativos, ao contrário do modelo anterior, que determinava o estrito sigilo do processo.

 

Fonte: Valor Econômico

Caberá ao Supremo Tribunal Federal (STF) decidir sobre a conclusão da venda das participações da Petrobras nos campos de Baúna, na Bacia de Santos, e de Tartaruga Verde, na Bacia de Campos. A transação, fechada por US$ 1,5 bilhão, está parada desde novembro devido a uma liminar concedida pela Justiça Federal de Sergipe.

 

Fonte: Valor Econômico

A Petrobras assinou acordo de venda de US$ 2,225 bilhões em participações em campos de petróleo nas áreas de Iara e Lapa e duas termelétricas na Bahia para a francesa Total. A estatal, porém, levará ao menos 30 dias para receber o montante de US$ 1,675 bilhão, equivalente a 75% da operação. A conclusão do negócio depende da manifestação dos sócios da Petrobras na área de Iara. Eles podem exercer o direito de preferência para adquirir a fatia da petroleira.

 

Fonte: O Globo

Entre as exigências está a publicação prévia de fato relevante sobre a oportunidade do negócio a ser alienado. A estatal também vai ter de permitir a habilitação de quaisquer interessados em adquirir o ativo. Em deferência ao “princípio da igualdade, da impessoalidade e da competitividade”, a Petrobras também terá de divulgar a todos os licitantes as informações levantadas no processo de perguntas e respostas e garantir aos participantes oportunidades iguais de negociação.

 

Fonte: Valor Econômico

Estatais símbolos da soberania nacional e principais produtoras de petróleo de seus respectivos países, seguem planos de negócios focados no controle da dívida e na prática de preços de mercado. Para muito além da semelhança dos nomes, a Petróleo Brasileiro (Petrobras) e a Petróleos Mexicanos (Pemex) passam por um momento de reestruturação muito parecido.

 

Fonte: Valor Econômico

A Petrobras produziu no mês passado, no Brasil, 2,23 milhões de barris de petróleo por dia, um volume 3% menor que a produção de dezembro. Em comunicado enviado ao mercado, a estatal explicou que essa queda foi causada, principalmente, pela parada programada na plataforma P­40, no campo de Marlim Sul, na Bacia de Campos, e à manutenção em um dos poços produtores interligados ao FPSO Cidade de Anchieta, no Parque das Baleias, também na Bacia de Campos.

 

Fonte: Valor Econômico