LeftRight

Tag : BNDES


Após duras críticas à atual diretoria do BNDES, a Fiesp enviou carta ao banco com sugestões para mudar políticas da instituição. A nova política operacional do BNDES elevou o custo médio do crédito por causa da redução do limite de financiamento com TJLP. A Fiesp pede que os limites anteriores sejam retomados.

 

Fonte: Valor Econômico 

A mudança assegura que parte do lucro líquido anual do BNDES seja mantido no caixa para dar suporte aos orçamentos da instituição. Pelo estatuto, um percentual mínimo de 25% de dividendos do BNDES será repassado à União, que poderá requerer, além disso, remuneração complementar de mais 35% do resultado. Preserva­-se, assim, 40% do lucro ajustado do banco no exercício do ano anterior. A medida reforça a independência financeira do BNDES, segundo avaliação da própria instituição de fomento.

 

Fonte: Valor Econômico

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) lança, na próxima semana, um programa de compartilhamento de garantias em financiamentos de projetos de infraestrutura. O objetivo é facilitar e dar mais agilidade à liberação de recursos para as empresas responsáveis pelas obras. A executiva explicou que esse compartilhamento será válido para a fase de execução das obras.

Fonte: O Globo

O mercado de capitais foi uma das poucas fontes de financiamento a ganhar participação no saldo de dívida das empresas ao longo do ano passado e, segundo especialistas, tem todas as condições de repetir o protagonismo em 2017. Na composição do funding corporativo, a fatia de títulos de crédito emitidos no mercado local não só cresceu como, de modo surpreendente, superou a participação do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) pela primeira vez em pelo menos dez anos.

 

Fonte: Valor Econômico

No ano passado, pela primeira vez em uma década, o mercado de capitais superou o BNDES no estoque de financiamento das empresas. O fenômeno deve se repetir neste ano graças a dois fatores: a decisão do governo de reduzir o volume de crédito subsidiado, forçando o BNDES a rever seu papel na economia, e a queda da taxa básica de juros (Selic), que ajuda a tornar mais atraentes os retornos de papéis emitidos por empresas.

 

Fonte: Valor Economico

O BNDES está alterando as exigências para a concessão de novos empréstimos. O banco só vai liberar recursos a partir de agora para empresas que assinarem um termo anticorrupção declarando que a condução de seus negócios segue estritamente a lei. A medida será adotada para todo e qualquer novo financiamento de projetos que envolvam contratos com a administração pública ou parceria com entes públicos, segundo o diretor jurídico da instituição, Marcelo Siqueira.

 

Fonte: O Estado de S. Paulo

AGENDA: BNDES

30/03/2017

30 de março. Empresários da Abdib recebem a presidente do BNDES, Maria Silvia Bastos Marques, além de diretores do banco de fomento, para discutir aspectos da política operacional do BNDES e propostas para o financiamento dos investimentos de infraestrutura.


A Vinci Partners foi escolhida pelo BNDES para ser a gestora de um fundo de energia sustentável com patrimônio de R$ 500 milhões e prazo de 15 anos. A ideia é investir em projetos de infraestrutura de baixo carbono por meio do BNDESPar, que participará como cotista com no máximo 50%. O gestor vai analisar e escolher o projetos que tenham rentabilidade. Além da Vinci Partners, que possui R$ 20 bilhões de ativos sob sua administração, outros gestores de peso participaram da seleção, cuja conclusão estava prevista para o fim deste mês.

 

Fonte: Folha de S. Paulo

“A meta do BNDES é passar de R$ 4 bilhões para R$ 10 bilhões o volume de debêntures (corporativas e de projetos de infraestrutura) em dois anos”, diz Eliane Lustosa, diretora da área de mercado de capitais do banco. “Estamos avançando na estruturação de debêntures nas novas concessões e em fundos de infraestrutura. As debêntures estão na carteira do banco e agora vamos colocar no mercado.”

 

Fonte: Folha de S. Paulo

. Os créditos precisam de novo aval da diretoria do banco de fomento, mesmo de linhas anteriormente aprovadas. Na quinta-­feira, um time do alto escalão da Odebrecht esteve na sede do BNDES disposto a definir o futuro das linhas de exportação. Da conversa, conforme fontes que acompanham o caso, saíram respostas animadoras à empresa.

 

Fonte: Valor Econômico

Os acordos de leniência fechados com o Ministério Público Federal (MPF) pelas empresas da Lava-Jato são fundamentais para que essas companhias voltem a contratar empréstimos com o BNDES, disse ao Valor a presidente do banco, Maria Silvia Bastos Marques.

 

Fonte: Valor Econômico

As duas instituições financeiras federais que mais fomentam investimentos públicos e privados em saneamento básico no país, o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e a Caixa, tiveram um ano de 2016 bastante ruim nesse segmento por causa da recessão, da crise fiscal de Estados e municípios, de problemas técnicos de projetos e até devido à Operação Lava-­Jato.

 

Fonte: Valor Econômico

O volume de consultas para financiamentos do BNDES melhorou nos dois primeiros meses deste ano em relação ao ano anterior, disse ontem a presidente do banco, Maria Silvia Bastos Marques. Segundo ela, a expectativa é que 2017 seja um ano melhor em relação a 2016 e que acontecem sinais de retomada da economia.

 

Fonte: Valor Econômico

O BNDES lançou nesta quinta (23) os editais para a contratação de estudos para investimentos em saneamento dos Estados que se habilitaram a participar do programa de concessões do governo para o setor. O primeiro lote inclui seis Estados: Pernambuco, Maranhão, Pará, Amapá, Sergipe e Alagoas. Dezoito consórcios se habilitaram para participar. Os vencedores farão estudos sobre as melhores alternativas para cada Estado. Segundo o banco, o próximo lote terá Paraíba, Rio Grande do Norte, Ceará, Acre e Santa Catarina.

 

Fonte: Folha de S. Paulo