LeftRight

Tag : Abengoa


Um dos maiores grupos privados de transmissão de energia do país, a Taesa, que venceu o maior lote do último leilão de transmissão da Aneel, em abril, também planeja fazer aquisições de ativos já em operação no setor, principalmente das espanholas Abengoa e Isolux e da estatal brasileira Eletrobras. Conta a favor o baixo nível de alavancagem, de 1,7 vez, medido pela dívida líquida/Ebitda, e a posição de caixa ao fim do primeiro trimestre, de R$ 730 milhões.

 

Fonte: Valor Econômico

A Abengoa teve mais uma vitória na disputa com a União e a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) sobre os processos de caducidade de suas concessões, ao mesmo tempo em que ganhou mais tempo para conseguir propostas vinculantes de investidores interessados em seus ativos. A Justiça do Rio de Janeiro negou na semana passada os recursos apresentados pela agência e a União pedindo para retomar o processo de caducidade das linhas de transmissão da Abengoa, que está em recuperação judicial desde o início do ano passado.

 

Fonte: Valor Econômico

A Abengoa teve uma vitória significativa em seu processo de recuperação judicial: a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) terá de abrir um processo para revisar a receita e os prazos de suas linhas de transmissão em construção.

 

Fonte: Valor Econômico

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) pretende recorrer à própria juíza que concedeu liminar suspendendo o processo de caducidade de obras da transmissora espanhola Abengoa, em recuperação judicial, que estava em curso na autarquia.

 

Fonte: Valor Econômico

A juíza da recuperação judicial da Abengoa acatou um pleito apresentado pela companhia no mês passado e determinou a suspensão do processo de caducidade das obras, ao mesmo tempo em que intimou a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) e o Ministério de Minas e Energia (MME) a alterarem a receita e o cronograma das linhas de transmissão em construção.


O colegiado da diretoria da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) deve analisar ainda em 2016 a instrução da área técnica recomendando a caducidade dos ativos da Abengoa que não foram alvos de interesse pela Equatorial Energia junto com o fundo de participações dedicado a infraestrutura gerido pelo BTG – ou seja, todas as outras concessões não operacionais.

Fonte: Valor Econômico

Uma solução no Legislativo para a situação da Abengoa foi descartada com o veto ­ já previsto ­ à Medida Provisória (MP) 735, mas a companhia ainda tenta uma alternativa no Judiciário para acelerar a relicitação dos ativos em construção. O presidente Michel Temer sancionou na sexta-­feira a MP 735, convertida na Lei 13.360, com 17 vetos em relação ao texto original aprovado no Congresso.

 

Fonte: Valor Econômico

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) ainda acredita em uma “solução de mercado” para pelo menos alguns dos ativos em construção da Abengoa, disse ontem Romeu Rufino, diretor-­geral da agência reguladora, em conversa com jornalistas.

 

Fonte: Valor Econômico

Em dificuldades, a companhia paralisou as obras do chamado “linhão pré-Belo Monte”, um projeto de 1.854 km de extensão. Segundo a agência, se aparecer algum comprador para os ativos da empresa, o processo será suspenso.

 

Fonte:O Estado de S.Paulo

O texto da MP prevê a relicitação das concessões, que não estão em operação, dentro do processo de recuperação judicial, algo nunca feito no país. A sociedade de propósito específico (SPE) criada para cada projeto se manteria, com todos os seus contratos de fornecedores e credores, alterando-­se só o controle ­ sai a Abengoa e entra um novo investidor. A MP pode ser colocada em votação hoje na Câmara. Caso não seja apreciada, ela caduca no dia 20 deste mês.

 

Fonte: Valor Econômico

A indústria de equipamentos e materiais elétricos tenta usar uma medida provisória assinada pelo presidente Michel Temer durante sua interinidade para salvar os contratos de fornecimento firmados com a multinacional espanhola Abengoa, evitando os riscos de uma perda bilionária para pesos­-pesados do setor, como a Siemens. O grupo ibérico entrou em recuperação judicial e paralisou as obras de várias linhas de transmissão.

 

Fonte: Valor Econômico

A renegociação das dívidas de cerca de R$ 1 bilhão da Abengoa Bioenergia Brasil, braço sucroalcooleiro da companhia espanhola de energia Abengoa, deve se prolongar até o fim do ano. A empresa vem discutindo com seus credores um plano de reestruturação de seus débitos há meses.

 

Fonte: Valor Econômico

O acordo preliminar de reestruturação firmado pela Abengoa com credores e investidores na última semana, na Espanha, não terá impacto para os ativos da companhia no Brasil. Segundo duas fontes com conhecimento do assunto, mesmo a holding tendo negociado a transformação de parte da dívida em ações da empresa, no Brasil a estratégia continua sendo a venda de ativos em operação e construção, no âmbito da recuperação judicial.

 

Fonte: Valor Econômico

Uma eventual relicitação das linhas de transmissão da espanhola Abengoa pode acontecer ainda neste ano, se depender dos esforços da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), afirmou ontem o ministro de Minas e Energia, Fernando Coelho Filho. Segundo o ministro, a Aneel está atualmente em meio ao processo de notificar as empresas e declarando caducidade de ativos. 

 

Fonte: Valor Econômico