Notícias do Dia – 15/04/2024

134

Sabesp avança em modelo de oferta e atrai grupos

Grandes companhias e gestoras de investimentos têm se preparado para disputar a privatização da Sabesp, mas ainda aguardam a confirmação das regras do processo, que avançaram nos últimos dias. A expectativa é que algumas informações sejam divulgadas na quarta-feira (17), após a reunião do Conselho Diretor do Programa de Desestatização (CDPED). Porém, a companhia tem colocado nos bastidores que seu prazo final para o desenho final da oferta é maio.

Valor Econômico

 

Minas Gerais tem 10 projetos de rodovias

O Estado de Minas Gerais vive uma onda de novas concessões rodoviárias em estruturação. Entre iniciativas federais e estaduais que poderão sair até o fim de 2025 há cerca de dez projetos em estudo, de blocos de estradas que atravessam o Estado. Na última semana, o governo federal licitou um trecho da BR-040, entre Belo Horizonte e Juiz de Fora, e já prepara outros dois projetos: a continuação da BR-040, entre a capital mineira e Cristalina (GO), a chamada Rota dos Cristais; e a BR-381, entre a capital e Governador Valadares (MG), conhecida como a Rodovia da Morte.

Valor Econômico

 

Privatização ruim une direita e esquerda

Privatizações sempre foram tabu no Brasil. Pesquisas de opinião pública realizadas nas últimas décadas sempre revelaram reservas da maioria da população quanto a esse tema. Ao longo de nossa história, o Estado assumiu a responsabilidade pelo provimento de serviços como telecomunicações, energia, transporte ferroviário e saneamento básico. No entanto, com a crise fiscal que se aprofundou nos anos 1980, cresceu a percepção de que o Estado não tinha mais condições de manter e muito menos expandir as redes de infraestrutura existentes.

Valor Econômico

 

Autor de ação que afastou presidente do Conselho da Petrobras já representou outras três vezes contra estatal

O autor da ação que resultou na suspensão de Pietro Sampaio Mendes do cargo de presidente do Conselho de Administração da Petrobras já havia ajuizado outros dois recursos contra integrantes do colegiado, tendo conseguido o afastamento de um deles. O responsável pelas três ações populares é o deputado estadual Leonardo Siqueira (Novo), que está em seu primeiro mandato na Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp). O parlamentar também havia protocolado, em outubro do ano passado, outro recurso que pretendia barrar a assembleia geral que viria a aprovar, no mês seguinte, mudanças no estatuto da empresa, abrindo caminho para indicações políticas na estatal.

O Globo

 

Ministro diz que é preciso modernizar contratos de energia e defende ‘link direto’ de prefeitos com distribuidoras

O ministro de Minas e Energia, Alexandre Silveira, disse que é preciso modernizar os contratos de concessão de distribuição de energia elétrica. O ministro participa do Fórum Brasileiro de Líderes em Energia, que acontece nesta sexta-feira em Copacabana, na Zona Sul do Rio de Janeiro. Recentemente, Silveira disse que o Ministério de Minas e Energia determinou à Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) a abertura de processo que pode levar à caducidade da concessão da distribuidora de energia Enel São Paulo, após as constantes interrupções no fornecimento de energia.

O Globo

 

Com R$ 1,5 bilhão em investimentos, CCR começa obras na Serra das Araras

A operadora de concessões de infraestrutura CCR começará nesta sexta-feira as obras da nova subida da Serra das Araras, em Piraí (RJ), no lado fluminense da Rodovia Presidente Dutra. O novo trecho, com quatro pistas e 8 quilômetros de extensão, majoritariamente sobre pontes e viadutos, deverá ficar pronto em 2028. São R$ 1,5 bilhão em investimentos, incluindo a reforma da atual pista de subida, que será convertida em descida da serra. As obras, que deverão gerar 5 mil empregos, começarão com a licença ambiental concedida pelo Inea, órgão estadual de regulação e fiscalização do meio ambiente do Rio. 

O Globo

 

No 1º evento após críticas do ministro de Minas e Energia, Prates defende exploração na Margem Equatorial e ignora crise

No primeiro evento público desde o início dos rumores de que poderia ser substituído, Jean Paul Prates, presidente da Petrobras, defendeu a margem equatorial e falou dos planos para a área internacional. O executivo, no entanto, não falou sobre a crise recente da distribuição dos dividendos extras da estatal e das críticas do Ministro de Minas e Energia, Alexandre Silveira. Ele participou de evento organizado pela Associação Brasileira das Empresas de Bens e Serviços de Petróleo (Abespetro), que lançou o Caderno 2024, que projeta quase 1 milhão de empregos no setor até 2029.

O Globo

 

Artigo: Setor energético está crescentemente dominado por populismo, lobbies e privilégios especiais

O Brasil produz em boa medida energia de qualidade a custos relativamente baixos. Parte relevante dela é renovável e seu volume pode crescer aceleradamente no futuro próximo, habilitando o País a fabricar novos produtos (amônia, combustível para aviação e outros) crescentemente demandados pelo processo de descarbonização da economia global. Entretanto, a imensa maioria de nossos consumidores paga caro, bem caro mesmo, pelo que consome. E o setor está crescentemente dominado por populismo, lobbies e privilégios especiais que impedem a definição de uma estratégia de crescimento consistente, que premie nossas vantagens comparativas, inclusive quanto a localização e fonte. E sem a necessidade de subsídios que onerem ainda mais a dívida pública.

( José Roberto Mendonça de Barros )

O Estado de S.Paulo

 

Energia: pequenos negócios já representam 70% das adesões ao mercado livre

Sete em dez novos entrantes do mercado livre de energia são empresas de pequeno e médio porte. Nesse segmento, os preços são negociados livremente entre compradores e vendedores. No total, 5.363 novos clientes migraram para o mercado livre no primeiro trimestre deste ano. Em março, dos 1.494 clientes, 69% eram empresas beneficiadas pela portaria, que permitiu o ingresso das companhias menos intensivas no consumo de energia. Os dados são CCEE (Câmara de Comercialização de Energia Elétrica).

Folha de S.Paulo

 

Navios reduzem capacidade para não encalhar em portos com infraestrutura defasada

A infraestrutura de portos brasileiros está defasada e não comporta navios produzidos nos últimos anos, que são maiores e demandam mais profundidade no acesso aos terminais para atracarem. É o que apontam representantes e entidades do setor. Neste mês, a ABPA (Associação Brasileira de Proteína Animal), que representa companhias como BRF, Cargill e Seara, afirma ter ido ao Ministério de Portos e Aeroportos pedir obras de ampliação dos calados (profundidade para atracação) nos portos do país.

Folha de S.Paulo

 

Projeto solar no RN conta com benefício para investimento, financiamento e contrapartida social

A construção da sexta maior planta de energia solar do país, no município de Açu (RN), contou com benefícios fiscais, contrapartidas sociais e condições especiais de financiamento. Inclusive em relação à tributação dos recursos estrangeiros para o projeto tocado por três empresas norueguesas. A localização privilegiada em termos de disponibilidade solar e a proximidade com linhas de transmissão também foram fatores importantes para a escolha da localização da usina da Mendubim, segundo Deborah Canongia, VP de novos negócios da Scatec para a América Latina.

Folha de S.Paulo

 

Subsídios fazem pobres pagarem energia renovável para os ricos, diz CEO da Engie Brasil

O executivo Mauricio Bähr, CEO do grupo Engie no Brasil, afirma que o modelo de subsídios para energias renováveis no Brasil se esgotou. Agora, funciona como um “Robin Wood às avessas”, transferindo renda dos mais pobres para os ricos. Bähr acompanhou com preocupação o anúncio da medida provisória que prometia reduzir a conta de luz. Assinada pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), ela faz o inverso, prorrogando esses benefícios. “Não é o governo que arca com isso, são os consumidores de baixa renda que acabam pagando esses custos”, afirma.

Folha de S.Paulo