Notícias do Dia -13out2023

137

Itaipu banca obra de aeroporto e atua até em abrigo para emas

O tratado internacional da usina Itaipu Binacional, em Foz do Iguaçu (PR), completa 50 anos neste ano, em momento que coincide com o fim do pagamento do empréstimo de US$ 63,5 bilhões (valor histórico) para viabilizar a execução do projeto em parceria com o Paraguai. Porém, o feito de saldar a dívida bilionária é ofuscado por iniciativas dos dois países de destinar recursos para projetos não associados aos serviços de geração de energia ou à compensação pelo impacto da usina. Críticos à postura dos governos acusam a administração da usina de inflar as despesas operacionais para bancar obras de interesse de políticos da região, o que limita os cortes no preço da energia.

Valor Econômico

 

Contabilidade de despesas de Itaipu é escândalo, diz frente de consumidores

Entidades dos consumidores têm dirigido duras críticas à forma como o Brasil e o Paraguai contabilizam despesas da empresa binacional, sem poder reduzir ainda mais o custo da energia. O presidente da Frente Nacional dos Consumidores de Energia, Luiz Eduardo Barata, classifica o que vem sendo feito pelos países como um “escândalo”. Barata ressalta que, descontados todos os valores de investimentos, manutenção e administração da usina, além do pagamento de royalties, todos os ganhos financeiros deveriam ser abatidos do custo da energia. Isso inclui a folga de caixa gerada pela liquidação da dívida.

Valor Econômico

 

Preço baixo de energia elétrica trava mais de R$ 10 bilhões em fusões e aquisições

O baixo preço da energia elétrica neste ano colocou em compasso de espera um conjunto de operações de fusões e aquisições (M&A, na sigla em inglês) do setor, que prometia ser o mais ativo do ano. No cálculo de bancos de investimento, um volume superior a R$ 10 bilhões em vendas de ativos estavam na mesa neste ano, mas agora tendem a ter o desfecho em 2024 ou 2025.

Valor Econômico

 

Atual cenário pode inviabilizar novos projetos de geração renovável

Se a energia barata é boa para os consumidores, para as empresas geradoras a situação não está favorável. O cenário pode levar ao represamento de investimentos por falta de viabilidade econômica para os projetos, já que o custo marginal de expansão está maior. O relato de executivos do setor é que uma conjunção de fatores no setor elétrico ligados aos subsídios excessivos, reservatórios cheios, sobreoferta de energia e demanda estacionada podem paralisar a expansão do setor elétrico no país.

Valor Econômico

 

Transição energética abre oportunidade para Brasil exportar biocombustíveis, diz vice-presidente da Shell

Com um ecossistema de pesquisa e produção avançando em torno da bioeconomia, o Brasil poderá ter uma grande vantagem em oportunidade em exportação de biocombustíveis e outros produtos com a transição energética, avalia Yuri Sebregts, diretor executivo de Tecnologia e vice-presidente global da Shell. — Tanto biocombustíveis como outros bioprodutos serão uma parte importante da solução para a transição energética. E esses bioprodutos continuarão a ser uma oportunidade em exportação para o Brasil em mercados internacionais. Sempre haverá países interessados em comprar bioenergia — estima ele.

O Globo

 

Receita da União com royalties do petróleo e dividendos cai em 2023 e acende para contas públicas

A queda nas receitas federais neste ano tem surpreendido o governo, acendendo um sinal de alerta no mercado sobre o equilíbrio das contas públicas. A receita total da União caiu 3,5% nos 12 meses encerrados em agosto — por fatores diversos, que incluem, entre outros, os efeitos de uma desoneração de impostos feita às pressas pelo governo Jair Bolsonaro às vésperas da eleição e o rescaldo da crise enfrentada por algumas grandes empresas como a Americanas. E, se depender do petróleo, que nos últimos anos ajudou a turbinar os cofres públicos, o cenário não vai mudar até dezembro.

O Globo

 

Eletrobras e sindicatos fecham acordo no TST sobre plano de demissão voluntária

A Eletrobras e entidades sindicais chegaram a um acordo homologado pelo Tribunal Superior do Trabalho (TST) sobre o programa de demissão voluntária da empresa de 2023. A decisão é do ministro Agra Belmonte e foi tomada na terça-feira. Com o acordo, o processo de demissão voluntária será reaberto por 30 dias para empregados elegíveis nas mesmas condições oferecidas em julho de 2023, com inscrições limitadas a 101 colaboradores. Ainda de acordo com os termos firmados pelo TST, os inscritos no programa de 2023 que trabalhem em atividades de operação e manutenção ou no Centro de Serviços Compartilhados (CSC) serão desligados a partir de 1º de janeiro de 2024.

O Globo

 

Credores da Light querem saber por que empresa fez pagamento de títulos da dívida pouco antes da recuperação judicial

Um grupo de credores da Light está questionando o resgate antecipado de títulos da dívida (debêntures) da companhia realizado no fim de março, menos de duas semanas antes do pedido de uma medida cautelar à Justiça para suspender pagamentos de obrigações financeiras pelo grupo. Esses títulos estavam com o fundo de investimento do FGTS (FI-FGTS), gerido pela Caixa. O documento, assinado pelos escritórios FCDG e LE Advogados — assessores jurídicos de detentores de títulos de dívida da Light —, foi apresentado por Vórtx e VxPavarini, que representam debenturistas de emissões não atendidas no pagamento de março e que, juntos, somam R$ 2,9 bilhões em créditos da dívida de mais de R$ 11 bilhões na recuperação judicial da companhia.

O Globo

 

Presidente do BNDES diz que banco estará junto com Petrobras na Margem Equatorial

Aloizio Mercadante presidente do BNDES, destacou que quer estreitar as relações com a Petrobras e defendeu os investimentos da estatal na Margem Equatorial, área que vai do litoral do Amapá até o Rio Grande do Norte. A Bacia da Foz do Amazonas é parte dessa área, considerada a nova fronteira petrolífera do país, mas teve perfurações da Petrobras impedidas pelo Ibama por conta de riscos ambientais. A estatal recorreu ao órgão e espera uma reavaliação. Mercadante afirmou que, nas duas últimas décadas, o BNDES financiou projetos da estatal que somam R$ 78 bilhões, como gasodutos, áreas de exploração e refinarias, entre outros projetos. Agora, foca no financiamento de fornecedores da estatal. Ele discursou hoje no seminário “Caminhos para Transição Energética Justa no Brasil”, na sede do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), no Centro do Rio.

O Globo

 

Eletrobras poderá retomar programa de demissão voluntária após acordo com sindicatos ser homologado

O Tribunal Superior do Trabalho homologou o acordo firmado entre a Eletrobras e entidades sindicais a respeito do Plano de Demissão Voluntária (PDV 2023). Com a decisão, foi revogada a medida judicial que havia suspendido os desligamentos dos empregados que aderiram ao PDV 2023 e cuja homologação ainda não havia sido efetivada até 1º de setembro. Desta forma, a companhia agora efetivará aquelas rescisões que estavam suspensas. Além disso, foi definido também o cronograma de saída para os demais empregados que tinham aderido ao PDV 2023, sendo 150 adicionais neste mês de outubro, 150 em novembro, e 200 em dezembro de 2023.

O Estado de S.Paulo

 

Maior parque eólico offshore em construção do mundo começa a alimentar rede do Reino Unido

A primeira turbina a ser concluída no Dogger Bank, maior parque eólico offshore (em alto-mar) em construção do mundo, começou a abastecer residências e empresas britânicas. O parque eólico anunciou na terça-feira, 10, que a energia da primeira turbina eólica offshore do projeto está agora sendo transmitida para a rede nacional do Reino Unido. Segundo o anúncio, cada rotação das pás de 107 metros de comprimento da primeira turbina operacional do parque eólico pode produzir energia limpa suficiente para abastecer uma casa média britânica durante dois dias.

O Estado de S.Paulo

 

Reservas comerciais de petróleo bruto disparam nos EUA

As reservas comerciais de petróleo bruto nos Estados Unidos dispararam em 10,2 milhões de barris (mb) na semana passada, de acordo com números divulgados pela Agência americana de Informação sobre Energia (EIA, na sigla em inglês), nesta quinta-feira (12). O resultado, que surpreendeu os analistas que esperavam uma queda, deve-se ao aumento da produção e a uma queda das exportações. Os estoques de gasolina caíram 1,3 mb, mais do que o esperado. Os preços do petróleo bruto, que estavam no azul antes da publicação do relatório, continuavam a subir por volta das 15h20 GMT (12h20 em Brasília), embora o ritmo de aumento tenha se moderado.

Folha de S.Paulo

 

Opep mantém previsão de crescimento da demanda de petróleo para 2024

A Opep (Organização dos Países Exportadores de Petróleo) manteve nesta quinta-feira (12) sua previsão de crescimento relativamente forte da demanda global de petróleo em 2023 e 2024, citando sinais de uma economia mundial resiliente até o momento este ano e a expectativa de novos ganhos de demanda na China. A demanda mundial de petróleo aumentará em 2,25 milhões de barris por dia (bpd) em 2024, em comparação com o crescimento de 2,44 milhões de bpd em 2023, disse a Organização dos Países Exportadores de Petróleo em um relatório mensal.

Folha de S.Paulo

 

Acordo entre sindicato e Eletrobras barra 101 demissões sem justa causa

A Eletrobras e entidades sindicais chegaram a um acordo sobre o plano de demissão voluntária (PDV) da empresa, suspenso pelo TST (Tribunal Superior do Trabalho) em setembro. Com isso, o processo será reaberto por 30 dias, com novas inscrições restritas a 101 trabalhadores. O acordo foi homologado pelo ministro relator Alexandre de Souza Agra Belmonte na terça-feira (10), segundo comunicado do tribunal. À Folha, o ministro afirma que a nova decisão deve ser publicada até sexta (13).

 Folha de S.Paulo

 

Pedágio pode subir 11% se concessões ficarem fora de regime especial, diz setor

O setor de infraestrutura vai reforçar a ofensiva no Senado para conseguir a inclusão das concessões e PPPs (Parceiras Público-Privada) no regime especial de contratos com a administração pública previsto na Reforma Tributária. Nos últimos dias, associações ligadas às administrações de rodovias, ferrovias, portos, aeroportos e de saneamento estiveram com senadores das comissões de Constituição e Justiça (CCJ) e de Assuntos Econômico (CAE) para tratar do assunto. Sete associações assinaram uma emenda que prevê o tratamento diferenciado.

 Folha de S.Paulo