Notícias do Dia – 21/02/2024

219

Exclusivo: Brasil e Paraguai destravam temporariamente orçamento de Itaipu

Em Reunião de Diretoria Executiva (RDE) realizada ontem, Brasil e Paraguai concordaram em desbloquear temporariamente o orçamento da usina hidrelétrica de Itaipu Binacional até o fim do mês de março. Foi aprovada a implementação de procedimentos provisórios, garantindo a liberação de recursos da empresa. O impasse entre Brasil e Paraguai na definição da tarifa da hidrelétrica de Itaipu Binacional levou o país vizinho a adotar uma medida extrema, bloqueando o orçamento da megausina para o ano de 2024. Como resultado, tanto empregados quanto prestadores de serviços e fornecedores enfrentaram atrasos nos pagamentos no início de janeiro, em ambos os lados da fronteira.

Valor Econômico

 

Leilão de energia pode gerar R$ 22 bi de investimento

O governo prevê a contratação de novas linhas de transmissão em 2024 com investimentos de R$ 22,26 bilhões. A diretoria da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) liberou ontem a publicação do edital do primeiro leilão, marcado para o dia 28 de março, com projetos orçados em R$ 18,2 bilhões. Na mesma reunião, o comando da agência aprovou a abertura de consulta pública para discutir as regras do segundo certame deste ano, previsto para o dia 27 de setembro, com investimento de mais R$ 4,06 bilhões.

Valor Econômico

 

Anac prepara nova resolução para os usuários

A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) avança com uma revisão da resolução 280/2013, que trata das regras para o transporte aéreo de pessoas com deficiência ou mobilidade reduzida, disse Yuri Cesar Cherman, gerente de regulação das relações de consumo do regulador. Entre os principais pontos no novo texto está mecanismos que evitem a assimetria de informação entre as aéreas. “Uma situação que estamos explorando é uma empresa A aceitar transportar determinado equipamento porque considera seguro, mas uma empresa B não considera seguro por achar que pode haver uma explosão à bordo, por exemplo”, disse Cherman.

Valor Econômico

 

De olho no PAC, Pátria cria fundo para investir até R$ 5 bilhões nos ‘gaps’ da infraestrutura e atrai BNDES

O Pátria Investimentos, gestora de ativos alternativos que tem cerca de R$ 200 bilhões na carteira, lançou um fundo de investimento de até R$ 5 bilhões para financiar pequenos e médios projetos de infraestrutura — um dos focos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) e, segundo os sócios da gestora, um dos segmentos mais negligenciados em termos de disponibilidade de capital no país. O veículo já atraiu R$ 1,6 bilhão em capital comprometido junto a instituições como o BNDES — com R$ 500 milhões —, o CAF (banco de desenvolvimento da América Latina) e a IFC (braço de investimento privado do Banco Mundial), além de um fundo de pensão brasileiro e do próprio Pátria.

O Globo

 

Galeão: governo negocia alívio financeiro para concessionária do aeroporto do Rio que supera R$ 1 bi por ano

O governo renegocia uma dívida em torno de R$ 13 bilhões para salvar a concessão do Aeroporto Internacional Tom Jobim, o Galeão, no Rio. A negociação do montante é um pedido da Changi, empresa de Cingapura que detém a maior parte da concessão. Esse valor representa todo o fluxo de outorga (espécie de licença por direito de uso paga à União pelo concessionário) que deve ser quitada pela operadora até 2039, quando termina o contrato. O montante negociado considera quanto deveria ser pago para quitar essa fatura caso ela fosse cobrada hoje.

O Globo

 

Tráfego de passageiros nos aeroportos brasileiros tem alta de 14,7% em 2023

O tráfego total de passageiros no Brasil aumentou 14,7% no ano passado em comparação com 2022, segundo dados do relatório Insight da Aviação Brasileira da Associação Latino Americana e do Caribe de Transporte Aéreo (Alta). O CEO da entidade, José Ricardo Botelho, avalia que, em meio a um ambiente global e regional desafiador, a aviação brasileira mostra resiliência e busca se recuperar do período da pandemia.

O Estado de S.Paulo

 

Demanda energética da Europa coloca Brasil como protagonista do powershoring, diz executiva do BNP

A executiva francesa Florence Pourchet exerce uma das principais posições ocupadas por uma mulher entre os grandes bancos internacionais. Atualmente responsável na América Latina pela relação com os clientes corporativos e institucionais do BNP Paribas, ela está encarregada da função de estruturar a estratégia do banco francês para promover uma transição para investimentos ambientalmente sustentáveis, em alinhamento com as metas da União Europeia, e apoiar negócios que envolvem energias renováveis em detrimento de investimentos em fontes sujas.

O Estado de S.Paulo

 

BNDES investe R$ 500 milhões em fundo de crédito para infraestrutura gerido pelo Pátria

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) aprovou a contratação e subscrição de cotas do Pátria Infra Crédito, novo Fundo de Investimento em Direitos Creditórios (FIDC) com foco em infraestrutura gerido pelo Pátria Investimentos. O banco de fomento irá aportar até R$ 500 milhões no FIDC, que também tem entre seus investidores a International Finance Corporation (IFC), membro do Grupo Banco Mundial, e o Banco de Desenvolvimento da América Latina (CAF). O montante deverá ser investido em projetos dos setores de energia, saneamento, logística e transporte, mobilidade urbana e telecomunicações.

O Estado de S.Paulo

 

Brasil e Paraguai concordam em destravar orçamento de Itaipu temporariamente

O Brasil e o Paraguai concordaram em destravar o orçamento de Itaipu temporariamente, abrindo caminho para pagamentos ligados ao dia a dia da hidrelétrica que dependiam da liberação de recursos. Como mostrou a Folha em janeiro, o bloqueio havia sido feito pelo Paraguai em meio ao impasse sobre qual a tarifa a ser paga pelo Brasil pela energia não usada do país vizinho. As autoridades paraguaias demandam um valor maior, mas o governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) resiste. Com a nova decisão, o orçamento está liberado até o fim de março, de acordo com pessoas que acompanham a discussão.

Folha de S.Paulo

 

Geólogos sinalizam início da ‘corrida do ouro’ do hidrogênio

Geólogos estão sinalizando o início de uma nova “corrida do ouro” energética para um recurso livre de carbono anteriormente negligenciado —o hidrogênio gerado naturalmente dentro da Terra. Até 5 trilhões de toneladas de hidrogênio existem em reservatórios subterrâneos em todo o mundo, de acordo com um estudo não publicado do Serviço Geológico dos Estados Unidos. “A maior parte do hidrogênio provavelmente é inacessível, mas uma recuperação de alguma porcentagem ainda supriria toda a demanda projetada —500 milhões de toneladas por ano— por centenas de anos”, disse Geoffrey Ellis, que está à frente da pesquisa, na reunião anual da AAAS (American Association for the Advancement of Science), em Denver.

Folha de S.Paulo

São Paulo quer regionalizar coleta de lixo

O governo de São Paulo avalia lançar, em março, um programa de concessões regionais para a coleta de resíduos sólidos. A ideia é reduzir os custos para os municípios. Segundo a secretária do Verde e Meio Ambiente, Natália Resende, a iniciativa foi adotada no saneamento, com o programa UniversalizaSP. Por ele, cerca de 250 municípios recebem apoio técnico para cumprir metas de universalização e prestação de serviços de água e esgoto.

Folha de S.Paulo

 

Aneel aprova leilão de transmissão com aportes previstos de R$ 18,2 bi

A Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica) aprovou nesta terça-feira (20) o edital do primeiro leilão de transmissão de energia de 2024, com projetos que deverão exigir ao todo R$ 18,2 bilhões em investimentos para sua implantação. Marcado para 28 de março de 2024, o certame oferecerá 15 lotes de transmissão, prevendo a construção de 6.460 quilômetros de linhas e novas subestações com 9.200 MW em capacidade de transformação. As instalações, distribuídas em 14 estados, visam principalmente reforçar o escoamento da energia gerada no Nordeste, diante do forte crescimento das fontes renováveis eólica e solar na região, para centros de consumo do Sudeste e Sul.

Folha de S.Paulo