Notícias do Dia – 17/01/2024

447

Subsídio na conta de luz dobra em 5 anos e põe sistema em risco

A soma dos subsídios pagos na fatura de energia elétrica dobrou em cinco anos no Brasil. Entre 2018 e 2023, o valor acumulado por ano saltou de R$ 18,8 bilhões para R$ 37,4 bilhões. Os números são do “subsidiômetro”, ferramenta de cálculo disponibilizada pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). O crescimento dos subsídios, a maioria como encargo da Conta de Desenvolvimento Energético (CDE), já despertava preocupações entre especialistas do setor. Agora, começam a surgir alertas sobre o risco do sistema de pagamento entrar em colapso.

Valor Econômico

 

Entenda como a revisão da tarifa de Itaipu vai ter impacto no bolso do consumidor

O desfecho das negociações entre Brasil e Paraguai sobre a revisão do Tratado de Itaipu pode resultar em aumento nas tarifas de geração, com potencial de gerar impacto direto na vida de 131 milhões de brasileiros do Sul, Sudeste e Centro-Oeste. Os reflexos de uma eventual alta serão distintos nos consumidores do Brasil e do Paraguai, na avaliação de especialistas ouvidos pelo Valor sobre o tema, a partir da nova etapa de conversas entre os dois países, nesta semana. Conforme as regras do tratado, o Brasil assume a parte excedente que o Paraguai não utiliza. Na prática, os brasileiros respondem por 86% do pagamento da tarifa.

Valor Econômico

 

Distribuidoras perdem remuneração de capital, conclui estudo

Uma nota técnica da Diretoria de Estudos e Políticas Setoriais, de Inovação, Regulação e Infraestrutura do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) concluiu que a remuneração média do capital das distribuidoras de energia elétrica no Brasil é menor do que o estabelecido pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), o que pode comprometer parte dos investimentos no setor. A partir das análises financeiras das distribuidoras, o estudo conclui que não há ganhos financeiros, mas sim perda de remuneração por parte dessas empresas.

Valor Econômico

 

Abradee realizará estudo sobre efeito de clima extremo

A Associação Brasileira de Distribuidores de Energia Elétrica (Abradee) vai realizar estudo internacional para analisar e tratar dos efeitos do clima extremo nas redes de distribuição. A entidade tem conversado com a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) para desenvolver o trabalho, que vai propor tratamento para situações associadas a mudanças climáticas. O estudo tem início neste mês. A Abradee buscou instituições externas para troca de experiências e análises de caso. O objetivo é ajudar distribuidoras a responder questões como aumento da resiliência das redes frente a eventos extremos e a melhoria da interação entre redes e meio ambiente no meio urbano, especialmente com árvores de grande porte.

Valor Econômico

 

VLI e União entram na reta final para definir renovação da FCA

A renovação antecipada da FCA (Ferrovia Centro Atlântica), concessão operada pela VLI, vive um momento decisivo. Caso não haja acordo entre governo federal e empresa até março, a prorrogação contratual tende a ficar no papel, e a ferrovia deverá seguir para nova licitação, dizem fontes que acompanham a discussão. O contrato da VLI chega ao fim em agosto de 2026. Portanto, à medida que o tempo passa, a tese da vantajosidade da prorrogação antecipada perde força, já que o principal argumento da extensão é antecipar os investimentos, em relação à nova licitação.

Valor Econômico

 

Tarcísio defende que concessão com a Enel em SP não seja renovada: ‘A cada chuva deixa o paulistano na mão’

O governador de São Paulo, Tarcísio de Freitas (Republicanos), fez duras críticas aos serviços prestados pela Enel em São Paulo e defendeu que a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) não renove o contrato de concessão com a empresa, que vence em 2028. — A gente não pode ter uma empresa que a cada chuva deixa o paulistano na mão. São eventos climáticos que acontecem, a gente não vê uma preparação da empresa, não houve cuidado devido da manutenção — disse o governador na manhã desta terça-feira, durante coletiva de imprensa no Palácio dos Bandeirantes.

O Globo

 

Gerdau pode rever investimentos se governo não tomar ‘medidas urgentes’ para a indústria, diz CEO

Estreante no Fórum Econômico Mundial, em Davos, na Suíça, o presidente da Gerdau, Gustavo Werneck, não esconde a sua preocupação com a economia brasileira, em especial com a indústria. Enquanto países como México, que surfa na onda do nearshoring (realocação da produção em países próximos ao mercado de interesse), além dos Estados Unidos e a Turquia atuaram em prol de suas indústrias locais, o Brasil, na avaliação do executivo, não tem se mexido na mesma direção. Isso faz com que a companhia cogite rever investimentos à frente, segundo ele.

O Estado de S.Paulo

 

Governo estuda subsídio para a conta de luz, diz Silveira

O governo Luiz Inácio Lula da Silva (PT) está estudando um modelo de subsídios para dirimir o impacto da transição energética na conta de luz, afirmou o ministro Alexandre Silveira (Minas e Energia), que está em Davos para vender o Brasil como uma potência dos combustíveis verdes. “Nós estamos estudando alternativas”, disse Silveira à Folha. Lula tem criticado de forma recorrente a diferença entre os valores pagos pelos grandes consumidores (empresas) no mercado livre de energia, menores que aqueles com que arca o consumidor comum.

Folha de S.Paulo

 

Preço do frete rodoviário no Brasil cai 12% no fim de 2023 com recuo do diesel, diz Edenred Repom

O preço médio do frete por quilômetro rodado no Brasil recuou 12% no fim de 2023, em relação a janeiro do mesmo ano, ao fechar em R$ 6,22, com impulso da queda do preço médio do diesel e das taxas de juros, apontou nesta terça-feira (16) o Índice de Frete Edenred Repom (IFR). O mês de 2023 com maior valor médio no preço do frete foi abril, com R$ 8,36, segundo o IFR, índice de preço médio do frete e sua composição, mensurado com base nas 8 milhões de transações anuais de frete e vale-pedágio administradas pela Edenred Repom.

Folha de S.Paulo

 

Transporte de gás natural liquefeito será afetado pela tensão no Mar Vermelho, diz premiê do Qatar

O transporte de gás natural liquefeito “será afetado” pela escalada da tensão no Mar Vermelho, alertou o primeiro-ministro do Qatar, um dos maiores produtores do mundo, nesta terça-feira (16). “O gás natural liquefeito (…), assim como todas as outras mercadorias, será afetado pela perigosa escalada no Mar Vermelho”, disse Mohammed ben Abdulrahman Al Thani, referindo-se aos ataques que estão ocorrendo na região costeira do Iêmen e levando transportadoras de cargas marítimos a mudarem de rota.

Folha de S.Paulo