Notícias do Dia – 09/11/2023

265

Magnata do minério vem ao país para discutir hidrogênio verde

O bilionário australiano Andrew Forrest, fundador e presidente do conselho da mineradora Fortescue, desembarca nesta quinta-feira (9) em Brasília para discutir com deputados e ministros a regulação do setor de hidrogênio verde (H2V). Quarta maior mineradora do mundo, a companhia tem projeto de uma planta de hidrogênio verde no Ceará, estimado em US$ 2 bilhões (cerca de R$ 10 bilhões). “Queremos ter confiança na segurança de longo prazo para realizar investimento desse porte no país”, disse Forrest ao Valor.

Valor Econômico

 

Santos Brasil deve ter volume até 7% menor em 2023

A Santos Brasil prevê encerrar 2023 com uma queda na movimentação de contêineres entre 5% e 7%, em comparação com o ano passado. Apesar da retração, os dados indicam retomada dos volumes a partir de outubro, o que já gera previsão de crescimento em 2024, segundo o diretor financeiro, Daniel Dorea. No terceiro trimestre deste ano, a empresa teve queda de 9,9% na movimentação de contêineres, que somou 322.382 unidades nos cais operados. “A partir do quarto trimestre, os volumes, na comparação anual, já devem voltar a crescer. Este ano tem apresentado certa volatilidade.

Valor Econômico

 

‘Não esperem grandes aquisições’, diz Monteiro

A Eletrobras está se preparando para participar do leilão de linhas de transmissão previsto para ser realizado em 15 de dezembro. No entanto, não se deve esperar por grandes aquisições pela companhia no certame, afirmou o presidente da elétrica, Ivan Monteiro. O motivo, segundo ele, é que a empresa prioriza a modernização dos ativos de geração e transmissão, alvo do aumento recente de investimentos. Foi a primeira fala de Monteiro desde que assumiu a presidência da Eletrobras, em meados de agosto. Ele participou de teleconferência com analistas para comentar os resultados do terceiro trimestre, quando a empresa registrou lucro líquido de R$ 1,48 bilhão, revertendo prejuízo de R$ 14,5 milhões um ano antes.

Valor Econômico

 

Em sociedade com a Vibra, Comerc inaugura megausina solar em MG

A Comerc está colocando em operação uma usina solar com capacidade instalada de 662 megawatt-pico (MWp) em sociedade coma Vibra. O investimento total no Complexo Fotovoltaico de Hélio Valgas, um dos maiores do país, soma R$ 2 bilhões. Localizado no município de Várzea da Palma, a 300 quilômetros de Belo Horizonte, o complexo ocupa uma área de 1.497 hectares, com mais de 1,2 milhão de módulos fotovoltaicos. Embora ainda não esteja operando em sua capacidade total, a planta de Hélio Valgas já foi energizada em agosto de 2023, gerando 119 GWh de energia. Quando estiver funcionando a pleno vapor, a usina terá a capacidade de produzir energia para atender a 800 mil residências ou cerca de 3 milhões de pessoas.

Valor Econômico

 

Enel tem 24 horas para comprovar à Senacon que tem plano de contingência ou pode ser multada

A Enel terá 24 horas para comprovar à Secretaria Nacional do Consumidor (Senacon) suas alegações sobre o plano de contingência implementado após 2,2 milhões de clientes da concessionária terem ficado sem luz após as fortes chuvas e vendaval que atingiram São Paulo no último dia 3. A empresa respondeu na tarde desta quarta-feira à notificação feita pela secretaria na última segunda-feira, mas na avaliação do secretário Wadih Damous, a empresa não apresentou nenhuma demonstração efetiva.

O Globo

 

Revogação de restrição de 400 km para voos no Santos Dumont será publicada nesta quinta

A revogação da resolução do Conselho Nacional de Aviação Civil (Conac) que limitou a operação no Santos Dumont a voos com chegadas e partidas a um raio de 400 quilômetros será publicada na edição desta quinta-feira (09) do Diário Oficial da União. Após a revogação, o Ministério dos Portos e Aeroportos e a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) irão estabelecer, junto com a Infraero, estatal que opera o aeroporto do Rio, o novo limite de capacidade. Hoje a capacidade do Santos Dumont está limitada em 10 milhões de passageiros ao ano.

O Globo

 

Petrobras enfrenta resistência para elevar aporte em renováveis em novo plano de negócios

A direção da Petrobras vem encontrando resistências dentro do próprio governo para aprovar seu plano de investimentos para os próximos cinco anos, o primeiro sob o terceiro mandato Luiz Inácio Lula da Silva (PT). A companhia propôs um orçamento de cerca de US$ 100 bilhões, aumento substancial em relação aos US$ 78 bilhões aprovado no último ano sob Jair Bolsonaro (PL), mas dúvidas sobre a viabilidade do plano provocaram uma divisão no conselho. A Folha apurou que representantes da União têm resistido a aprovar o orçamento, diante da elevada previsão de investimentos em energias renováveis. São cerca de US$ 20 bilhões em uma série de segmentos: eólicas, biocombustíveis e hidrogênio, além de descarbonização das operações.

Folha de S.Paulo

 

Governo desiste de restringir origens de voos em Santos Dumont e limita passageiros

O ministro dos Portos e Aeroportos, Silvio Costa Filho, revogou nesta quarta-feira (8) a resolução que mudava as normas de voos para o Santos Dumont (RJ) e editou nova regra prevendo um teto na quantidade anual de passageiros. A nova norma substituirá a anterior, que estabelecia controlar a origem e o destino dos voos, como antecipou o ministro em entrevista à Folha. O limite será de 6,5 milhões de passageiros por ano e passa a vigorar a partir de janeiro de 2024. “A decisão pela revogação se baseou em critérios técnicos com o intuito de fortalecer a aviação brasileira”, afirmou o ministério, em nota.

Folha de S.Paulo

 

Eletrobras corta mais de 20% dos empregados em um ano com PDVs

No primeiro ano após a sua privatização, a Eletrobras cortou em 21% seu quadro de funcionários, por meio de programas de demissão voluntária (PDVs). Ao todo, foram 2.348 desligamentos desde o terceiro trimestre de 2022, o primeiro totalmente sob gestão privada. No quarto trimestre, é esperada a saída de mais 614 pessoas e a empresa anunciou que reabrirá o segundo plano de demissão voluntária, com mais 101 vagas. Neste primeiro ano de gestão privada, o número de empregados caiu de 10.476 para 8.209. Os planos de demissão foram foco de atrito entre o governo e a gestão da empresa. O MME (Ministério de Minas e Energia) chegou a enviar duas cartas à presidência da Eletrobras solicitando a suspensão das demissões.

Folha de S.Paulo

 

Apagão em SP não deve ser entrave à renovação dos contratos de distribuição, diz EDP

O apagão que afetou parte do Estado de São Paulo, por conta de temporais e fortes ventos na última sexta-feira (3), não deve se tornar um entrave ao processo de renovação dos contratos de distribuição de energia elétrica, que está agora em fase final, afirmou o presidente da EDP Brasil, João Marques da Cruz, à Reuters . “Não enxergo alterações significativas no processo… Acho que um processo de renovação de uma concessão por 30 anos não deve depender do fenômeno de um temporal que aconteceu numa sexta-feira à tarde em qualquer cidade, mesmo que a cidade seja São Paulo”, disse o executivo.

Folha de S.Paulo