Parque eólico no Ceará ameaça aquífero e prejudica pesca, dizem quilombolas

94

No litoral do Ceará, a produção de energia a partir do vento, fonte que tem crescido diante da crise climática, é criticada por quilombolas que vivem próximos a um parque eólico da cidade de Aracati. O empreendimento é gerido pela empresa CPFL Renováveis. Segundo a avaliação de especialistas, ONGs e moradores da comunidade quilombola do Cumbe, a instalação dos equipamentos —que são como cata-ventos gigantes— causou impactos ambientais e problemas sociais. O MPF (Ministério Público Federal) questiona a forma com a qual o projeto foi autorizado a funcionar.

Folha de S.Paulo