Orçamento para execução de obras de rodovias começa a ser empenhado em fevereiro

157

Os recursos que serão usados para iniciar as obras previstas no plano de 100 dias do Ministério dos Transportes devem ser empenhados já a partir de fevereiro, de acordo com o ministro da pasta, Renan Filho.

Em entrevista para a Agência iNFRA, ele informou que a pasta tem R$ 2,7 bilhões em saldos financeiros remanescentes e que com esse valor é possível dar andamento às obras previstas até que o orçamento de 2023 comece a ser executado.

Renan vem falando que terá R$ 20 bilhões para retomar obras paradas neste ano. O ministro reafirmou que o documento de ação para os primeiros 100 dias de governo deve focar principalmente em obras paradas e de recuperação de rodovias.

Na última quinta-feira (12), ele informou que intensificará obras de construção que estavam paradas ou com o andamento lento por falta de recursos, obras que facilitem o escoamento da safra deste ano, obras em pontos específicos que geram acidentes, e a preparação da malha rodoviária para o próximo período de chuvas.

Conversas com o setor
Na quarta-feira (11) o ministro se reuniu com o presidente da CNT (Confederação Nacional do Transporte) e com integrantes da ANTT (Agência Nacional de Transportes Terrestres). Já na quinta-feira ele se encontrou com o vice-governador de Goiás, Daniel Vilela, e com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

Para o presidente da CNT, Vander Costa, Renan prometeu acolher sugestões da confederação e falou que vai “retomar as obras paradas, iniciar o mais arrojado programa de ferrovias dos últimos anos” e que espera trabalhar em conjunto com o setor a fim de modernizar a logística do país.

Lula dá aval a capital privado
O ministro informou ainda que durante a reunião com o presidente Lula ele recebeu o aval para atrair o capital privado. Dentre as medidas que devem ser tomadas estão: realizar concessões, PPPs (parcerias público-privadas), finalizar as renovações de contrato e avançar projetos que estão no pipeline do governo. Todas essas medidas já vêm sendo discutidas e anunciadas por Renan há algum tempo.

Além disso, revisitar alguns contratos de rodovias que já foram concedidas também é uma ideia do ministro. Entre os projetos mencionados está a concessão da BR-153, no trecho de Goiás, que é administrada pela Triunfo Concebra numa concessão que envolve também trechos das BR-060 e BR-262. A empresa não cumpriu as obrigações de investimento do contrato, licitado na 3ª Etapa, e pediu para entrar no processo de relicitação.

De acordo com a Goinfra (Agência Goiana de Infraestrutura e Transportes), outro assunto debatido na reunião com Renan foi a federalização das rodovias GO-070, GO-118 e GO-108/GO-236. Essa é uma demanda antiga do governo do estado.

Imagem: Canva

Conteúdo produzido pela Agência iNFRA e cedido para o portal da ABDIB.