Sem acordo com empresas, Anatel tenta atrair concessionária ‘reserva’ e evitar apagão na telefonia fixa

221

As concessionárias de telefonia fixa e a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) estão medindo forças em relação ao valor que deve ser estabelecido para encerrar os atuais contratos e migrar para o regime de autorização. Telefônica, dona da Vivo, Oi, Grupo Claro/Embratel e Algar Telecom levaram a Anatel para uma câmara de arbitragem privada, a CCI, cobrando R$ 46 bilhões que consideram ter o direito de receber relativos aos contratos. É o primeiro caso de arbitragem que envolve a agência.

Valor Econômico