Aumento de insumos pressiona contratos

113

 Alegando prejuízos acumulados com a recente disparada no preço dos insumos, concessionárias de rodovias e construtoras que executam obras públicas estão levando para o governo federal e para os Estados novos pedidos de reequilíbrio econômico-financeiro dos seus contratos. A lista de aumentos com forte peso no caixa das empresas é encabeçada pelo cimento asfáltico de petróleo, um dos materiais mais usados em qualquer obra em estradas, que subiu quase 80% nos últimos 18 meses. Mas a alta se espalhou para itens como aço, tubos de PVC, ligantes betuminosos, madeira, cobre e óleo diesel.

Valor Econômico