Credibilidade fiscal é requisito para atrair investimentos em infraestrutura, avaliam economistas

298

A manutenção da trajetória de ajuste fiscal é um dos pilares para o aumento de investimentos públicos e privados em infraestrutura, segundo os economistas Joana Pereira, representante residente no Brasil do Fundo Monetário Internacional (FMI), Gesner Oliveira, sócio da GO Associados, e Felipe Salto, diretor-executivo da Instituição Fiscal Independente (IFI) do Senado Federal.

Para eles, é preciso haver uma melhora no planejamento do orçamento público para que este complemente o capital privado que vem sendo aplicado no setor. A avaliação foi feita durante o painel ” Ajuste Fiscal e Retomada de Crescimento: Como fazer? O papel do investimento na infraestrutura”, realizado durante o primeiro dia do Abdib Experience – Edição 2021, promovido pela Abdib. Assista os debates no primeiro dia do evento.

Segundo Joana Pereira, “países onde a credibilidade fiscal é maior são países que conseguem se financiar de forma mais barata e isso é um elemento essencial para continuar a prover suporte fiscal, seja em infraestrutura, seja em outras áreas”. Ela ressaltou ainda que o investimento em infraestrutura é um dos que têm mais impacto na economia como um todo.

Já Gesner Oliveira ponderou que, no momento, as oportunidades de investimento somadas a outros fatores superam essa questão no que diz respeito ao capital privado. Mas a considerou relevante, em especial para atração do investimento externo, tendo em vista as alterações de políticas econômicas em todo o mundo pós-pandemia.

“É claro que, se o quadro macro continuar a se deteriorar, isso pode ocorrer (queda de investimentos em infraestrutura), mas hoje tem um apetite de investimento, as oportunidades são tão grandes, e esse conjunto de fatores – o arcabouço institucional dos marcos, da regulação, da jurisprudência – gerou um apetite de investimento que continua, apesar das dificuldades cíclicas”, avaliou.

Já o diretor da IFI, Felipe Salto, ressaltou a importância da credibilidade das regras fiscais que, em sua visão, são fundamentais ainda que não sejam perfeitas. Ele ressaltou que essa defesa “não significa que o debate sobre o teto está interditado”, mas que é preciso pensar em alterações que o melhorem.

“É possível ter uma espécie de teto de gastos 2.0 em que você cria um corredor para investimentos eventualmente com um subteto para privilegiar esse tipo de despesa. Agora, não é isso que está acontecendo neste momento. (…) O teto de gastos, na prática, sofre um golpe no coração”, disse, em referência à Proposta de Emenda à Constituição (PEC) dos Precatórios, que altera o regramento.

 

Acesse O livro Azul da Infraestrutura 2021. Clique aqui.

Acesse a Plataforma de projetos de Infraestrutura. Clique aqui.

 

Confira também:

Abdib Experience | dia 1

Governo superará marca de R$ 1 trilhão em investimentos contratados no próximo ano

Abdib publica plataforma de projetos e nova edição do Livro Azul da Infraestrutura

Credibilidade fiscal é requisito para atrair investimentos em infraestrutura, avaliam economistas

Abdib Experience | dia 2

Na transição energética, Brasil precisa explorar potencialidades “sem trancar rotas de desenvolvimento”

Governos estaduais mostram ação para atrair investimentos em saneamento básico

Abdib Experience | dia 3

Modelagem das concessões e adesão de municípios são desafios pós-marco do saneamento

Projetos bem estruturados, constância e segurança jurídica são os principais chamarizes de investimentos privados