Saneamento básico lidera percepção de novos investimentos

88

O saneamento básico é o setor da vez para investimentos. Quando perguntados no Barômetro da Infraestrutura Brasileira quais segmentos da infraestrutura devem registrar aumento de investimentos nos próximos três anos, o saneamento básico ocupa novamente o topo das indicações em uma lista com 13 opções.

A sexta edição do Barômetro da Infraestrutura Brasileira, pesquisa semestral realizada pela Abdib e pela EY entre executivos e especialistas que lideram projetos de investimentos e gerenciam contratos nos setores de infraestrutura, ouviu 167 pessoas entre os dias 20 de setembro e 1 de outubro de 2021.

Os mercados de água e esgoto mantém a liderança há cinco semestres, de um total de seis pesquisas semestrais, quando os executivos e especialistas de infraestrutura são perguntados quais sã os setores com maior chance de receber investimentos nos próximos três anos. Energia elétrica e ferrovias completam o pódio, com mais proximidade em relação ao líder.

No contexto, aponta a Abdib, há uma série de leiloes de concessão bem-sucedidos realizados por alguns governos estaduais, envolvendo cifras bilionárias de investimentos contratados e pagamentos de outorgas para estados e municípios. Pouco mais de um ano após a promulgação da Lei 14.026/2020, que modernizou o marco regulatório do saneamento, o segmento vive um momento positivo, com mais de R$ 60 bilhões em investimentos viabilizados em leilões, entre eles o de três lotes para a operação da Cedae, no Rio de Janeiro.

Já nos outros setores, avalia a Abdib, há a eclosão de uma crise hídrica sem precedentes e a edição de uma medida provisória para inserir o modelo de autorização no setor ferroviário, o que já incentivou a apresentação por investidores, de mais de 20 ofertas de construção de novos trechos de ferrovias que podem exigir mais de R$ 80 bilhões de investimentos caso sejam efetivadas.

 

Cenário para investimentos – A percepção quanto ao cenário para promoção de investimentos nos próximos seis meses permaneceu inalterada na pesquisa do 2º semestre de 2021, após uma queda de superior a 15 pp na pesquisa anterior entre os que veem o horizonte favorável.

Os respondentes que consideram o cenário para investimentos favorável (36,5% agora ante 36,6% na edição do 1º semestre de 2021), desfavorável (32,3% agora ante 32,6% antes) e neutro (31,1% agora ante 30,3%) permanecem inalterados.

Na avaliação da Abdib, o cenário é marcado por recuperação do crescimento econômico no ano corrente e controle da pandemia, mas também pela disparada da inflação, do aumento dos juros, da incidência da crise hídrica, de turbulências político-institucionais e da aproximação da eleição.

 

Acesse a 6ª edição do Barômetro da Infraestrutura Brasileira

 

Leia também:

Concessões para setor privado avançam, mas executivos enxergam potencial maior 

Barômetro da Infraestrutura: Pesquisa é a única no Brasil que mensura ação do Estado em prol da infraestrutura 

Opinião sobre contratação de profissionais segue positiva na infraestrutura