Brasil ganha relevância nas operações aprovadas pelo New Development Bank

400

O New Development Bank (NDB) já aprovou globalmente, até abril de 2021, US$ 28,4 bilhões em 72 operações de crédito (89% com garantia soberana), dos quais US$ 10,2 bilhões em 2020 e US$ 3,7 bilhões nos primeiros quatro meses de 2021.

Desse montante total, US$ 9 bilhões foram destinadas para programas de combate à pandemia nos cinco países membros – Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul.

O Brasil foi destino do maior volume de operações aprovadas em 2020, totalizando US$ 3,5 bilhões em seis projetos – destes, US$ 2 bilhões ajudaram a financiar programas do governo federal de combate aos efeitos da Covid-19, como auxílio emergencial e crédito para micro e pequenas empresas.

As informações foram fornecidas por Claudia Prates, diretora-geral do Escritório Regional das Américas do NDB, em reunião do Comitê de Financiamento, Riscos e Garantias da Abdib no dia 23 de abril.

Criado em julho de 2014 durante a 6ª reunião de cúpula dos BRICS, realizada em Fortaleza, Ceará, a instituição multilateral é, desde junho de 2020, presidida por um brasileiro – Marcos Troyjo.

Mais relevância – O Brasil ganhou relevância na carteira de empréstimos do banco. Em julho de 2020, o Senado Federal aprovou a criação de um escritório regional do NDB para as Américas, em São Paulo, e uma unidade de representação em Brasília, o que dinamizou o trabalho. Antes, o país respondia por 6% das operações aprovadas pelo banco globalmente, contra 17,9% em 2020.

Dessa forma, a fatia de operações já aprovadas para o Brasil se aproximou daquelas autorizadas para outros países-membros: Rússia (16,3%), África do Sul (18,8%), China (22,6%) e Índia (24,3%).

Claudia Prates informou que o NDB acelerou o recrutamento de especialistas brasileiros para a sede, na China, e para o escritório local. No total, o Brasil registra US$ 5,1 bilhões em empréstimos aprovados pelo NDB para 13 projetos até abril deste ano.

A projeção é, segundo a diretora-geral do Escritório Regional das Américas do NDB, aprovar US$ 1,2 bilhão em 2021 para o Brasil. O banco trabalha ainda para lançar operações em project finance, reforçando a capacidade de os empreendimentos proverem garantias aos empréstimos, e operar em moeda local, o que reduz o risco de variação cambial.

Para 2021, foi aprovada uma reestruturação organizacional no banco de fomento, autorizando a criação de áreas específicas para monitoramento de projetos em implementação, para projetos para o setor privado e para ESG (governança corporativa, ambiental e social).