Abdib integra Instituto de Inovação em Seguros criado pela FGV

957

Foi lançado pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) em fevereiro o Instituto de Inovação em Seguros, um centro para pensar estratégias e ações para o desenvolvimento do mercado brasileiro de seguros e resseguros.

A Abdib e um grupo de empresas e instituições participam da iniciativa por meio da atuação no comitê gestor do novo instituto. Além da Abdib, integram o comitê gestor a BMG Seguros, o escritório Mattos Filho Advogados, entre outros que estão em tratativas para se juntar à iniciativa.

O novo instituto será coordenado pelo Gesner Oliveira, professor e chefe do Centro de Estudos de Infraestrutura e Soluções Ambientais da FGV, ao lado de Goret Paulo, diretora da Rede de Pesquisa e Conhecimento Aplicado da FGV.

Para a Abdib, o mercado de seguros e resseguros assume função relevante para o desenvolvimento da infraestrutura, ofertando apólices para riscos variados e contribuindo para a análise e a mitigação de riscos dos projetos, sobretudo os mais complexos.

O instituto, na visão da Abdib, ajuda a preencher uma lacuna na promoção de pesquisas, debates e análises de boa qualidade para melhorar diversos aspectos da indústria de seguros e resseguros no Brasil, inclusive no que tange à inovação, com apoio de diversas partes relacionadas do mercado.

Comitê da Abdib – Internamente, a Abdib conta com a estrutura do Comitê de Financiamento, Riscos e Garantias pelo qual analisa uma pauta abrangente de temas com o objetivo de avaliar as fontes de recursos para projetos de infraestrutura, identificar limitações para seus usos e sugerir estruturas de seguros e garantias (projetos/financiamento) para mitigar os riscos de operação e bancabilidade.

Por diversas ações, o comitê da Abdib busca implementar o project finance non recourse, utilizando a experiência internacional, contribuindo com a Susep, que pretende desregulamentar os seguros de grandes riscos no Brasil, e ampliar atratividade de financiamento interno e externo para investimentos em infraestrutura (equity).

Além disso, está também no escopo do Comitê de Financiamento, Riscos e Garantias buscar alternativas para mitigação de riscos não gerenciáveis (riscos políticos, crédito, demanda e variação cambial) e avaliar instrumentos contratuais e extracontratuais (públicos e privados) que possam amenizar as consequências financeiras, econômicas e sociais da materialização destes riscos.

 

Ouça o podcast Infra para Crescer: O mercado de seguros quer impulsionar a infraestrutura

 

Conheça o plano de trabalho do Comitê de Financiamento, Riscos e Garantias da Abdib em 2021:

 

  • Acelerar as discussões para a implementação de project finance non recourse e para as garantias necessárias e fortalecer o seguro garantia como mitigador de risco.
  • Atuar para desenvolver seguros contra riscos não gerenciáveis, dentre eles os riscos de variação cambial para captação de recursos externos, riscos políticos, de demanda e de crédito.
  • Atuar com as instituições oficiais de crédito (BNDES, Caixa e Banco do Brasil) para definir modalidades e condições de aplicação de recursos para a infraestrutura.
  • Atuar com o mercado de capitais para a ampliação de debêntures de infraestrutura (fundos de pensão e mercado externo).
  • Atuar com o BNDES, Programa de Parcerias de Investimentos (PPI) e seguradoras, entre outros, para melhor estruturação de projetos e respectivas garantias.
  • Acompanhar a aplicação da nova lei de licitações e, em especial, o capítulo referente a garantias.
  • Propor uma estrutura (a exemplo de fundo existente na Inglaterra) para mitigar riscos não gerenciáveis pela iniciativa privada.
  • Desenvolver canal de comunicação com agências reguladoras com objetivo de melhorar a relação com mercado segurador, focando na eficiência da execução do seguro garantia.
  • Implantar agenda periódica com a Superintendência de Seguros Privados (Susep) com a finalidade de propor melhorias nos contratos de seguros aplicáveis ao project finance, dentre eles o seguro garantia.