Para Defesa, 5G não barra ataque de fornecedor

59

A rede privativa de governo, que deverá ser construída pelas operadoras que vencerem o leilão da quinta geração de telefonia (5G) ajudará a proteger os órgãos públicos de eventuais ataques cibernéticos, garantiu o comandante de comunicações e guerra eletrônica do Exército, Ivan de Sousa Correa Filho. O militar, que representou o Ministério da Defesa em reunião virtual da Câmara dos Deputados, ontem, alertou que essa infraestrutura não livrará os usuários das redes 5G de ataques previamente programados por fabricantes de equipamentos.

Valor Econômico