Demanda por serviços de infraestrutura cresce em dezembro, mas poucos setores fecham o ano “no azul”

797

Órgãos públicos como Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) e Empresa de Pesquisa Energética (EPE) divulgaram nos últimos dias os indicadores de demanda em alguns dos principais segmentos de infraestrutura, como o transporte de cargas por ferrovias, assinantes de serviços como telefonia e banda larga e o consumo segmentado de eletricidade. Em um ano marcado por mudanças de comportamento de empresas e famílias devido às medidas de isolamento social para enfrentamento da pandemia, há resultados distintos, mês a mês e no acumulado de 2020 frente a 2019. A expansão na demanda por tais serviços em dezembro de 2020 ajudou alguns setores a registrar crescimento no ano, mas não evitou resultados negativos para outros. Poucos setores registraram nos 12 meses de 2020 um patamar de demanda igual ou superior ao de 2019 (ver tabelas abaixo).

Esse cenário está em nova apuração na seção Indicadores de Infraestrutura, que se propõe a demonstrar a evolução da demanda em áreas estratégicas da infraestrutura, servindo como importante termômetro para atividade econômica como um todo. A avaliação semanal é realizada pela Vallya e disponibilizada para a Abdib em parceria exclusiva.

Movimentação de cargas em ferrovias – Como foi antecipado a partir da divulgação dos indicadores sobre comércio exterior, o mês de dezembro mostrou tem expansão vigorosa para movimentação de cargas em ferrovias, com aumento de 11,46% em comparação com o mesmo mês de 2019. Desta forma, 2020 fecha com leve queda de 0,34% nos 12 meses do ano em comparação ao mesmo período do ano anterior. Após um primeiro semestre turbulento, o setor tem vivenciado um aumento constante no transporte de cargas desde agosto.

Como foi antecipado a partir da divulgação dos indicadores sobre comércio exterior, o mês de dezembro trouxe bons resultados para movimentação de cargas em ferrovias, com aumento de 11,46% em comparação com o mesmo mês de 2019. Desta forma, 2020 fecha com leve queda de 0,34% nos 12 meses do ano em comparação ao mesmo período do ano anterior. Após um primeiro semestre turbulento, o setor tem vivenciado um aumento constante no transporte de cargas desde agosto.

Em dezembro, três concessionárias registraram aumento elevado no transporte de cargas frente ao mesmo mês de 2019: MRS (60,76%), Transnordestina (29,91%) e Rumo (29,70%). A VLI foi a única concessionária que registrou queda em dezembro, de 21,43%. Todas as concessionárias encontram-se em patamar positivo no acumulado de 12 meses encerrado em dezembro e 2020, com a exceção da Vale, fortemente impactada pelo transporte de minério.

Em relação aos produtos transportados, houve expansão homogênea com os destaques sendo o transporte de açúcar (47,43%), milho (39,35%), óleo diesel (21,83%) e minério de ferro (12,55%). Somente o transporte de celulose (- 2,44%) e soja (- 91,44% em função da venta antecipada de estoques) tiveram quedas neste mês. Em 2020, comparado ao ano de 2019, houve expansão vigorosa no transporte de açúcar (51,61%) e os bons números para o transporte de celulose (8,52%) e farelo de soja (7,72%). O destaque negativo nesta base de comparação é o transporte de milho, que acumula queda de 11,37%.

Serviços de telecomunicações – Já na área de telecomunicações, setor que vivenciou aumento de demanda por alguns serviços ao longo de todo o ano de 2020, foi mantida a tendência de elevação da demanda por banda larga e telefonia móvel, refletindo uma mudança comportamental que foi acelerada em decorrência das medidas de isolamento social. Os acessos de banda larga fixa (em milhões de consumidores) cresceram 9,09% em dezembro na comparação com dezembro de 2019 – no acumulado do ano frente ao mesmo período de 2019, o segmento apresenta crescimento de 5,40%.

Já a telefonia móvel (milhões de consumidores) apresentou alta de 3,26% no mês de dezembro, embora em termos anualizados o segmento tenha fechado o ano de 2020 com leve queda, de 0,22%. Como reflexo destas mudanças de comportamento, os acessos de TV por assinatura (milhões de consumidores) e telefonia fixa (milhões de consumidores) têm diminuído ao longo dos meses. Em dezembro, registrou-se queda em acessos de 5,70% para serviços de TV por assinatura e de 9,14% para serviços de telefonia fixa quando comparado ao mesmo período de 2019. Quando comparadas as demandas em todo o ano de 2020 frente a 2019, a redução foi de 8,85% e 9,85% respectivamente.

Energia elétrica – De acordo com dados divulgados pela Empresa de Pesquisa Energética (EPE), houve expansão agregada de 3,07% no consumo de energia elétrica na rede no mês de dezembro, quando comparado ao mesmo período de 2019, com destaque para os segmentos residencial (9,23%) e industrial (8,54%). Considerando o consumo no ano de 2020, houve redução de 1,63% em comparação a 2019.

Em um ano marcado pelo isolamento social, o segmento residencial registrou expansão de 4,43% em 2020, enquanto o segmento comercial computou duras perdas 10,59% frente ao ano de 2019. Já o segmento industrial passou a recuperar as perdas a partir de agosto de 2020 e, dessa forma, apresentou queda na demanda de 0,96% em 2020 em comparação a 2019.

Nas variáveis que compõem o segmento industrial, destaque para o crescimento de dois dígitos durante o mês de dezembro de 2020 na Fabricação de Minerais (15,69%); Metalurgia (13,37%) e Fabricação de Têxteis (11,97%) quando comparado ao mesmo período do ano anterior. Somente três variáveis encontram-se em patamar positivo em termos anualizados: a Metalurgia (3,14%); Fabricação de Minerais Não Metálicos (1,51%); e Fabricação de Alimentos (1,35%). A situação mais crítica no acumulado de 12 meses de 2020 é observada na Fabricação de Veículos (- 17,70%); Fabricação de Têxteis ( -10,48%); e Fabricação de Produtos de Metal ( -10,26%) – todavia, todas estas variáveis tiveram um bom desempenho no mês de dezembro.

Atividade portuária – A movimentação de cargas nos portos listados no Painel Mensal (ver imagens abaixo) teve alta homogênea no mês de dezembro, com a exceção do Porto do Rio Grande, com baixa de 14,28% em relação ao mesmo período de 2019.

O Porto do Rio Grande também é o único que, no ano de 2020, considerando os 12 meses, acumula baixa, de 7,79%.

A maior alta do mês de dezembro foi observada na movimentação de carga geral na Cia Docas RJ, que teve incremento de 60,30% em relação ao mesmo período de 2019. A movimentação de carga geral também teve expansão no Porto de Itajaí (19,96%) e no Porto de Santos (16,17%) nesta base de comparação.

Ao analisar a movimentação em 2020 contra 2019, as maiores altas ocorreram no Porto de Itajaí (14,07%) e na Cia Docas do Pará (13,56%). Isto posto, o crescimento “year on year” é generalizado com todos os portos listados apresentando ganhos acima de 5% (com a exceção do Porto do Rio Grande).

 

Painel mensal

Painel semanal

 

Painel Apple

O indicador Apple utiliza dados de georreferenciamento para medir a mobilidade de pessoas em nível estadual, ferramenta que ganha relevância no contexto das medidas de restrição adotadas em decorrência da Covid-19. 

 

Painel Google