Modelo de licitação de rodovias no Paraná é criticado por parlamentares estaduais

64

A proposta enviada pelo governo federal para concessão de 3,3 mil quilômetros de rodovias estaduais e federais envolve um modelo híbrido que mantém a taxa de outorga e limita o desconto máximo que os concorrentes podem apresentar (fixado entre 15% a 17% dependendo do lote). O modelo foi duramente criticado por parlamentares estaduais, que defendem a adoção de um modelo de licitação com critério de menor tarifa. O pauta dos pedágios é sensível no estado, dado o histórico de corrupção descoberto por desdobramentos da Operação Lava-Jato. A Frente Parlamentar sobre os Pedágios da Assembleia Legislativa do Paraná realizará uma série de ações para tentar mudar o modelo de licitação, incluindo a realização de audiências públicas e um Projeto de Lei, assinado por 37 deputados, que estabelece que as rodovias estaduais só possam ser concedidas ao governo federal se a licitação ocorrer pelo modelo de menor tarifa. “Queremos uma licitação limpa, justa, transparente e com o critério único da menor tarifa. Vamos jogar muito duro aqui na Assembleia. Não dá para aceitar isso.” afirmou o deputado estadual Luiz Claudio Romanelli (PSB). (Tribuna do Vale)