Condições sugerem ano de alta nos combustíveis

48

O ano de 2021 promete pressionar para cima os preços dos combustíveis no Brasil, diante da expectativa de recuperação da cotação internacional do petróleo. O barril do tipo Brent acumula alta de 9% no ano, mas concorrentes da Petrobras acusam a companhia de segurar os preços dos derivados. Segundo consultorias e analistas consultados pelo Valor, a empresa tem operado abaixo da paridade internacional neste início de ano. O Centro Brasileiro de Infraestrutura (CBIE) estima que a defasagem é de 8,6% para a gasolina e 3,5% para o diesel. “Mas não quer dizer que ela perca dinheiro, ela deixa de ganhar dinheiro” comenta o diretor do CBIE, Adriano Pires.

Valor Econômico