Demanda por infraestrutura segue crescendo em energia, portos e estradas

1628

Os dados divulgados pelo Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) sobre a primeira semana de dezembro somam-se aos bons resultados das últimas três semanas, com aumento generalizado nos principais indicadores. Em comparação com o mesmo período do ano passado, houve aumento de 8,0% na carga de energia, de 5,4% na geração de energia e 5,2% na demanda máxima horária. Dado o caráter estratégico, a tendência de expansão no uso do sistema energético pode servir de importante termômetro para atividade industrial como um todo.

Esse cenário está em nova apuração na seção Indicadores de Infraestrutura, que se propõe a demonstrar a evolução da demanda em áreas estratégicas da infraestrutura, servindo como importante termômetro para atividade econômica como um todo. A avaliação semanal é realizada pela Vallya e disponibilizada para a Abdib em parceria exclusiva.

Comércio exterior – Os dados de comércio exterior do MDIC, que servem como importante percursor para atividade portuária e ferroviária, apontam para um crescimento total de 1,79% em novembro, em comparação com o mesmo período do ano passado. Em comparação ano a ano, a movimentação total encontra-se em patamar acima do ano passado, com ganho de 0,81%. Do lado das exportações, houve um crescimento de 1,37% em novembro em comparação com o mesmo período do ano passado, levando o acumulado do ano para um patamar 2,44% acima do mesmo período do ano anterior. Já do lado das importações, houve um crescimento de 3,54% em novembro nesta mesma base de comparação, embora o acumulado do ano ainda se encontre 6,42% abaixo em comparação ao período anterior.

Movimentação portuária – A movimentação de cargas em portos brasileiros teve baixa de 2,99% no mês de outubro em comparação com o mesmo período do ano passado, embora no acumulado do ano a movimentação de cargas esteja 3,58% acima em comparação aos dez primeiros meses do ano anterior. O resultado foi influenciado pela baixa de 7,34% na movimentação de granel sólido, que acumula ganhos de 1,34% este ano, e pela baixa de 3,22% na movimentação de carga geral, que está 2,12% no acumulado do ano. A movimentação de granel líquido e gasoso continua despontando como grande destaque do ano, com alta de 7,62% em outubro quando comparado ao mesmo período de 2019 e alta de 12,97% no acumulado do ano. Por fim, a movimentação de carga por contêiner apresentou alta de 0,15% em outubro, ficando em patamar positivo pela primeira vez em cinco meses, embora ainda esteja 0,60% abaixo em comparação ao mesmo mês de 2019.

Movimentação nas estradas – O índice ABCR, importante termômetro da movimentação rodoviária, mostra dados de crescimento. Em novembro, houve queda de 4,25% na movimentação total de veículos em comparação a novembro de 2019. No acumulado do ano, a movimentação de veículos registra queda de 13,92% em relação ao mesmo eriodo de 2019, fortemente influenciada pela movimentação de veículos leves. A movimentação de veículos leves acumula baixa de 17,94% no acumulado do ano, e os resultados de novembro continuam em patamar abaixo do mesmo período de 2019, com queda de 7,07%. A movimentação de veículos pesados por outro lado, de uso comercial, continua apresentando bons resultados, com alta de 4,51% em novembro frente a novembro de 2019 – no acumulado do ano, apenas 1,94% de queda em relação ao mesmo período do ano passado.

 

Painel mensal

 

Painel semanal 

Painel Apple

O indicador Apple utiliza dados de georreferenciamento para medir a mobilidade de pessoas em nível estadual, ferramenta que ganha relevância no contexto das medidas de restrição adotadas em decorrência da Covid-19.

 

Painel Google