Estudo mostra contribuição de novas concessões na projeção de investimento até 2025 em transportes e saneamento

1072

Além de consolidar oportunidades de investimento da União, estados e Distrito Federal em diversas fases de preparação, o Livro Azul da Infraestrutura da Abdib traz também análises revelando a contribuição dos novos projetos – concessões recém-licitadas ou na iminência de irem para leilão – nas projeções de investimentos até 2025 em dois setores mais atrasados na infraestrutura – os de transporte e logística e de saneamento básico.

A partir da análise inédita, é possível constatar que o acréscimo de investimentos nos próximos cinco anos será entre R$ 8 bilhões e 30 bilhões anualmente entre 2021 e 2025. “Percebemos claramente que precisamos de muito mais projetos privados e também complementação de investimentos públicos no período. Temos de apostar nas duas frentes simultaneamente”, aponta Venilton Tadini, presidente-executivo da Abdib.

Fonte: Apuração Abdib com base na carteira de projetos da União, estados e Distrito Federal para os setores de transportes e logística e de saneamento básico.

 

O Livro Azul da Infraestrutura da Abdib mostra que “os números relativos aos investimentos privados até o momento anunciados são insuficientes para preencher as necessidades de investimento do setor” e, por isso, é necessário “um maior volume de projetos colocados para a iniciativa privada, bem como investimentos públicos”.

A Abdib reconhece que o caminho adotado para estimular o investimento privado está acertado. Desde 2016, houve a criação do Programa de Parcerias de Investimentos (PPI) para organizar a governança pública em torno de projetos de infraestrutura. Nos últimos dois anos, o BNDES (para os níveis federal, estadual e municipal) e a Caixa (para o nível municipal) passaram a atuar como fábricas de projetos, ampliando a quantidade de projetos disponíveis para concessão e melhorando a qualidade de estudos e editais. “Os últimos leilões de concessão e de PPPs mostraram que o papel do BNDES e da Caixa têm dado uma dinâmica muito eficiente para viabilizar investimentos privados”, resume Tadini. “O Ministério da Infraestrutura, em paralelo, estabeleceu procedimentos e estrutura para produzir projetos e interagir em nível qualificado com órgãos de controle e com o mercado”, complementa.

Um dos caminhos para ampliar a disponibilidade de projetos ao setor privado, na visão da Abdib, é reforçar as estruturas estaduais de preparação de concessões e PPPs. “Há carteiras de projetos locais que podem evoluir mais rapidamente e com mais qualidade. Além disso, gás natural e saneamento básico podem atrair muito investimento privado caso haja mais visão e disposição dos governos estaduais, além do que estamos visualizando atualmente”, conclui Tadini.

O presidente-executivo da Abdib ressalta ainda que ampliar esforços para atrair o setor privado não significa prescindir do investimento público. Para Tadini, o governo federal e os estados precisam rever prioridades e ampliar o orçamento para investimentos públicos. Isso porque nem todas as necessidades podem ser supridas pelo investimento privado, pois nem sempre há retorno financeiro, mesmo com a taxa de juros em nível baixo.

 

Leia também:

Governos federal e estaduais preparam 1.200 oportunidades para investimento do setor privado

Focados em transportes e saneamento, 50 projetos superam R$ 1 bilhão em investimento

Defasagem entre investimentos necessários e realizados permanece elevada em transportes e saneamento