Consórcio Aegea vence leilão de saneamento no Espírito Santo

544

O consórcio venceu outros seis concorrentes no certame, ao oferecer um desconto de 38,12% sobre a tarifa máxima de esgoto faturado estabelecida no edital. No leilão de ontem, a companhia entrou em consórcio com um fundo de investimento próprio, chamado Santense, replicando a estratégia adotada anteriormente, quando a companhia venceu a PPP de saneamento da Corsan (RS). Com prazo de 30 anos, o projeto prevê a universalização do acesso à rede de esgoto até o décimo ano de contrato. Ao todo, estão previstos investimentos de R$ 580 milhões, sendo que R$ 180 milhões devem ser aplicados nos primeiros cinco anos. Para financiar o projeto, a empresa avaliará alternativas junto a fontes tradicionais, como o BNDES e Caixa, mas também no mercado de capitais. “No momento, conseguimos acessar mercado com prazos e taxas muito interessantes”, afirmou Rogério Tavares, vice-presidente de Relações Institucionais da Aegea.

Projetos no setor de saneamento estão em pleno vapor: nesta sexta-feira, ocorrerá a PPP da Sanesul (MS), que recebeu quatro propostas, uma das quais foi da própria Aegea, que já opera ativos em Campo Grande. O projeto envolve investimentos (CAPEX e OPEX) de aproximadamente R$ 3.83 bilhões em um período de 30 anos, visando universalizar o sistema de coleta de esgoto no estado nos próximos 10 anos. Para os próximos anos, o BNDES, que tem crescentemente assumido um papel de estruturador de projetos, está montando uma extensa carteira, impulsionada pelo Novo Marco Legal do Saneamento. De acordo com o diretor de Infraestrutura do banco de fomento, Fábio Abrahão, “estamos falando em pelo menos 15 ou 16 leilões só nos próximos dois anos”.