Medo da covid faz índios barrarem acesso a linhão

103

Leiloada em setembro de 2011, a linha de transmissão Manaus-boa Vista tinha prazo de três anos para ficar pronta, com entrada em operação prevista para janeiro de 2015. O impasse sobre a questão indígena, no entanto, paralisou o empreendimento, que corta a terra demarcada dos Waimiri. Do total de 721 quilômetros do traçado previsto para ser erguido ao lado da BR-174 (rodovia que liga as duas capitais), 125 quilômetros passam dentro da terra indígena, onde vivem mais de 2,1 mil índios em 56 aldeias. Os povos indígenas não são contra o projeto, mas exigem que sejam consultados e que tenham seus pedidos atendidos por causa dos impactos ambientais.

O Estado de S. Paulo