Sexta rodada de aeroportos foi adaptada aos efeitos da pandemia, diz secretário

419

A decisão de não postergar a sexta rodada de concessão de 22 aeroportos por causa do coronavírus deve colocar no próximo leilão um novo perfil de interesse. Diferentemente das últimas rodadas, que consolidaram a presença de gigantes da administração aeroportuária na Europa, como Zurich e Fraport, agora são esperados os grandes fundos. Os documentos para a composição do edital da sexta rodada que foram enviados ao TCU (Tribunal de Contas da União) neste mês trouxeram uma adaptação, já considerando que os operadores ficaram enfraquecidos pela pandemia e devem ter dificuldade em disputar, segundo Ronei Glanzmann, chefe da SAC (Secretaria Nacional de Aviação Civil).

Folha de S. Paulo