Para bancos multilaterais, compartilhamento de riscos precisa entrar no radar dos governos

702

Os executivos dos bancos multilaterais presentes no encontro organizado pela Abdib o dia 14 de julho alertaram para a necessidade de haver garantias que deem seguranças para os financiadores e de construir novas regras que equilibrem melhor a matriz de riscos, inclusive compartilhando o risco de demanda.

A criação de um fundo que sirva para prestar garantias para viabilizar os projetos foi proposta como alternativa eficiente. Os executivos dos bancos multilaterais sugeriram que a Abdib lidere um esforço para construir a solução com as autoridades governamentais. O tema – reforço das estruturas de seguros e garantias – é recorrente na pauta de discussão da Abdib para discutir propostas para fomentar investimentos em infraestrutura.

A qualidade dos projetos e o aproveitamento de receitas acessórias para ajudar na viabilidade econômica e financeira também são aspectos que precisam ser considerados par ao desenvolvimento da infraestrutura, disseram os executivos.

Leia também: Encontro com bancos multilaterais avalia programas para sair da crise

Reequilíbrios nas concessões – Os executivos dos bancos mutilaterais também avaliaram que os processos de reequilíbrio econômicos e financeiros das concessões de infraestrutura, por mais complexos que sejam, precisam ocorrer de forma célere e transparente.

As adaptações podem impactar – positivamente ou negativamente – na percepção de risco dos investidores interessados nos programas de concessão em andamento. Alguns contratos podem vir a ser reestruturados, devido a mudanças de parâmetros em virtude de novas medidas sanitárias, sobretudo em áreas de transportes.

Participaram do encontro Antonio Silveira, vice-presidente do Banco de Desenvolvimento da América Latina (CAF); Claudia Prates, diretora-geral do New Development Bank Brasil (NDB); Luis Alberto Andres, coordenador para a área de Infraestrutura no Brasil do Banco Mundial; e Morgan Doyle, representante do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) no Brasil, além de Venilton Tadini, presidente-executivo da Abdib, e Ralph Lima Terra, vice-presidente executivo da Abdib.

No total, participaram 180 pessoas, entre empresários e especialistas de empresas dos setores de infraestrutura, bem como líderes e executivos dos bancos multilaterais.