Em nova fase, Ibitu prevê investir até R$ 5 bilhões

207

Sob novo controle, um agente já conhecido do setor elétrico promete trazer novos ares ao mercado em meio à grande procura das empresas por projetos sustentáveis. A Ibitu Energia, que reúne os ativos da antiga Queiroz Galvão Energia (QGE) adquiridos pela gestora americana Castlelake no ano passado, estreia hoje com planos ousados. A escolha do nome “Ibitu”, que significa “vento” em tupi-guarani, dá pistas do posicionamento estratégico nessa nova fase: o grupo pretende investir entre R$ 4 bilhões e R$ 5 bilhões nos próximos cinco anos para ampliar seu portfólio em geração renovável de energia, com foco nas fontes eólica e solar.

Valor Econômico