Minas Gerais vai manter cronograma de sete concessões rodoviárias

702

A Secretaria de Infraestrutura e Mobilidade do Governo de Minas Gerais vai manter o cronograma de concessões de rodovias do estado. A garantia é do secretário da Seinfra-MG (Secretaria de Estado de Infraestrutura e Mobilidade), Marco Aurélio Barcelos.

“Minas Gerais já havia anunciado o seu cronograma de privatização de rodovias e ele vem seguindo nos conformes. Entendemos a gravidade da pandemia do coronavírus, mas os nossos projetos não serão impactados. Portanto, olhem para Minas Gerais. O nosso estado vai entregar o que prometeu”, afirmou Barcelos em conversa com a Agência iNFRA.

O programa de concessões rodoviárias foi assinado em maio do ano passado. Na ocasião, o governo do estado informou que a expectativa é atrair investimentos da ordem de R$ 7 bilhões, divididos em sete lotes de rodovias estaduais. O projeto visa gerar mais de 9,5 mil empregos, entre diretos e indiretos, e impulsionar o desenvolvimento regional no estado.

Em abril deste ano, o secretário de Infraestrutura do estado assinou com o BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento) um contrato para os estudos de concessão de três mil quilômetros de rodovias. O acordo é para que o banco forneça suporte técnico na estruturação desses projetos.

Segundo o secretário do Seinfra-MG, seis dos sete lotes terão suas modelagens e estudos feitos em parceria com o BNDES. A expectativa é que dois lotes – ‘Triangulo Mineiro’ e ‘Pouso Alegre, Itajubá’ – já sejam enviados para consulta pública até o fim deste ano. Somados, os dois totalizam R$ 2,7 bilhões em investimentos.

“Não vamos lançar os seis lotes de uma vez no mercado. Serão de dois em dois. Os dois lotes que estão na frente são o do Triângulo Mineiro, que faz a ligação de Uberlândia até Araxá, e o trecho Pouso Alegre até Itajubá. Queremos que a modelagem saia em outubro para colocarmos em consulta pública no final deste ano. O leilão ficaria para o primeiro trimestre de 2021”, explicou.

Leia mais: Diretor-geral da ANTT diz que agência vai precisar de reforços para concessões

Ouro Preto
Já o sétimo lote, conhecido como ‘Ouro Preto’, terá seus estudos conduzidos em parceria entre BDMG (Banco de Desenvolvimento de Minas Gerais) e BID (Banco Interamericano de Desenvolvimento). O acordo foi assinado no fim de abril e a expectativa é um aporte financeiro de R$ 1 bilhão no projeto.

“Todas as nossas rodovias congregadas dentro do nosso programa de concessões estão com os seus respectivos contratos de modelagem assinados e em andamento”, comentou Barcelos.

Investimentos compartilhados
A modelagem dos contratos trará mudanças. Segundo o secretário, além de vencer quem ofertar a maior outorga, os valores serão utilizados em melhorias de outras rodovias do estado.

“Queremos apresentar um novo modelo, o de ‘tarifa mista’. Significa que o critério de leilão vai se inspirar no modelo que está sendo usado na BR-381. Então, vence quem oferecer a maior outorga. Com esses valores iremos reinvestir no setor irrigando trechos que não são passíveis de outorga”, disse.

Rodoanel de Belo Horizonte
Além dos sete lotes apresentados, Barcelos afirmou que o governo do estado deverá, até o fim do ano, entregar mais um projeto para consulta pública. Desta vez será para a construção de um novo rodoanel na região metropolitana de Belo Horizonte.

“Temos uma outra iniciativa em andamento, a do rodoanel metropolitano de Belo Horizonte. A proposta visa criar uma alça para desanuviar o tráfego que entra em Contagem, Betim e Belo Horizonte pela BR-381, BR-262 e BR-040. E a boa notícia é que esse projeto já está em modelagem avançada. Estamos pretendendo liberar a consulta pública deste projeto até o final deste ano”, informou o secretário.​

Conteúdo produzido pela Agência iNFRA para o portal da Abdib.