Artigo: Novo Mercado de Gás no novo normal

48

Em resumo, é preciso e é urgente organizar o acesso à malha de transporte. Para isso, além de transparência em relação às informações de utilização da malha, é também necessário que o modelo de expansão seja claro e tenha definição de longo prazo sobre a alocação de riscos (não casuística, como até hoje). Por fim, não haverá abertura e recuperação da competitividade estrutural na contratação do gás pela indústria sem que sejam oferecidos produtos que contribuam para maior segurança na contratação privada. Ainda, é necessário ter um sinal de preço de curto prazo, que explicite o valor da flexibilidade no sistema e permita a oferta por novos agentes no mercado. Neste novo normal do mercado de gás, em um momento de desorganização dos meios de produção, a retomada não pode ser atrasada pela ausência de eficiência e eficácia na condução de ações que permitam à lei de oferta e demanda ser aplicada. (Por Clarissa Leão, Lívia Amorim e Rivaldo Moreira Neto)

Agência Epbr