Concessionárias de grandes obras avaliam cobertura

82

A disparada do dólar, o fechamento de atividades para atenuar a pandemia de coronavírus e a consequente queda de demanda estão deixando os setores de infraestrutura e o de seguros em alerta máximo. Seguradoras, concessionárias e escritórios de advocacia estão analisando os contratos de concessão e Parcerias Público-Privadas (PPPs) assinados e as apólices firmadas a fim de avaliar os próximos passos. A retração da demanda é considerável, o que poderá levar à discussão sobre a existência de um “caso fortuito” ou de “força maior”. “A situação é bastante delicada e poderá levar a reequilíbrios de contratos e rediscussões, além de ter um impacto generalizado sobre a cadeia, de concessionárias a fabricantes de máquinas e as construtoras. Nossa cadeia é extensa”, afirma o presidente da Associação Brasileira da Infraestrutura e Indústrias de Base (Abdib), Venilton Tadini.

Valor Econômico