Telecomunicações precisam receber R$ 50 bilhões ao ano

796

Historicamente, o setor de telecomunicações tem investido R$ 30 bilhões ao ano, na expansão de sua infraestrutura e na melhora da qualidade de serviços.

Para fazer frente às necessidades do mercado, seria necessário investir R$ 50 bilhões anuais, ou 0,76% do Produto Interno Bruto (PIB), por um período de 10 anos.

O maior desafio brasileiro atualmente é expandir o acesso, a extensão e a capacidade da rede de banda larga – principal demanda da sociedade.

Em 2018, 70% dos brasileiros eram usuários de internet, segundo o Cetic.br. Desse total, 56% acessavam a rede exclusivamente pelo celular

Há também uma nova fronteira tecnológica. A quinta geração das comunicações móveis (5G), cujo leilão de frequências é previsto para o fim do ano, deve trazer uma nova onda de investimentos.

A regulação procura criar uma base para os novos investimentos. A Lei 13.879/2019, sancionada no ano passado, atualizou a Lei Geral de Telecomunicações, e permite substituir o modelo de concessão pelo de autorização.

Além disso, deu uma solução regulatória para a incorporação dos bens reversíveis.

Mas ainda existem incertezas, sobretudo com relação aos contratos vigentes.

Alguns contratos de telefonia móvel vencem neste ano.

A história é de sucesso. As operadoras de telecomunicações já investiram mais de R$ 1 trilhão desde o processo de privatização, em 1998, segundo a Associação Brasileira de Telecomunicações (Telebrasil).

Com novas demandas e com a evolução tecnológica, a perspectiva é de mais investimentos.