Novo chefe vai assumir ANP em momento crítico e intenso

131

O diretor-geral da Agência Nacional do Petróleo (ANP), Décio Oddone, deixará o cargo com um legado de reformas regulatórias no setor petrolífero. Quem assumir o comando da agência neste ano, contudo, terá pela frente a missão de liderar uma agenda intensa – e controversa – que começou a ganhar corpo no mandato de Oddone, mas que ficará em aberto para o seu sucessor: a regulação do mercado de combustíveis. A renúncia do atual diretor-geral da ANP acontece num momento crítico, em que a indústria passa pela abertura do refino e do mercado de gás natural – exigindo, portanto, revisões na regulação.

Valor Econômico – 17/01/2020