Investimento via FI-FGTS é subutilizado, indica Ipea

359

Enquanto o governo promete induzir investimentos em infraestrutura, sobretudo para setores estratégicos, como saneamento, o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) faz uma análise crítica dos resultados alcançados pelo Fundo de Investimento do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FI-FGTS) em 11 anos de atuação do mecanismo financeiro. Segundo o Ipea, o instrumento criado para alavancar investimentos em infraestrutura tem sido “subutilizado” tanto em volume aportado quanto em relação à natureza das aplicações. Cerca de 42% da carteira do FI-FGTS é de investimentos que nada têm a ver com projetos de infraestrutura. Refere-se, na verdade, a títulos públicos e a papéis de bancos estatais.

Valor Econômico