O ministro aponta o caminho

1266

Ao completar seu primeiro mês como ministro da Infraestrutura, o engenheiro carioca Tarcísio Gomes de Freitas embarcou na boleia de um caminhão e percorreu 1.000 km da BR-163, da Serra do Cachimbo até Santarém, no Pará. Uma das principais rotas de escoamento da produção do Mato Grosso para o Porto de Miritituba, a rodovia possui diversos trechos sem pavimentação e, em épocas de chuva, vira um mar de lama com caminhões presos no barro durante semanas. Na viagem, Tarcísio conheceu de perto uma realidade que assola o agronegócio há décadas — e coordenou pessoalmente até o resgate de veículos atolados

É o caso da Ferrogrão, idealizada por gigantes do agronegócio dispostos a investir R$ 12,7 bilhões entre Sinop (MT) e Miritituba (PA), e capaz de encurtar o percurso em quatro dias. “O ministério tem se mostrado presente em diversas instâncias e regiões do país. Identificou o que era emergencial, como a operação em torno do escoamento da safra, e tem clareza da importância do planejamento, da elaboração de projetos, do diálogo”, afirma o presidente da Associação Brasileira da Infraestrutura e Indústrias de Base (Abdib), Venilton Tadini.

Fonte: IstoÉ Dinheiro

COMPARTILHAR
Artigo anteriorNa pressão.
Próximo artigoA decolagem da economia