Mercado de curto prazo de energia pode ter prazo de contabilização semanal, diz ANEEL 

2774

O diretor-geral da ANEEL (Agência Nacional de Energia Elétrica), André Pepitone, disse à Agência iNFRA na quarta-feira (20) que estão em discussão medidas para garantir maior segurança no mercado de curto prazo de energia. Dentre elas, a redução do prazo de contabilização financeira, que atualmente é mensal, para semanal. A nova contabilização poderia ter início já em 1º de janeiro de 2020.

“Reduzindo o prazo, a gente consegue melhorar a segurança do ambiente. Hoje, se ocorrer algum problema, ele é identificado apenas depois de um mês. Com a contabilização semanal, nós desidratamos o problema, que passa a ter o risco dividido por quatro”.

Segundo Pepitone, apesar do número de empresas insolventes estar crescendo a cada dia – na quarta-feira a FDR comunicou aos clientes que está com dificuldades – o problema ainda não afeta o mercado da CCEE (Câmara de Comercialização de Energia Elétrica), por se tratarem de relações bilaterais.

“As transações no mercado multilateral estão protegidas, mas de todo modo esses casos pontuais nos fazem refletir que precisamos de alguns aprimoramentos de segurança no ambiente de comercialização livre.”

Segundo o diretor-geral da ANEEL, os mecanismos de aportes de garantias dos comercializadores também serão modificados, com prazos mais curtos, além de outras medidas em estudo como a criação de indicadores de segurança financeira.

Todas essas medidas estão sendo discutidas entre a agência reguladora, o Ministério de Minas e Energia, o ONS (Operador Nacional do Sistema Elétrico), a CCEE  e a Abraceel (Associação Brasileira dos Comercializadores de Energia Elétrica).

Conteúdo produzido pela Agência iNFRA especialmente para o portal da Abdib.