À espera da lama da Vale, Retiro Baixo reduz lago

886

A hidrelétrica de Retiro Baixo, localizada no rio Paraopeba, a 220 km da barragem da Vale que se rompeu em Brumadinho (MG), e que havia interrompido a operação para preservar seus equipamentos, foi acionada novamente ontem por ordem do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS). O objetivo da medida foi manter em nível baixo o reservatório da usina que poderá receber na próxima semana a lama de rejeitos oriunda da barragem rompida e novamente interromper a operação. Outra preocupação é com relação à hidrelétrica de Três Marias, primeira do rio São Francisco e cuja capacidade instalada é quase cinco vezes maior que a de Retiro Baixo.

Valor Econômico