Abdib sugere propostas em encontro dos Brics

356

Durante os eventos da 10ª Cúpula dos Brics, que ocorre em julho, na África do Sul, empresários de Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul participam de reuniões até dia 27 do Brics Business Council, iniciativa com perfil empresarial e funcionamento paralelo ao encontro governamental anual com objetivo de elaborar e recomendar estratégias de negócios e investimentos aos respectivos governos.

A Abdib mantém representação do Brics Business Council e realizou reuniões preparatórias para propor, nos encontros na África do Sul, duas medidas que buscam acelerar e intensificar o funcionamento do New Development Bank (NDB).

Fundo para hedge cambial – Em uma das medidas, a Abdib sugeriu a criação de um fundo gerido pelo New Development Bank (NDB) para prover hedge cambial para as empresas produtivas. Tal mecanismo é positivo tanto para países que aportam capital em determinados setores (credores/investidores, tal como a China) quanto para os tomadores de recursos (devedores, tal como Brasil e Rússia), uma vez que confere maior previsibilidade para a alocação de portfólio.

A capitalização do fundo pode ocorrer com aporte de recursos diretos por parte dos países membros dos Brics. Cada país poderia dar como lastro ao fundo do NDB 5% das reservas das quais seriam remuneradas, ainda, por títulos públicos destas economias.

Representação do NDB no Brasil –  A segunda proposta da Abdib recomendou uma alternativa para facilitar e acelerar ações do NDB no Brasil: a criação de uma representação do banco via fundo de private equity com a gestão dos recursos feita por um agente privado ou pelo BNDES. Além de facilitar a alocação dos recursos no setor de infraestrutura, tal modelo permitiria facilidade operacional por envolver número menor de agentes e órgãos reguladores. Via fundo, a única unidade reguladora é a CVM. Via criação de uma representação no formato de banco, há trâmites burocráticos e relativa morosidade no Banco Central.

O Conselho Empresarial do Brics (Cebrics) foi criado em 2013, na V Cúpula do Brics, reunindo membros dos cinco países – Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul. Foi constituído para fortalecer e promover os laços econômicos, comerciais, de negócios e investimentos entre as comunidades empresariais dos países que compõem o Brics. A Abdib participa dos encontros, com representantes das empresas associadas, desde o início. O conselho tem também a missão de assegurar o diálogo regular entre os setores empresariais e os governos e identificar os problemas e gargalos no âmbito de comércio e investimentos nas suas relações.