Empresas pagam só 3,4% das multas ambientais

3014

Fiscalização deficiente, brechas na legislação e morosidade da Justiça dificultam a punição de crimes ambientais. Levantamento do GLOBO junto ao Ibama e às secretarias estaduais de Meio Ambiente revela que desde novembro de 2015, quando ocorreu o vazamento da barragem da Samarco em Mariana (MG), foram aplicadas multas no valor de R$ 784,9 milhões à mineradora e a mais duas empresas envolvidas em desastres ambientais no Pará e em Minas: Hydro Alunorte e Anglo American. Só 3,4% do total foram pagos até agora, graças a recursos administrativos e na Justiça. Pescadores afetados pelo vazamento de 1,3 milhão de litros de óleo na Baía de Guanabara há 18 anos esperam até hoje indenizações de R$ 80 milhões da Petrobras. Empresas contestam aspectos técnicos e jurídicos de multas.

O Globo