Governo executa investimentos quase sem dinheiro novo, diz estudo

1918

Levantamento feito pela Instituição Fiscal Independente (IFI) divulgado ontem mostra que grande parte dos investimentos previstos na Lei Orçamentária Anual (LOA) fica represada ao longo do ano e acaba sendo jogada para o período seguinte. Isso cria um cenário em que a equipe econômica passa o ano usando os chamados restos a pagar (RAP) — débitos de anos anteriores que são postergados — para realizar investimentos sem praticamente colocar dinheiro novo em projetos. O estudo mostra que, de tudo que foi inscrito como restos a pagar relativos a gastos discricionários (como investimentos e custeio dos órgãos) em 2016, 36% não foram quitados em 2017 e acabaram jogados para o ano seguinte. Em 2018, esse passivo soma R$ 91 bilhões.

O Globo